Família

Ultrassom transvaginal: o que é, preparo, como é feito, para que serve e quando você deve fazer

O ultrassom transvaginal avalia a partir de imagens o canal vaginal, colo do útero, útero, trompas de Falópio e os ovários da mulher e funciona como um exame preventivo - Getty Images
Getty Images

Publicado em 05/03/2021, às 08h03 - Atualizado em 12/04/2023, às 14h28 por Cinthia Jardim, filha de Luzinete e Marco


Você sabia que o ultrassom transvaginal pode avaliar o canal vaginal, colo do útero, útero, trompas de Falópio e os ovários da mulher? O exame, superimportante para prevenir diversos problemas de saúde, geralmente é feito de forma anual como prevenção.

O ultrassom transvaginal avalia a partir de imagens o canal vaginal, colo do útero, útero, trompas de Falópio e os ovários da mulher e funciona como um exame preventivo  (Foto: Getty Images)

Infelizmente, no Brasil, segundo uma pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC) em 2018, cerca de 20% das mulheres disseram que não costumam realizar exames preventivospor não acharem necessários. Mas, vale lembrar que o ultrassom transvaginal não deve ser deixado de lado! Ele é simples, indolor e rápido. Veja as principais dúvidas sobre o tema:

O que é o ultrassom transvaginal e para que serve?

Também conhecido como ultrassonografia transvaginal, ou ainda apenas transvaginal, o exame pode diagnosticar problemas na região pélvica, como, por exemplo, gravidez ectópica, cistos, infecções, câncer, ou confirmar uma gravidez. “O ultrassom é um exame de imagem que consegue avaliar tamanho do útero e ovários”, explica

O ultrassom transvaginal é bastante simples, não é doloroso e, geralmente, é um dos principais exames recomendados pelo ginecologista, seja para uma avaliação de rotina, ou ainda para identificar alterações no sistema reprodutor feminino.  De acordo com o ginecologista e obstetra, Dr. Igor Padovesi, embaixador e colunista da Pais&Filhos, pai de Beatriz e Guilherme, “ele serve para diagnosticar problemas no útero e nos ovários, como cistos, nódulos, miomas, pólipos. São condições que podem ter algum prejuízo na saúde da mulher, inclusive com relação a possíveis doenças no útero e ovários, e infertilidade“. Além disso, o ultrassom transvaginal também auxilia na colocação do DIU!

Como o ultrassom transvaginal é feito

Com a mulher deitada na cadeira ginecológica, as pernas ficam abertas e levemente dobradas. O médico especialista irá inserir o aparelho de ultrassom, protegido com uma camisinha e lubrificante, no canal vaginal. A análise dura em média de 10 a 15 minutos com o aparelho parado, mas há a possibilidade de movimentos para captar melhores imagens do canal. É possível sentir uma leve pressão na barriga ou interior da vagina, mas sem causar dor. Se a paciente notar um incômodo muito grande, o ginecologista deve ser avisado imediatamente.

Ultrassom transvaginal na gravidez

Sim, o exame também pode confirmar uma possível gravidez! Além disso, a partir do ultrassom transvaginal, é possível monitorar os batimentos cardíacos do bebê, examinar a placenta, checar causas de um sangramento vaginal e ainda identificar os primeiros sinais de um aborto espontâneo, por exemplo. Nos casos de uma gravidez precoce, o exame pode ser recomendado no primeiro trimestre da gestação.

Quem deve fazer o ultrassom transvaginal e qual a periodicidade

O exame é apenas recomendado para as mulheres que já tiveram relações sexuais. Já quanto a periodicidade da ultrassom, o profissional de saúde deve avaliar cada caso isoladamente, mas, por ser um exame de rotina, o ideal é de que ele seja realizado cerca de uma vez ao ano.

Sobre qual o melhor momento para realizar o exame, Monique Valois, ginecologista membro da Doctoralia e mãe de Maria, diz que “em caso de ultrassonografia de rotina, pode ser realizada em qualquer período. Caso sua ginecologista suspeite de alguma doença em específico, ela irá orientar qual o melhor período pra realização do exame”.

