Tudo sobre 🔍

Lipedema: entenda a doença relacionada à morte de Luana Andrade após lipoaspiração

Luana Andrade tinha lipedema, doença crônica que se caracteriza pelo depósito desproporcional de gordura nas pernas e braços - (Foto: Reprodução/Instagram)
(Foto: Reprodução/Instagram)

Publicado em 09/11/2023, às 16h39 por Jennifer Detlinger, Editora-chefe | Filha de Lucila e Paulo


Luana Andrade, influenciadora e assistente de palco do Domingo Legal, e ex-participante do reality show Power Couple, da Record, faleceu nesta terça-feira, 7 de novembro, aos 29 anos. 

A morte foi causada por uma embolia pulmonar maciça após complicações durante uma cirurgia de lipoaspiração --  o que levantou um debate nas redes sociais sobre a realização de procedimentos estéticos e a busca/cobrança por um corpo "perfeito".

Luana Andrade morreu aos 29 anos após complicações de uma lipoaspiração (Foto: Reprodução/Instagram)

Mas segundo o apresentador Celso Portiolli, em uma entrevista ao Balanço Geral, da Record, foi uma questão de saúde que motivou a influenciadora a relizar o procedimento .

''O problema dela era funcional, estava dando problema no joelho porque lipedema é uma doença crônica'', disse o apresentador, que convivia com Luana e conversou com a mãe da influenciadora durante o velório. Apesar de estar sempre cuidando da saúde, a enfermidade da influenciadora persistiu, por isso ela preferiu interferir cirurgicamente.

Luana Andrade morreu aos 29 anos após complicações de uma lipoaspiração (Foto: Reprodução/Instagram)

Brenda Paixão,  que participou da mesma edição do Power Couple junto com Luana, também afirmou que a cirurgia da influenciadora aconteceu para resolver um lipedema: "Fiquei um pouco triste com algumas coisas que eu li na internet. Eu que estou mais por dentro da situação, ver pessoas falando coisas sem ter certeza de nada, sabe? E não tendo respeito pela pessoa que se foi e os familiares".

Brenda, então, revelou que a amiga já tinha citado o lipedema em conversas dentro do reality. "Luana tinha lipedema nos joelhos. Falava sobre essa cirurgia na época do Power... Sempre foi sua vontade remover. Falou sobre isso comigo algumas vezes, trazia muitas inseguranças para ela, sabe? Enfim, acho que não nos cabe o julgamento nesse momento, o melhor que podemos fazer é orar pela alma dela e pelos seus entes queridos, por a dor é tremenda", concluiu.

Luana Andrade tinha lipedema, doença crônica que se caracteriza pelo depósito desproporcional de gordura nas pernas e braços (Foto: Reprodução/Instagram)

O que é o lipedema?

O lipedema é uma doença crônica que se caracteriza pelo depósito desproporcional de gordura nas pernas e braços, e ocasiona dores nos membros afetados, de acordo com o cirurgião vascular e membro do departamento de Doenças Linfáticas da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular – Regional São Paulo (SBACV-SP), Dr. Mauro Figueiredo Carvalho de Andrade. Segundo um levantamento publicado pelo Jornal Vascular Brasileiro, a doença atinge aproximadamente 12,3% da população no Brasil.

Lipedema é uma doença pouco conhecida

Em 2022, o lipedema foi padronizado como doença, mas ainda hoje é um problema pouco conhecido pela população e até mesmo pelos médicos, o que atrapalha o diagnóstico e tratamento. “Frequentemente, a paciente com lipedema passa a vida como uma ‘falsa magra’, isto é, magra da cintura para cima, mas com pernas grossas. E, como até pouco tempo o lipedema não era considerado uma doença, a literatura científica sobre seus mecanismos ainda é muita escassa. Dessa forma, a própria comunidade médica ainda está tomando consciência sobre a doença e se capacitando para o tratamento”, explica a cirurgiã vascular Dra Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular.

O lipedema é uma doença crônica que se caracteriza pelo depósito desproporcional de gordura nas pernas e braços (Foto: Shutterstock)

Lipedema afeta principalmente as mulheres

As mulheres em idade de reprodução, desde a puberdade até a fase de mudanças hormonais com o início do climatério, são as mais atingidas. Além da gordura excessiva, os sintomas também incluem desconforto, fragilidade capilar, equimoses e edemas nas regiões afetadas. “Pacientes com lipedema são mais suscetíveis a lesões das articulações. Em casos mais avançados, podem ter dificuldades na marcha e consequente atrofia muscular”, alerta o Dr. Mauro, que reforça sobre fator genético ser um grande peso para o diagnóstico, já que grande parte dos pacientes apresenta histórico familiar.

Como controlar o lipedema?

