Família

Vacina contra covid-19 será anual? Veja o que sabemos sobre os próximos passos da imunização

24,4% da população adulta no Brasil já tomou a primeira dose contra a covid-19 - iStock
iStock

Publicado em 11/06/2021, às 14h29 por Cinthia Jardim, filha de Luzinete e Marco


Até o momento, o Brasil aplicou a primeira dose da vacina contra a covid-19 em 52.429.219 pessoas, representando 24,4% da população, segundo dados apresentados pela Our World In Data, da Universidade de Oxford. Mas, até que haja a imunização completa, o processo ainda pode levar um tempo.

A doença, em muitos aspectos, ainda chega a ser uma incógnita e mesmo em 2021, é preciso se cuidar, usar máscaras, manter o distanciamento e higienizar as mãos de maneira adequada. Uma das maiores dúvidas é sobre quanto tempo a proteção das vacinas pode durar no organismo e se será necessário a imunização anual, assim como a vacinação contra a gripe.

Apesar de ainda não ser possível prever como será a imunização no futuro, é bastante provável que a imunidade não será breve. Um dos possíveis cenários, é aquele em que a vacinação contra a covid-19 comece a fazer parte das campanhas anuais. “Imaginamos, mas não sabemos. Ainda estamos em um momento de entender as variantese se as vacinas que estiverem disponíveis vão suportar as mutações que vão aparecer”, explica Ester Cerdeira Sabino, Professora Associada do Departamento de Moléstias Infecciosas e Parasitárias da Faculdade de Medicina da USP-FMUSP e Coordenadora do Projeto SAMI-TROP do National Institute of Health, durante o Fórum Brasil Imune, promovido pelo Instituto Lada a Lado pela Vida nos dias 9 e 10 de junho.

24,4% da população adulta no Brasil já tomou a primeira dose contra a covid-19 (Foto: iStock)

Mas, como fica a seleção de quem vai receber cada uma das vacinas? A segunda dose será sempre do mesmo imunizante?

Durante o evento, Andressa Simonini, editora-executiva da Pais&Filhos, filha de Branca Helena e Igor, fez um comentário bastante relevante sobre uma experiência pessoal, que compartilhou no Fórum Brasil Imune. “Muitas pessoas estão querendo escolher qual o laboratório e a marca da vacina que vão tomar. Então, se naquele posto de saúde não tiver – eu vi essa cena várias vezes – a pessoa vira as costas e vai embora, sendo que ela tem a possibilidade de se vacinar”.

Até o momento, estão disponíveis no Brasil a CoronaVac, AstraZeneca e Pfizer para a imunização contra a covid-19. Mas, Ana Paula Burian, Pediatra, Infectologista e Coordenadora do Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIE), faz uma reflexão sobre a questão da preferência por imunizantes: “Quando pensamos em vacinação, existiu muita resistência, e ainda existe, sobre a população escolher as vacinas. Os profissionais da saúde, em momento nenhum, escolheram qual vacina iriam tomar”.

No Brasil, a CoronaVac é produzida a partir de um vírus inativado, já a vacina de Oxford por um adenovírus de chimpanzé modificado, que não causa a doença nos humanos. “Por enquanto, não vão intercambiar as vacinas porque não se sabe a resposta que isso provocaria. É garantido, então, que a pessoa que tomar a primeira dose poderá tomar a segunda dose do mesmo imunizante”, comenta Melissa Valentini, infectologista e assessora médica do Grupo Pardini, mãe de Luiza e Giovanni.

Ainda não se sabe se a vacinação contra a covid-19 terá uma campanha anual assim como a da gripe (Foto: Freepick)

As vacinas impedem ser contaminado pela covid-19?

Segundo Gerson Salvador, médico especialista em infectologia e saúde pública da Universidade de São Paulo (USP), pai de Laura, Lucas e Luís, as vacinas foram estudadas para avaliar a infecção sintomática e não para prevenir. Dessa forma, o paciente terá uma menor chance de adoecer ou ter a forma grave da doença. “Só que ninguém garante que você não vai contrair o vírus. Por isso, é muito importante manter o distanciamento físico, o uso das máscaras e a higiene das mãos”.

Além disso, é esperado ainda que a vacina contra a covid-19 possa proteger mais do que uma reinfecção natural: “Vale lembrar que todas as vacinas que estão sendo produzidas no mundo não foram desenvolvidas para impedir a infeção, mas sim para diminuir a doença. Como estamos vacinando com um alto número de transmissão, precisamos tomar cuidado para não criar novas cepas”, conclui Ester Sabino.


Leia também

Imagem Nomes femininos raros: veja opções chiques e únicas para meninas

Bebês

Nomes femininos raros: veja opções chiques e únicas para meninas

(Foto: Reprodução/Redes sociais)

Família

Mani recebe recado de Yasmin Brunet após anunciar fim da relação com Davi

Davi e Mani possuem 20 anos de diferença entre eles - Reprodução/Instagram

Família

Mani deixa de seguir Davi no Instagram e toma atitude sobre a relação com o campeão do BBB

Se você procura um nome de menina, aqui estão 180 ideias diferentes - Pexels/Moose Photos

Bebês

180 nomes femininos diferentes: ideias de A a Z para você chamar a sua filha

Os nomes japoneses femininos são lindos, fortes e possuem significados encantadores - Getty Images

Bebês

Nomes japoneses femininos: 304 opções lindas para você conhecer

De A a Z: confira os nomes femininos americanos para te inspirar - Getty Images

Bebês

Nomes americanos femininos: mais de 1000 opções diferentes para você se inspirar

Andreas Richthofen vive isolado - (Foto: Reprodução/Instagram)

Família

Andreas Richthofen dá 1ª entrevista e diz que procura a irmã há 4 anos: "Tem assuntos pendentes"

Sabrina Sato compartilha momentos da viagem para Paris com Zoe, Nicolas Prattes e família do ator - (Foto: reprodução/Instagram)

Família

Sabrina Sato se declara para Nicolas Prattes após Duda Nagle anunciar separação