Mais

Dar “bom-dia” é sinal de boa educação

Para os franceses, dizer bonjour (bom-dia) e au revoir (adeus) é reconhecer a humanidade do outro. E as crianças precisam aprender isso desde pequenas

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Para a maioria das mães, é essencial que as crianças aprendem desde as primeiras palavras a dizer “por favor” e “obrigado” sempre que pedem alguma coisa e são atendidas. Na França, esses ensinamentos são só metade do caminho para as crianças mostrarem que são bem-educadas e para os pais se ocuparem vários momentos do dia ensinando. Na verdade, o costume francês é que as crianças digam “bom dia” e “adeus” sempre que chegam e saem de algum lugar.

A maioria dos franceses, de acordo com a autora do livro “Crianças Francesas Não fazem Manha”, Pamela Druckerman, ensinam seus filhos desde muito pequenos a importância de cumprimentar os adultos sempre que estiverem por perto. Dar “bom dia” é reconhecer o outro como ser humano. Antes de ser servido no restaurante, antes de pedir seu número da calça, antes mesmo de começar uma conversa com alguém, cumprimentos fazem parte da boa educação.

Anúncio

FECHAR

Por isso, até mesmo as pré-escolas francesas passam grande parte do tempo mostrando para as crianças a importância dessas duas expressões. “Honestamente, na França, a criança que chega em algum lugar e não diz bonjour monsier, bonjour madame é uma criança que acaba sendo rejeitada”, diz Audrey Goutard, jornalista entrevistada por Pamela.

Além de ser um medidor para saber o quanto a criança é bem-educada e simpática, os cumprimentos são termômetros de quem são os pais dessa criança. Afinal, os pais mais bem preparados educam melhor os filhos. Quando a criança não diz “bonjour” ao entrar na casa de uma amiga dos pais ou ao sentar-se à mesa do restaurante, provavelmente um francês vai interpretar que aqueles pais não cuidaram o suficiente da educação dos filhos.

Matermelle

Antes de iniciarem as aulas convencionais, aos sete anos de idade, as crianças francesas vão para um tipo de pré-escola onde não aprendem alfabeto, as operações básicas de matemática ou o nome dos bichos. Aprendem principalmente a se relacionar com as outras crianças, a respeitarem os professores.

“A matermelle tem objetivos grandiosos. Ela é, em efeito, um projeto nacional para transformar as crianças egocêntricas de 3 anos do país em pessoas civilizadas e com empatia”, escreve Pamela. Para os pais, é fornecido pelo governo um livrinho onde são esclarecidos os principais objetivos da pré-escola, principalmente a questão da linguagem, que deve ser “rica, organizada e compreensível”.

Para os franceses, a criança que se comunica bem também sabe organizar seus pensamentos de forma coerente e esse é o principal objetivo dos professores quando as crianças começam a se expressar. Além disso, os pais podem deixar seus filhos durante o dia todo na escolinha enquanto trabalham e até levá-los para brincar no mesmo espaço durante as férias.

Confira o que rolou no Seminário: