Gravidez

Tatuagem na gravidez: pode ou não pode?

Ginecologista explica que procedimento traz sérios riscos para feto e mãe

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

 

Se você pensa em fazer uma tatuagem durante a gravidez, desista. É melhor esperar pelo menos até 40 dias após o parto. Essa é uma fase na qual ocorrem diversas mudanças na pele (que se estica muito) e em todo o organismo da mulher, que se adapta às necessidades do bebê que vem por aí.

Anúncio

FECHAR

Segundo a ginecologista e obstetra Bárbara Murayama, mãe de Pedro,a tatuagem durante a gravidez pode ser prejudicial, tanto para a mãe quanto para o bebê. “Todos os órgãos do nosso corpo passam por algum tipo de mudança, sem contar as mudanças emocionais, por causa do turbilhão hormonal”, explica. A imunidade da mulher fica mais baixa e, por isso, ele fica mais suscetível a contrair infecções e doenças. “A tatuagem não deve ser feita durante a gravidez nem no período de resguardo, quando o corpo está se recuperando”, orienta.

Além disso, se o procedimento for feito na região das costas, isso pode atrapalhar na aplicação da anestesia na hora do parto. Não se esqueça que, depois da gravidez, o seu corpo, aos poucos, voltará ao normal. Mas, logo após o parto, você estará com alguns quilos a mais e apresentará flacidez na pele, o que também não favorece a tatuagem: você não vai ter certeza de como o desenho vai ficar, pois o seu corpo estará passando por mudanças.

E para o bebê?

Enquanto a mãe pode correr o risco de ter uma infecção na pele, o bebê também será prejudicado. “É difícil saber a origem das tintas, o que pode prejudicar o feto de alguma maneira”, alerta Bárbara Murayama. Se o material utilizado não for esterilizado adequadamente, ainda existe o risco da contaminação por vírus como hepatite B, C e HIV.

 

Consultoria:

Bárbara Muyama, mãe de Pedro, é ginecologista, obstetra e especialista em histeroscopia pela Unifesp, membro da FEBRASGO e diretora clínica da Gergin. Relata suas experiências como médica e mãe no blog “Quando a obstetra engravida”.