Família

Filhos e filhas feministas

Escritora nigeriana sugere caminhos bem fáceis para pais e mães criarem uma geração mais tolerante e igualitária

Luiz Pimentel

chimamanda

Chimamanda Adichie, escritora nigeriana que defende uma educação mais feminista para as futuras gerações

 

 

O Dia Internacional da Mulher é hoje, mas um livro bem badalado sobre o tema chegou ontem às livrarias. Para Educar Crianças Feministas – Um Manifesto, é a obra mais recente da escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie. Já conhecida pelos romances “Hibisco Roxo” (2003), “Meio Sol Amarelo” (2006), “A Coisa à Volta do Teu Pescoço” (2009) e “Americanah” (2013), Chimamanda foi mais fortemente associada à militância pelo espaço das mulheres na sociedade depois do discurso “Sejamos Todos Feministas”, na conferência internacional TED, em 2013. Esse primeiro manifesto virou livro em 2015.

Anúncio

FECHAR

Agora, ela publica Para Educar Crianças Feministas – Um Manifesto. E onde esse novo livro toca em nós, da Pais & Filhos? A autora defende a ideia de que o fim do preconceito contra as mulheres só vai acontecer quando educarmos as novas gerações para serem mais intolerantes e igualitárias. E ela tem uma abordagem bem focada: “A teoria feminista é importante porque dá nome às coisas, mas meu foco é mais prático”, disse em entrevista ao jornal Folha de São Paulo. A partir daí, Chimamanda propõe 15 perguntas e reflete sobre suas possíveis respostas. Mas nada com tom professoral não. Bem acessível e prático. Veja aqui algumas ideias:

 

  1. Seja uma pessoa completa. A maternidade é uma dádiva maravilhosa, mas não seja definida apenas pela maternidade. Seja uma pessoa completa. Vai ser bom para sua filha.
  2. Ensine a sua filha que ‘papéis de gênero’ são totalmente absurdos. Nunca lhe diga para fazer ou deixar de fazer alguma coisa ‘porque você é menina’. ‘Porque você é menina’ nunca é razão para nada. Jamais.
  3. Ensine o gosto pelos livros. A melhor maneira é pelo exemplo informal. Os livros vão ajudá-los a entender e a questionar o mundo, a se expressar, vão ajudar em tudo o que eles quiserem ser.
  4. Ensine sua filha a não se preocupar em agradar. A questão dela não é se fazer agradável, a questão é ser ela mesma.
  5. Ao ensinar sobre opressão, tenha o cuidado de não converter os oprimidos em santos. A santidade não é pré-requisito da dignidade. Pessoas que são más e desonestas continuam seres humanos e continuam a merecer dignidade.

 

para-educar-criancas-feministas-chimamanda-ngozi-adichie-1000x1456Serviço:

PARA EDUCAR CRIANÇAS FEMINISTAS

AUTORA Chimamanda N. Adichie

TRADUÇÃO Denise Bottmann

EDITORA Companhia das Letras

Pais&Filhos TV