Atividades físicas como exercícios aeróbicos, caminhada e natação podem ser ferramentas para o controle do lipedema. “O importante é que os exercícios sejam de intensidade progressiva e, no início, sob a supervisão de profissional educador físico ou fisioterapeuta”, ressalta o profissional, que também destaca o cuidado com a alimentação. “As dietas restritivas não têm efeitos na redução do acúmulo da gordura do lipedema e podem, inclusive, piorar a desproporção corporal. 

É muito comum que o lipedema seja confundido com a obesidade, o que causa grande frustração nas pacientes quando as estratégias comumente empregadas nesses casos não funcionam. “O grande problema é que a gordura do lipedema é doente, e frequentemente, não reduz somente com hábitos básicos como dietas e prática de atividade física. Esse deve ser outro sinal de alerta para buscar ajuda profissional”, aconselha a Dra Aline Lamaita.

As dietas restritivas não têm efeitos na redução do acúmulo da gordura do lipedema (Foto: Getty Images)

Como é feito o diagnóstico do lipedema?

O diagnóstico da doença é clínico, e cabe ao profissional detectar a suspeita. “Não existem exames que marquem a presença do lipedema antes que ele seja clinicamente observável. Os exames (ultrassom, tomografia, cintilografia linfática, bioimpedância) servem para diagnóstico de casos em que há suspeita de associação de problemas”, explica o especialista.

Como é o tratamento do lipedema?

Por não existir cura, o tratamento é feito para aliviar os sintomas, evitar agravamentos e trazer mais qualidade de vida. Uma das recomendações é o uso das meias de compressão, sugestão que, de acordo com Dr. Mauro Andrade, pode ser recebida com ressalvas. “Parte dos pacientes reluta em utilizá-las por experiências prévias malsucedidas devido a prescrições inadequadas. As meias normalmente usadas para o tratamento de edemas de membros inferiores são meias tecidas com malhas circulares. Em pacientes com lipedema, o uso recomendado é de meias elásticas com menor elasticidade, obtidas quando o material da fabricação é a malha plana. É um tipo de tecido menos extensível, mais robusto, confortável e se adapta melhor ao formato do membro afetado”, esclarece o médico.

O cirurgião vascular e presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular, da Regional de São Paulo (SBACV-SP), Dr. Fabio Rossi, reforça que o lipedema pode causar um impacto muito grande na qualidade de vida, dependendo da gravidade . “O primeiro passo no tratamento para o lipedema é a busca por um especialista angiologista ou cirurgião vascular, que deve fazer a avaliação dos diagnósticos diferenciais, quando há sintomas de dor e inchaço das pernas. E além da conscientização e orientação adequada sobre a doença,  a realização de exames complementares, como Doppler Vascular, linfocintilografia, dosagem de gordura corporal e, em alguns casos, ressonância magnética, também é indicada”, explica.

O tratamento do lipedema é multifacetado e visa aliviar os sintomas, melhorar a qualidade de vida e retardar a progressão da patologia. “A cirurgia deve ser o último recurso e está indicada quando não há melhora da condição com os tratamentos terapêuticos e estabilização dos sintomas”, comenta o cirurgião plástico Dr. Fernando Amato.

Acompanhamento psicológico e médico é fundamental

Como o paciente viverá com a condição pelo resto da vida, o acompanhamento médico é fundamental. "A progressão do lipedema pode levar a complicações como dificuldades de mobilidade, redução da qualidade de vida e impactos emocionais, como ansiedade e depressão”, conta Dr. Fernando Amato.


Leia também

Imagem Nomes femininos raros: veja opções chiques e únicas para meninas

Bebês

Nomes femininos raros: veja opções chiques e únicas para meninas

Pai de Davi - (Foto: Reprodução/Instagram)

Família

Pai de Davi não concorda com posição do filho e decide ir morar com Mani

Imagem Pai de Henry Borel comemora nascimento de filha três anos após tragédia

Família

Pai de Henry Borel comemora nascimento de filha três anos após tragédia

Se você procura um nome de menina, aqui estão 180 ideias diferentes - Pexels/Moose Photos

Bebês

180 nomes femininos diferentes: ideias de A a Z para você chamar a sua filha

Virginia Fonseca - (Foto: Reprodução/Instagram)

Família

Virginia Fonseca toma atitude após Maria Alice empurrar Maria Flor: “Dói mais na gente”

Copo Stanley - Divulgação

Super desconto

App Day Amazon: os famosos copos térmicos da Stanley com até 55% de desconto

Isabella Fiorentino explica o motivo de não mostrar o rosto do filhos - Reprodução/ Instagram

Família

Isabella Fiorentino explica o motivo de não mostrar o rosto dos filhos em fotos nas redes sociais

De A a Z: confira os nomes femininos americanos para te inspirar - Getty Images

Bebês

Nomes americanos femininos: mais de 1000 opções diferentes para você se inspirar