Gravidez

Consumo de álcool durante a gravidez causa sequelas irreversíveis

Para evitar a Síndrome Alcoólica Fetal é fácil: é só não beber na gravidez e nem durante a amamentação

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Enquanto o bebê está na barriga da mãe, ela é, além de uma proteção, a única fonte de nutrientes e anticorpos que ele tem. O problema é que além das coisas boas isso vale também pras coisas ruins. Como assim? É que algumas mulheres, mesmo grávidas, continuam bebendo, o que pode desencadear a Síndrome Alcoólica Fetal (SAF), uma doença que atinge, no mundo, 1 a 3 casos por 1000 nascidos vivos.  

De acordo com a coordenadora do grupo de Prevenção dos Efeitos do Álcool da Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP), Conceição Aparecida Mattos Sagre, o consumo de álcool pode provocar abortamento, natimortalidade, má formação do feto e problemas neurológicos.

“Quando a mãe ingere uma dose de álcool, em 1 hora e meia já chegou na circulação do feto. Além disso, a bebida se acumula no líquido amniótico e pode afetar qualquer órgão do bebê”, alerta.

Anúncio

FECHAR

Conceição explica que algumas mulheres ficam sem beber durante a gestação mas não mantêm o hábito enquanto estão amamentando. O perigo é o mesmo, pois o teor alcoólico é passado pelo leite. Isso pode fazer com que o bebê não se desenvolva direito e manifeste outros sintomas neurológicos quando for mais velho.

A Síndrome Alcoólica Fetal não tem cura e suas sequelas se refletem pelo resto da vida do bebê. A boa notícia é que ela é totalmente passível de prevenção se a mulher não ingerir álcool durante a gestação e enquanto estiver amamentando.

Leia também: Beber nem pensar  

Campanha Gravidez sem Álcool

 Como a falta de informação sobre o assunto ainda é um problema presente, a Sociedade de Pediatria de São Paulo, em parceria com outras entidades e com o SBT, lança a campanha Gravidez sem Álcool, tendo a apresentadora Patrícia Abravanel como embaixadora da causa.

“O intuito é conscientizar a população sobre o problema e suas consequências. Como  metade das gestações não são programadas, as mulheres descobrem que estão grávidas depois da 5ª semana, isso já é suficiente para trazer riscos à saúde do bebê”, esclarece.

Leia também: 6 coquetéis sem álcool para curtir as festas

Informação é a solução

No próximo domingo (28), será realizada a I Caminhada no Parque Contra Síndrome Alcoólica Fetal (SAF), às 10h da manhã, no Parque Villa Lobos, em São Paulo. O encontro tem o intuito de fortalecer a ideia de que álcool e gravidez não combinam. E contará com a presença de artistas com barrigas falsas e gestantes que aderiram ao movimento.

Além disso, médicos especializados em ginecologia, obstetrícia e pediatria estarão em posição estratégica, na entrada principal do parque, orientando a comunidade sobre esse problema de saúde pública.