Família

Professora impediu mais ataques de adolescente em escola de SP: “Conseguimos uma heroína”

Nenhuma criança foi ferida gravemente - Reprodução / Getty Images
Reprodução / Getty Images

Publicado em 27/03/2023, às 10h11 por Redação Pais&Filhos


Nesta segunda-feira, 27 de março, um adolescente esfaqueou quatro professoras e dois alunos em uma escola estadual em São Paulo. Segundo o governo do estado, uma das quatro professoras morreu, sendo ela, Elizabeth Tenreiro, de 71 anos. A fatalidade ocorreu na escola estadual Thomazia Montoro, na Vila Sônia, zona oeste de São Paulo.

O adolescente tem 13 anos e está no 8º ano do ensino fundamental 1. Após os ataques, ele foi preso pela polícia e as mulheres foram levadas para os hospitais da região. As outras três professoras foram: Jane Gasperini, Rita de Cássia Reis e Ana Célia Rosa.

O secretário da Educação, Renato Feder e o secretário de Segurança Pública, capitão Guilherme Derrite, falaram que a saúde das três professoras é estável. Um dos alunos está estável e o outro, em estado de choque, segundo a Folha de São Paulo. O garoto estava usando uma máscara de caveira na hora que atacou as professoras, segundo o circuito de segurança da escola.

Na hora do ataque, uma das professoras não percebe o aluno, que chega por trás dela. Ela foi golpeada nas costas e logo, caiu no chão. Na hora que o ataque começa, os alunos que estavam dentro da sala, tentam fugir da sala, mas alguns são golpeados também.

A criança contou detalhes do que sofreu
Nenhuma criança foi ferida gravemente (Foto: Reprodução / Getty Images)

Em um vídeo que a Folha teve acesso, é possível ver outra professora sendo atingida. Ela estava em pé e tentava se proteger com os braços. Ela então cai no chão, quando ainda recebe golpeadas do aluno. Até o momento em que duas outras professoras entram na sala e uma delas consegue imobilizar o garoto, enquanto a outra tira a faca da mão dele. Quem imobilizou ele foi Cítia, a professora de Educação Física.

Segundo o Capitão Guilherme Derrite, as mulheres conseguiram conter ele a tempo que ele não ferisse mais ninguém. “Ela imobilizou o agressor, fez com que a arma branca fosse retirada dele. Se não fosse essa ação, a tragédia teria sido maior”, pontou. “Nosso foco é dar assistências às vítimas e famílias que passaram por isso. Uma linha de investigação vai ser realizada para entendermos quais os motivos que levaram esse aluno a fazer esse atentado”.

O aluno esfaqueou 4 professoras (Foto: Reprodução/ Google Maps)

Já, Renato Feder contou sobre a professora que ajudou a parar o aluno: “Conseguimos uma heroína hoje, a professora Cíntia. Não tivemos nenhuma criança com ferimentos graves. Toda escola está muito triste. Difícil saber o que aconteceu e as motivações”.

O secretário da educação ainda completou, dizendo que a escola tinha uma ronda escolar, então ela agiu de forma rápida para que o aluno fosse apreendido. O garoto teria ido para essa escola transferido, no dia 15 de março deste ano. “Nesse período de permanência [do garoto na escola], a diretora não recebeu nenhum aviso e nem ciência de nada que chamasse atenção. A escola foi pega desprevenida”, seguiu.

Um dos alunos da escola falou para a Folha que semana passada, ele viu uma briga entre o garoto de 13 anos e outro estudante, em que foi separada por um professor. O adolescente que golpeou as professoras, chegou para aula nesta segunda-feira, colocou a máscara de caveira e foi para cima da professora. Ele disse que a professora Elizabeth era boa, carinhosa e deixava que os alunos dessem ideias de projetos educacionais.

Já, o governador do estado de São Paulo, Tarcísio de Freitas, usou as redes sociais para falar sobre o acontecido. “Não tenho palavras para expressar a minha tristeza com a notícia do ataque a alunos e professores da Escola Estadual Thomazia Montoro, na Vila Sônia. O adolescente de 13 anos já foi apreendido e nossos esforços estão concentrados em socorrer os feridos e acolher os familiares”. As aulas na escola estão suspensas até amanhã e São Paulo decretou três dias de luto pela morte da professora.

Rede de apoio no puerpério

A chegada de um filho significa uma nova rotina, saiba como familiares e amigos podem te ajudar nesse processo:


Leia também

Anna Jatobá retira sobrenome do ex-marido depois do fim do relacionamento - (Foto: Divulgação)

Família

Anna Jatobá e filhos excluem sobrenome de Alexandre Nardoni após separação

Jogador do Corinthians - (Foto: Reprodução/Instagram)

Família

Causa da morte de jovem após encontro com jogador do Corinthians vem à tona 2 meses depois

Pai que matou filha é morto na prisão - (Foto: reprodução/ Polícia Civil de SP)

Família

Pai suspeito de assassinar filha é morto na cadeia

Casal e bebê - (Foto: Reprodução/Freepik)

Bebês

Casal coloca bebê de 3 meses para adoção por estar "ocupados demais com o trabalho"

Maira Cardi muda nome e visual - (Foto: reprodução/Instagram)

Família

Maira Cardi surge irreconhecível e muda de nome ao voltar para redes sociais

Imagem Nomes femininos raros: veja opções chiques e únicas para meninas

Bebês

Nomes femininos raros: veja opções chiques e únicas para meninas

Foto: Reprodução/ Instagram

Bebês

Fernanda Paes Leme recusa visitas após o nascimento da filha: "Não consigo e não quero"

Se você procura um nome de menina, aqui estão 180 ideias diferentes - Pexels/Moose Photos

Bebês

180 nomes femininos diferentes: ideias de A a Z para você chamar a sua filha