Gravidez

10 medos comuns na gravidez

Elencamos 10 preocupações que são comuns às grávidas. Veja em quais delas você se reconhece

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

medos comuns na gravidez

Grávidas são ansiosas por natureza. E não é pra menos, afinal, depois de se descobrir esperando um bebê, ainda têm que esperar meses e meses até poder pegar o pequeno no colo. O problema é que nesse meio-tempo as expectativas vêm acompanhadas de alguns medos que, às vezes, se tornam sérias preocupações. Veja se você se reconhece em alguns deles e tente ficar tranquila! Esse é um momento muito especial da sua vida e você merece aproveitá-lo.

 1-      Aborto espontâneo

Anúncio

FECHAR

Passada a euforia da confirmação da gravidez, muitas vezes vem o medo de sofrer um aborto espontâneo, principalmente durante os três primeiros meses. É por isso que, em geral, a gente espera passar esse tempinho pra espalhar a notícia (e haja força de vontade pra não sair contando pra todo mundo o motivo de tanta felicidade!). Essa tensão no primeiro trimestre acontece porque é nessa fase que há um risco maior de interrupção da gravidez – mas nada de desespero! A maioria das gestações segue até o fim sem grandes complicações.

 2-      Enjoos

Os famosos enjoos costumam aparecer até mesmo antes de a mulher ter certeza de que está grávida, mas o medo de que, por causa deles, o bebê não esteja sendo nutrido da forma ideal preocupa bastante as futuras mães. A boa notícia é que, em geral, isso não é motivo de preocupação, já que no primeiro trimestre (fase em que os enjoos são mais frequentes) a quantidade de nutrientes de que o bebê precisa ainda é muito pequena. De qualquer forma, é a opinião médica que vai te dizer como as coisas estão evoluindo.

 3-      Nascer com algum problema

Outro medo comum às grávidas é de que o bebê nasça com alguma malformação. Isso é natural, afinal, todas nós queremos que nossos filhos sejam perfeitos e saudáveis. Os exames de rotina, como o ultrassom, por exemplo, costumam amenizar essa ansiedade, assim como as conversas com o médico.

 4-      As dores do parto

Ahhh, a dor do parto. Desde pequenas ouvimos histórias de como nossa mãe ou nossas avós sofreram para dar à luz. E não tem jeito. Por mais que hoje em dia exista anestesia, o medo de sentir dor é mais comum do que se imagina. O essencial (é difícil, mas vai lá, não custa tentar!) é não criar tanta expectativa. Converse com o seu médico e, se achar legal, procure aprender técnicas de relaxamento.

 5-      O medo da agulha

A anestesia é um passo essencial pra quem tem medo de sentir dor, mas o que muita gente esquece é que pra chegar a ela tem um pequeno obstáculo a ser superado: a agulha. Isso pode não fazer diferença pra muita gente, mas pra quem tem medo da picada é um motivo a mais pra ficar ansiosa. De novo: não crie expectativas! Certamente na hora H você vai estar tão envolvida ali que nem vai se preocupar com esse detalhe. Lembre-se: é isso que vai te ajudar a trazer o seu bebê ao mundo!

 6-      Mil e uma funções

Você se lembra de como a sua mãe se desdobrava em cinco pra cuidar de você, da sua irmã recém-nascida, da casa, do trabalho e – ah, é mesmo, também se lembrar do marido? E se só de pensar nisso você começa a entrar em pânico, não se sinta só. Isso acontece com todo mundo. Um bebê é uma vida da qual você vai ter que cuidar e, por algum tempo, ele vai precisar de você pra quase tudo. E não precisa ter medo ou assistir a todos os tutoriais de maternidade que encontrar pela frente. O tempo e a prática vão tornar as coisas muito mais simples do que você imagina.

 7-      Sexo na gravidez. Pode?

Por mais que o médico diga que não há nenhuma restrição ao sexo durante a gravidez, é comum ficar com medo. E se machucar o bebê? E se causar um parto prematuro? Em geral, as relações sexuais são liberadas na gestação – mas isso é o seu médico que vai determinar! Há casos em que há riscos mesmo (por exemplo, quando a mulher tem dilatação antes do esperado), e aí não tem jeito. Mas se não houver restrição médica, não há motivos pra se preocupar.

 8-      O medo de amamentar

A amamentação é outra preocupação comum às mulheres que estão esperando bebê. Seja pelo medo de não ter leite o suficiente, de sentir muita dor ou até de ter a pele dos seios muito sensível e de ficar facilmente machucada. Pra tornar essa espera menos angustiante, já procure se informar (frequentar um curso pra gestantes ajuda muito!). Logo que o bebê nascer, peça ajuda. Com orientação das enfermeiras e do seu médico, certamente tudo vai ficar mais fácil.

 9-      Recuperar a velha forma

“Será que vou conseguir eliminar todos esses quilos que ganhei na gravidez? E aquela calça que eu amo, será que vai ficar pra sempre pendurada no cabide?!” O medo de não recuperar o corpo anterior à gravidez é normal e ninguém precisa se sentir egoísta por isso – a vaidade faz muito bem, obrigada. O importante nessa história é não se basear nas artistas da TV que aparecem com a barriga lisinha dois meses depois do parto. Como meras mortais que somos, vamos levar um tempinho pra voltar à velha forma, mas tudo a seu tempo! Uma dica é tentar não engordar muito mais que o recomendado durante a gestação. Lembre-se de que você não precisa comer por dois.

 10-   Ser uma boa mãe

O medo universal. Mas pensa só: se você ainda está grávida, mas já tem toda essa preocupação, não há dúvidas de que será uma boa mãe, certo? Talvez você não consiga trocar fraldas com aquela destreza, talvez vire a casa de cabeça pra baixo pra dar os primeiros banhos no bebê, mas se tiver amor e carinho, já é meio caminho andado. Aliás, é muito mais que isso. Amor e carinho é tudo na vida de uma criança. E quanto às tarefas “práticas”? Bom, disso o tempo dá conta…