Mais

Farra nas férias

Mãe e filha passaram seis dias na Universal, curtindo demais!

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Por Maria Laura, mãe de Clara

Fotos Thiago Borba, filho de Railton e Virginia

Dia 1 – Chegou o dia D, Ida para Orlando, Florida
Aqui vamos nós! Chegou o dia das nossas férias. Destino: Orlando, Florida. Direto para os parques da Universal. Dia tão sonhado e esperado pela Clara, minha filhota de 7 anos, e claro que por mim, mãe e adultíssima. Antes, estudamos várias vezes as atrações e olhamos tudo para melhor aproveitar a viagem.
Fiz as malas com antecedência, da forma mais prática possível. Meu objetivo principal: facilitar o deslocamento, já que sou uma mãe um tanto atrapalhada e pretendo não perder a mala, nem a filha! A prioridade foram roupas leves e que não amassam. Fiquei orgulhosa: só uma mala a despachar (podemos levar dois volumes de 32 kg).

Anúncio

FECHAR

Um detalhe importante que me ajuda sempre, na hora de fazer a mala: saber a previsão do tempo. Apesar de estarmos em pleno inverno nos EUA, descobri que teríamos dias de calor em Orlando. Me livrei de grandes casacos que ocupam muito espaço na bagagem. Mas claro que uns casaquinhos leves estão na mala e na mão. Sempre pode cair a temperatura e no avião tem o ar condicionado forte.
Um ponto primordial de atenção: o risco de ficar doente ou ter um acidente. Para não ter uma grande dor de cabeça e aquela conta astronômica a pagar com médicos, fiz um seguro de viagem internacional, que me garante o atendimento lá fora em caso de doenças e acidentes, além de dar uma baita assistência no caso de perdas/extravios de malas.

Depois de tudo, última checagem nos detalhes. Vamos lá: passaportes válidos (6 meses no mínimo), vistos americanos, autorização de viagem assinada pelo pai e com firma reconhecida – verifique o formulário e todas as especificações no site da Polícia Federal (dpf.gov.br) -, dólares comprados, cartões de crédito e débito desbloqueados, alguns itens para distrair a Clara durante as horas que vem pela frente dentro do avião – livro e lápis de colorir, jogo eletrônico, almofada de pescoço, algum biscoitinho e uma muda extra de roupa.

Não vejo a hora de chegar e pegar o carro com motorista que nos espera para o nosso fantástico Hotel Hard Rock (dentro do complexo da Universal). Pois é, dá para fazer reserva pelo serviço de concierge do Hotel e ter um motorista no aeroporto de Orlando. Eles aguardam com uma placa identificada com nossos nomes. Parece ser um serviço caro, mas não é. Nos próximos dias, como estarei dentro do complexo da Universal, vou utilizar os transportes oferecidos para quem está hospedado (water taxi, bicicletas, vans) ou mesmo a pé, pois é muito perto. Let´s Rock and Roll!

Dia 2 – Um mergulho nos estúdios de cinema e TV – Universal Studios

Chegamos no Aeroporto Internacional de Orlando e encontramos nosso motorista na frente da esteira. Em aproximadamente 20 minutos chegamos ao hotel – com uma fonte de guitarras e um milhão de detalhes e objetos de Rock… Um sonho em alto estilo!  Fomos jantar lá mesmo, estávamos famintas. E, finalmente, dormir! Exauridas, caímos como duas “pedras”.

Na minha opinião, a ordem em viagens é: aproveitar MUITO! Para isso, acordamos cedo, tomamos um ótimo café da manhã no Restaurante “The Kitchen”, o que foi surpreendente, já que normalmente os cafés da manhã não são tão bons por aqui.

Nos lançamos ao primeiro dia de parque… Rumo ao Universal Studios. Bastou pegarmos o water taxi (um barco super charmoso que sai do hotel e vai até a principal entrada dos dois parques e do City Walk na Universal), que está incluso, sem custo, para quem fica nos hotéis dentro do complexo.
O Universal Studios é um parque que simula os estúdios de TV e Cinema. É legal, assim que chegar, pegar um mapa – tem em português -, escolher uma direção e se lançar. Sempre olhe nos quadros da entrada os horários dos shows.