“A realização de consulta ginecológica de rotina, bem como a realização desses exames periodicamente possibilita o diagnóstico e prevenção de muitas doenças. O tratamento precoce de algumas dessas afecções ginecológicas possibilita melhor qualidade de vida”, alerta Monique.

Posso fazer o transvaginal menstruada?

O ideal, de acordo com Igor Padovesi, é realizar fora do período menstrual, ou seja, entre a menstruação e a ovulação. Mas, o especialista explica que ele pode sim ser feito caso a mulher esteja menstruada. A única recomendação, é de que a paciente retire o absorvente interno antes de fazer o ultrassom caso esteja usando um.

Tem que se depilar para fazer ultrassom transvaginal?

Não há necessidade, apenas se a paciente não se sentir confortável. Isso não irá interferir no resultado final do ultrassom transvaginal, ou atrapalhar o procedimento de alguma maneira.

Pode ter relações sexuais antes do ultrassom transvaginal?

Sim! O exame não exige nenhum tipo de preparo específico, sendo recomendado apenas que a paciente tome um banho antes do ultrassom transvaginal, fique de olho quando a higiene íntima e use roupas confortáveis e que possam ser retiradas de forma fácil, mas não é uma regra.

Cerca de 20% das mulheres, em uma pesquisa feita pela Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC) não costumam fazer exames preventivos anualmente  (Foto: Shutterstock)

Ainda sobre o preparo do exame, o médico especialista pode recomendar realizar o ultrassom com a bexiga cheia. O objetivo é afastar o intestino, melhorando assim na captura das imagens. Para isso, se pedido, beba alguns copos de água antes do exame e evite usar o banheiro até o término do procedimento.

Quanto custa para fazer o ultrassom transvaginal?

Apesar do exame ser realizado de forma gratuita pelo Sistema único de Saúde (SUS), o ultrassom transvaginal pode custar em média R$ 75,00 nas clínicas populares, ou a partir de R$ 116,00 em laboratórios. Vale lembrar ainda que diversos convênios cobrem o procedimento.

Papanicolau X Ultrassom Transvaginal

Ambos os exames são completamente diferentes, seja nos resultados e também na maneira de serem realizados. Mas, o que o papanicolaue o ultrassom transvaginal tem em comum, é a importância para a saúde da mulher, e não se deve abrir mão de nenhum deles. No caso do papanicolau, o exame é feito como forma de prevenir o câncer de colo de útero e outras doenças femininas, identificar o vírus HPV, verificar a presença de lesões e também células escamosas incomuns e analisar como está a parede do colo do útero. Vale lembrar ainda que o papanicolau é focado em analisar as células.

Já no ultrassom transvaginal, o exame de imagem avalia o endométrio, útero, bexiga, trompas de falópio, ovários e canal vaginal. A partir dele, pode-se analisar cistos nos ovários, miomas, pólipos, infecções, endometriose, sangramento e tumores. Tanto o transvaginal como o papanicolau são seguros e indolores para a mulher.


Leia também

Imagem Nomes femininos raros: veja opções chiques e únicas para meninas

Bebês

Nomes femininos raros: veja opções chiques e únicas para meninas

Pai de Davi - (Foto: Reprodução/Instagram)

Família

Pai de Davi não concorda com posição do filho e decide ir morar com Mani

Imagem Pai de Henry Borel comemora nascimento de filha três anos após tragédia

Família

Pai de Henry Borel comemora nascimento de filha três anos após tragédia

Se você procura um nome de menina, aqui estão 180 ideias diferentes - Pexels/Moose Photos

Bebês

180 nomes femininos diferentes: ideias de A a Z para você chamar a sua filha

Virginia Fonseca - (Foto: Reprodução/Instagram)

Família

Virginia Fonseca toma atitude após Maria Alice empurrar Maria Flor: “Dói mais na gente”

De A a Z: confira os nomes femininos americanos para te inspirar - Getty Images

Bebês

Nomes americanos femininos: mais de 1000 opções diferentes para você se inspirar

Copo Stanley - Divulgação

Super desconto

App Day Amazon: os famosos copos térmicos da Stanley com até 55% de desconto

Isabella Fiorentino explica o motivo de não mostrar o rosto do filhos - Reprodução/ Instagram

Família

Isabella Fiorentino explica o motivo de não mostrar o rosto dos filhos em fotos nas redes sociais