Gravidez

Descolamento prematuro de placenta: o que é, por que acontece, riscos e como identificar

O descolamento prematuro de placenta é raro, mas pode trazer riscos para o bebê - Shutterstock
Shutterstock

Publicado em 29/07/2021, às 11h30 - Atualizado em 12/04/2023, às 14h23 por Cinthia Jardim, filha de Luzinete e Marco


O Descolamento Prematuro de Placenta (DPP) é uma situação bastante grave na gestação, apesar de ser rara. Mas, é importante reforçar ainda que ela é bem diferente dos sangramentos que podem ocorrer no início da gravidez, chamados de hemorragia do primeiro trimestre, ou descolamento ovular. A placenta termina, de fato, se desenvolver por volta das 16 semanas, ou seja, antes disso não existe uma formação completa.

De acordo com o ginecologista e obstetra, Dr Igor Padovesi, pai de Beatriz e Guilherme, e colunista da Pais&Filhos, o DPP acontece, mais ou menos, em uma a cada mil gestações. Por isso, esclarecemos as principais dúvidas sobre o assunto e o que precisa ser feito caso a condição aconteça.

O que é Descolamento Prematuro de Placenta?

O Descolamento Prematuro de Placenta é quando o órgão se descola da parede uterina, podendo trazer diversos riscos para o bebê. “A placenta fica grudada no útero da mulher e, nessa superfície em que está aderida, é onde acontecem as trocas de oxigênio e nutrientes”, explica o médico. Geralmente, quando uma parte da placenta se descola, pode haver um acúmulo de sangue entre ela e o útero. Vale lembrar ainda que o fator ocorre no terceiro trimestre da gravidez.

O descolamento prematuro de placenta é raro, mas pode trazer riscos para o bebê (Foto: Shutterstock)

Principais funções da placenta

  • Fornecer nutrientes e oxigênio para o bebê
  • Estimular a produção de hormônios essenciais para a gestação
  • Proteger o bebê contra impactos na barriga da mãe
  • Fornecer proteção imunológica ao bebê
  • Eliminar resíduos produzidos pelo bebê, como a urina

Como a placenta é formada?

É formada por células tanto do útero quanto do bebê. O crescimento da placenta é rápido e por volta das 16 semanas de gestação, tem o mesmo tamanho que o feto. No final da gravidez, o bebê já está cerca de 6 vezes mais pesado que a placenta. A placenta é eliminada no momento do parto, seja cesárea ou natural. Durante o parto normal, a placenta sai espontaneamente após 4 a 5 contrações uterinas, que são bem menos dolorosas que as contrações uterinas que acontecem durante a saída do bebê.

Como saber se a placenta descolou

O obstetra explica que quase sempre há um sangramento e ele se exterioriza em uma cor bastante viva. Além disso, é possível que a grávida sinta dor pélvica e uma sensação do útero contraído. “É uma das únicas emergências obstétricas que falamos para a mulher correr para o hospital mais perto e fazer o parto imediatamente”, alerta.

“Quando palpamos o útero da grávida, percebemos que ele está duro e ele não relaxa. Isso é bastante sugestivo do descolamento”, explica Igor Padovesi. Infelizmente, não é possível identificar o problema com antecedência, pois ele costuma ser uma ocorrência ocasional e que precisa de cuidados médicos imediatamente.

É possível prevenir o descolamento de placenta?

Não é possível prevenir o descolamento de placenta, mas se a grávida tiver algum tipo de predisposição para que o fator aconteça, deve-se observar de perto. “Doenças hipertensivas, a pré-eclâmpsia e a eclampsia, são mais associadas a isso. Alguns outros distúrbios relacionados a coagulação, por exemplo, trombofilias e síndromes antifosfolípide, também são fatores ligados ao descolamento de placenta”.

Por que o descolamento prematuro de placenta acontece?

Não se sabe ao certo o motivo da situação acontecer, mas os fatores de pré-eclâmpia, eclâmpsia, trombofilias, síndromes antifosfolípide, assim como doenças hipertensivas no geral e problemas de coagulação, podem contribuir. Mas, vale lembrar que nenhuma das situações são determinantes para o descolamento prematuro de placenta, pois é uma condição rara.

Diagnóstico de descolamento de placenta

É importante reforçar que o diagnóstico para detectar a condição não depende de exames de imagem, pois é uma situação emergencial em que é preciso agir imediatamente. Assim que a grávida chegar ao hospital com os sintomas de descolamento de placenta, independente da idade gestacional, é necessário fazer o parto naquele momento.

(Foto: Getty Images)

Na reta final da gravidez, é comum que a mulher tenha um sangramento leve e mais escuro, que não deve ser visto como um alerta. No caso do descolamento de placenta, há uma hemorragia intensa, na cor vermelho vivo, que vem acompanhada de dor pélvica e contração do útero.

Riscos do descolamento de placenta

Os riscos em situações como essa são bastante graves, principalmente para o bebê. Se houver descolamento de placenta, o bebê precisa nascer prematuro, pois há uma taxa enorme de óbito fetal intraútero “se não der para fazer o parto em tempo”, segundo o médico obstetra. Mas, apesar de ser um fator bastante considerável, Igor Padovesi tranquiliza e reforça que a situação é muito rara de acontecer.

Quais os possíveis destinos da placenta após o parto?

A placenta é tratada, em muitos lugares, como lixo hospitalar e descartada depois do nascimento do bebê, quando é expelida. Com tantos tabus em torno desse órgão que se desenvolve apenas durante a gravidez — a placenta possui início, meio e fim — é comum que as mulheres tenham dúvidas e até mesmo estranhamento ao ouvirem falar sobre placentofagia, o ato de comer a placenta após o nascimento, comum entre os demais mamíferos. E cada vez mais famílias decidem escolher outro fim ao órgão que nutriu o seu bebê durante a gravidez.

Fonte: Dr Igor Padovesi, Ginecologista e Obstetra da USP e do Hosp. Albert Einstein, colunista e embaixador da Pais&Filhos, e pai de Beatriz e Guilherme. www.igorpadovesi.com.br


Leia também

Imagem Nomes femininos raros: veja opções chiques e únicas para meninas

Bebês

Nomes femininos raros: veja opções chiques e únicas para meninas

Pai de Davi - (Foto: Reprodução/Instagram)

Família

Pai de Davi não concorda com posição do filho e decide ir morar com Mani

Imagem Pai de Henry Borel comemora nascimento de filha três anos após tragédia

Família

Pai de Henry Borel comemora nascimento de filha três anos após tragédia

Copo Stanley - Divulgação

Super desconto

App Day Amazon: os famosos copos térmicos da Stanley com até 55% de desconto

Se você procura um nome de menina, aqui estão 180 ideias diferentes - Pexels/Moose Photos

Bebês

180 nomes femininos diferentes: ideias de A a Z para você chamar a sua filha

Isabella Fiorentino explica o motivo de não mostrar o rosto do filhos - Reprodução/ Instagram

Família

Isabella Fiorentino explica o motivo de não mostrar o rosto dos filhos em fotos nas redes sociais

Taiza Krueder, do Clara Resort, fala sobre carreira e maternidade - (Foto: Arquivo Pessoal)

Família

Taiza Krueder, CEO do Clara Resort, fala sobre inspiração da família no trabalho: "Criei 3 filhos aqui dentro"

Virginia Fonseca - (Foto: Reprodução/Instagram)

Família

Virginia Fonseca toma atitude após Maria Alice empurrar Maria Flor: “Dói mais na gente”