Mais

Leia com a gente – Reinações de Narizinho

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Reinações de Narizinho, de Monteiro Lobato
Com a publicação do livro, há 80 anos, inicia-se oficialmente a literatura infantil brasileira. Reinações é a reunião de vários episódios escritos por Lobato, entre eles A Menina do Nariz Arrebitado. A menina Lúcia, 7, vive com a avó Dona Benta no Sítio do Picapau Amarelo, onde transita entre realidade e fantasia com naturalidade, casando-se com um peixe, entre outras aventuras.
Ed. Globo (http://globolivros.globo.com), R$ 28 (vol. 1) e R$ 26 (vol. 2)


Indicado por Alessandra Roscoe, mãe de Beatriz, Felipe e Luiza, jornalista e escritora
"A literatura de Lobato não tem idade. Reinações é um livro onde toda gente adoraria morar para sempre".

Anúncio

FECHAR

A lista

  • Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll, Ed. Cosac Naify
  • A Fada que tinha IdEias, de Fernanda Lopes de Almeida, ed. Projeto
  • Pinóquio, de Carlo Collodi, com tradução de Marina Colassanti, ed. Cia das Letrinhas


Indicado por Galeno Amorim, pai de Marcella e Pedro, presidente da Fundanção Biblioteca Nacional
"Grande clássico infanto-juvenil. A obra me abriu as janelas da literatura infantil brasileira".

A lista

  • O Menino Maluquinho, de Ziraldo, ed. Melhoramentos
  • O Reizinho Mandão, de Ruth Rocha, ED. Quinteto
  • A Roupa Nova do Rei, de Pedro Bandeira, ed. Moderna

Confira os comentários da diretora de redação da Pais & Filhos, Larissa Purvinni, mãe de Carol, Duda e Babi. A cada dia ela vai comentar um capítulo do livro.

[!page]

Um livro para morar

Por Larissa Purvinni, mãe de Carol, Duda e Babi

Lobato faz parte da infância de qualquer brasileiro, tenha ou não lido seus livros. Seja por causa da escola, do programa de TV, pelos muitos brinquedos licenciados ou até por meio da recém-lançada comunidade na internet, O Mundo do Sítio. Mas, vamos combinar que, infelizmente, o autor é muito menos lido do que mereceria. Ou então como se explica que a polêmica recente em que se cogitou banir Caçadas de Pedrinho das escolas públicas por causa de trechos racistas?

Ora, quem chegou a esta conclusão apenas sobre Caçadas com certeza não leu o resto da obra de Lobato. Os comentários racistas pululam pelos livros. Em Gramática da Emília, o nome Odete, popular naqueles tempos, segue apressado e Emília comenta: “Tomara que esteja indo batizar uma menina bem negrinha…” Por isso deveríamos deixar definitivamente as histórias da turma do Sítio? De jeito nenhum. Assim que cheguei a este trecho, enquanto lia a Gramática para minha filha Carol, ela me questionou sobre a frase. E eu expliquei que era uma frase preconceituosa e por que não deveríamos falar deste modo etc. e tal. Pronto. Concordo, no entanto, que notas de rodapé ou um suplemento de orientação aos pais seria útil, sim.

Li um bom pedaço das Reinações para Carol e Duda, que acompanharam, encantadas. Mas, como eram pequenas (5 e 3 na época), e o livro realmente é extenso, não concluímos a leitura na época. Lembrei-me que tinha um fac-símile da primeira edição de A Menina do Nariz Arrebitado, uma das várias histórias que Lobato escreveu e depois reuniu num livro só, o Reinações. Essa, sim, lemos inteira, com grande deleite.

Depois, Carol leu o livro na escola. E eu li vários Lobatos para as duas. O que mais sucesso fez foi O Picapau Amarelo, em que o sítio é invadido por personagens dos contos de fada. Também gostaram bastante de A Chave do Tamanho, em que Emília tem a ideia de encolher a humanidade para acabar com a guerra, e de Reforma da Natureza, em que Emília (sempre ela) resolve consertar erros como o da melancia, uma fruta grande que deveria estar numa árvore de mesmo tamanho, ora bolas!

Em Reinações, o primo da cidade, Pedrinho, vem passar férias no sítio com Dona Benta e Narizinho. E, dentro do sítio, reinos de fantasia se abrem como mágica: a menina viaja para o fundo do rio, o Reino das Águas Claras, e se casa com um peixe, o Príncipe Escamado, e por aí vai… Claro, o Brasil mudou. As crianças de hoje são, em sua grande maioria, urbanas. Muitas nunca viram uma galinha de perto e acham que o leite vem da caixinha. Ninguém acredita em saci ou boitatá… E, quer saber?, por isso mesmo vale ler Lobato para elas. Eu li pouco na minha infância. E aproveito o luxo de ter filhas, para ler para elas e com elas.

Você já leu Lobato para seus filhos? Qual seu livro preferido?

Pais&Filhos TV