Mais

Ácido bom

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

É comum os médicos receitarem a suplementação de ácido fólico durante a gravidez. Mas você realmente sabe a importância dele? A gente te conta.

Se você está grávida ou está planejando ficar, já deve ter ouvido falar do ácido fólico. Se não, pode apostar que ainda vai escutar, pois ele tem uma importância enorme. Parte das vitaminas que compõem o Complexo B, o ácido fólico é fundamental, principalmente nas doze primeiras semanas de gestação.

As mudanças que ocorrem no corpo da mulher e o crescimento e formação do feto aumentam (e muito) a demanda do organismo pela substância. Claro que podemos encontrar o nutriente nos alimentos que consumimos no dia a dia. Mesmo assim, as mulheres grávidas ficam propensas a desenvolver deficiência de ácido fólico.

Anúncio

FECHAR

Quando se trata da prevenção das más-formações nos bebês, ele é a substância mais importante. “A suplementação feita durante o primeiro trimestre reduz o risco de ocorrência de defeitos do tubo neural (estrutura do embrião que origina o cérebro e a medula espinhal) em cerca de 50%”, diz a ginecologista e obstetra Karina Zulli, filha de Maria Alice e José Carlos.

Isso acontece porque é durante este período que o bebê vai ser totalmente formado, para, nos meses seguintes, se desenvolver bem. O ácido fólico é uma das vitaminas que facilita o processo de divisão celular, que acontece rapidamente, logo nas primeiras semanas, e dá origem aos órgãos.

As más-formações mais frequentes são: o lábio leporino, quando a criança tem uma abertura na região do lábio ou no céu da boca, resultado do não-fechamento da região, ainda em fase embrionária; e a espinha bífida, que é a formação incompleta da medula espinhal e que acarreta outros problemas de saúde, que podem limitar a vida do feto.

Nas primeiras consultas do pré-natal, os médicos costumam indicar a complementação de ácido fólico. “Tem que ser mesmo a parte. Geralmente, é indicado um comprimido de cinco miligramas”, conta a ginecologista e obstetra Rita Sanchez, mãe de Victória.

Todas as grávidas são orientadas a manter uma alimentação balanceada e variada. Saladas e frutas devem ser inseridas nas refeições. E isso não é nenhuma novidade. De acordo com a nutricionista Priscilla Kaktsuka, mãe de Heitor, as folhas verde-escuras, fígado, gema de ovo e feijão são os principais alimentos que nos fornecem ácido fólico. Mas não é preciso sair comendo quilos de fígado desesperadamente. É necessário variedade. “O prato variado é um prato colorido”, indica Priscilla.

Qualquer alimento que passa por algum tipo de processamento acaba perdendo um pouco de seus nutrientes, por isso evite congelar e descongelar o feijão; cozinhe os brócolis no vapor ou com pouca água. E não tem problema nenhum não gostar de fígado. “Hoje em dia, não tem mais aquele mito de que ovo faz mal. O importante é não exagerar. Consuma, aproximadamente, três ovos por semana”, alerta a nutricionista.

Além da prevenção de más-formações, o ácido fólico está envolvido na formação das células do sistema imunológico, na hemoglobina (que facilita o transporte de oxigênio pelo sangue), na redução do mal de Alzheimer, no controle da hipertensão e na precaução de doenças cardíacas.

Para termos uma dimensão da importância do ácido fólico, em 2004, a ANVISA (Agência Nacional da Vigilância Sanitária) tornou obrigatória a inclusão do nutriente nas farinhas de trigo e de milho e em seus subprodutos. “Eu acho fundamental. É uma prevenção barata e fácil”, opina o ginecologista Luiz Flávio Fernandes, pai de Maria. Mas, ainda assim, é preciso fazer a complementação do ácido fólico.

E não são só as grávidas que precisam complementar a dieta. Quem está planejando ser mãe também. “É preciso repor as reservas, por pelo menos dois meses antes de engravidar. Na gestação, ele vai ser todo utilizado para o desenvolvimento do feto”, explica Rita Sanchez, que completa dizendo que quem tomou anticoncepcional por muito tempo tem as reservas do nutriente diminuídas.

Se você já está grávida ou está planejando ter um bebê, procure um especialista. Nunca tome medicação sem a supervisão de um profissional.

Os + em matéria de ácido fólico, eles são campeões:
• Brócolis
• Gema de ovo
• Espinafre
• Feijão

Consultoria: Karina Zulli, filha de Maria Alice e José Carlos, é ginecologista e obstetra do Hospital e Maternidade São Luiz. Luiz Flávio Fernandes, pai de Maria, é ginecologista do Hospital Sírio Libanês. Priscilla Kaktsuka, mãe de Heitor, é nutricionista do Hospital Samaritano. Rita Sanchez, mãe de Victória, é ginecologista e obstetra do Hospital Israelita Albert Einstein. 

Pais&Filhos TV