Estava um sol de rachar, mas mesmo com toda a minha pré-organização de bagagem, esqueci o chapéu e o boné da Clara! Tive que iniciar as compras na entrada: boné, algumas garrafas de água mineral e muito protetor solar! Evitaríamos esse gasto se eu tivesse lembrado de trazer os itens…

Passamos o dia todo brincando e rindo à toa. Relaciono aqui os brinquedos que marcaram a Clara: “Despicable Me Minion Mayhem” – o brinquedo do Meu Malvado Favorito, novo e muito bacana, cheio de efeitos em 3D. “Shrek 4D” – filme em que as cadeiras  do meio se movem, dando mais emoção ao brinquedo. “MIB – Men in Black” – uma super aventura para matar alienígenas com pontuação e disputas do melhor grupo, a Clara se amarrou total!  “Simpson´s Ride” – é quase uma montanha russa, mas é tudo simulado. Um carrinho de quatro pessoas que se move muito e, à sua frente, o desenho com os personagens. Finalmente, o “ET”: você monta na bicicleta e “voa”. Na saída, tem a loja com tudo dele e um set de fotografia. Termino com “Barney”, uma fofura total de teatro, e “George, O Curioso” – um brinquedo de águas que surgem do chão, com cenário super lúdico. Para crianças menores, é tudo. Melhor ainda em dias quentes!

Dia 3 – Islands of Adventure e Blue Man Group

Bom Dia! Já começamos cedo e cheias de energia. A expectativa era altíssima, pois nos aguardava o Mundo Mágico de Harry Potter. Dá uma super emoção chegar pertinho e ver os portões e a escola Hogwarts ao fundo… Tem tudo o que se imagina: a música tema do filme, as lojinhas de Hogsmead, que são demais, o trem expresso para Hogwarts, o Pub/ Bar “Três Vassouras” onde você pode beber a famosa cerveja amanteigada (Butter beer), ou provar o suco de abóbora. Nós almoçamos lá, comemos um frango espetacular e milho assado (com uma das melhores “lemonades” que já tomei na vida). Tem a Loja de Varinhas, que é um espetáculo imperdível, a doceria Dedos de Mel e por aí vai… Tudo perfeito. Aqui, você vai encontrar três brinquedos. A Clara não foi, ficou com medo de passar pelos corredores de Hogwarts. Mas se amarrou nas lojinhas.

Depois, passamos um tempo no Mundo do Dr. Seuss, que é a parte mais indicada para crianças pequenas, de até 6 ou 7 anos. É lá que encontramos o brinquedo do personagem Cat in the Hats e onde tem as camisetas e cacarecos do Thing 1, Thing 2…

A parte de aventuras ficou com o brinquedo do Homem Aranha, que arrasa de bom.
Ali ao lado tem a montanha-russa do Hulk. Essa nem eu tive coragem: mega blaster rápida e cheia de loopings… Para quem curte, é o supra sumo!

Depois da pequena pausa, nos lançamos no Toon Lagoon. Parece que entramos no planeta dos cartoons… E fomos num dos brinquedos que mais nos surpreendeu: o Rio do Popeye e Brutos. Saímos COMPLETAMENTE encharcadas! Leve uma muda extra de roupa, porque senão você vai ter que comprar ou ficar ao vento tentando se secar.

Terminamos nosso dia no Jurassic Park. E adoramos os dinos, a floresta, a magia do filme.
E tem mais… Essa foi uma noite super especial, já que assistimos ao grupo Blue Man, que se apresenta num teatro na City Walk (centrinho de lojas, bares e entretenimento da Universal). É uma loucura esse espetáculo! Cheio de efeitos tecnológicos, diversão e interação. São três atores, palhações que não falam e que interagem muito com a plateia. Vale muito a pena!

Dia 4 – Curtindo adoidado o Hotel


Dormimos como anjas de ontem para hoje. Aqui em Orlando é tudo um sonho, mas o ritmo de férias com filha nos parques vira uma maratona, cansa muito!

Uma das maravilhas de viajar é curtir o hotel. Curtir a mordomia de chegar depois de um dia e tanto e encontrar tudo arrumadinho, com mimos e delicadezas no criado-mudo. O café da manhã com mil e uma tentações, a arquitetura, a decoração, pessoas sorrindo para te servir bem, poder comer no quarto e por aí vai… Resolvemos tirar um dia de folga dos parques e compras, dedicando esse dia ao nosso complexo de hotéis: são três hotéis dentro da Universal, um ao lado do outro. Como estávamos hóspedes em um deles, podíamos utilizar as piscinas, os restaurantes e as atividades dos outros!

Começamos cedinho na piscina estonteante do Hard Rock. Uma área enorme de águas climatizadas, com uma parte em volta de areia de praia, duas jacuzzi, tobogã, e uma guitarra enorme ao fundo. Som de Rock and Roll rolando nos alto-falantes e um sol para lá de gostoso batendo nas pernas. Depois, na segunda fase do dia, a fome bateu e sabíamos que um dos melhores lugares de Orlando era ali do lado, no Portofino Bay Hotel. Um restôzinho muito charmoso na beira de uma “baía” (imitando Portofino, claro). A Deli Sals. Simplesmente um escândalo de bom!

Dia 5 –  Aproveitando a América das compras

Programamos o dia de compras, um clássico em Orlando. Eu, que sou uma pessoa relativamente controlada, entro no carro para iniciar o dia de compras em um mercado, um outlet e um mall. Tenho em mãos uma lista de produtos que quero, os quais já havia pesquisado anteriormente para ter certeza de que seriam boas compras.

Tudo isso foi por água abaixo quando eu coloquei o pé no Super Target (um dos melhores supermercados de lá). Doce ilusão a minha de que eu não ia me render aos apelos da “Meca” consumista. Mas o aparente descontrole tem um fundo de muita razão: os produtos são de extrema qualidade e infinitamente mais em conta que no Brasil.

Passada meia hora, a cena era a seguinte: eu, com um carrinho lotado, rodando pelos corredores e pegando tudo. Ao meu lado, uma mala rolando com a Clara. E a sensação maravilhosa de quanto é bom fazer compras bem feitas. Entramos no carro e seguimos para mais compras! Chegamos em um dos shoppings mais badalados de Orlando, o Millenia. Por lá se encontram as melhores marcas de grifes mundiais.

Depois das comprinhas, que tal uma deliciosa Salada Caesar e um cheesecake original da Cheesecake Factory? Demais!!! Quase derreto ao experimentar. Reabastecidas, seguimos para o Outlet Premium ali perto (o caminho entre esses lugares não demorou mais de 15 minutos). São dezenas de lojas imensas com preços tentadores, a céu aberto. Vale entrar e pesquisar. Sempre tem uma parte com mais desconto ainda. Pegue o mapa do outlet e veja onde estão as lojas que mais se encaixam no que você quer.

Dia 6 – Acabou-se o que era doce…

Amanheceu e acordamos com a sensação de que o sonho estava acabando. Uma vontade imensa de não ir embora, mas ao mesmo tempo uma saudade já instalada da nossa casa.

Eu estava meio nostálgica, mas muito serelepe, afinal ainda estávamos na Universal! Pegamos o nosso bom e velho water taxi para desembarcar na City Walk. Fizemos as últimas comprinhas nas lojas, aqueles presentinhos que acabamos por esquecer ao longo dos dias de diversão. Sentamos nos bancos à beira da lagoa e admiramos os portões dos dois parques.

Nos  programamos para chegar cedo ao aeroporto de Orlando. Ninguém quer perder o avião. Isso gera tanta dor de cabeça, que eu nem penso em sair em cima da hora. Fechei as malas com ajuda da Clara. Nessa hora, um objeto bem legal para se ter é uma balança de malas. Assim como fechar e trancar as malas com cadeados TSA (os quais podem ser abertos pelas autoridades de segurança americana, caso entendam que precisam revisar sua mala depois de ter sido despachada). Eu não estava com cadeado TSA. A minha mala foi escolhida por algum motivo, quebraram meu cadeado, abriram e inspecionaram. Viram o conteúdo e colocaram tudo direitinho, junto com uma carta avisando sobre a inspeção. Viajar requer alguma paciência, muito bom humor e disposição.

Agora, resta a certeza: voltaremos!

Pais&Filhos TV