Família

Doença de Fabry: a jornada do paciente dos sintomas ao tratamento

A Doença de Fabry causa uma dor em queimação e formigamento na infância em mãos e pés nos meninos e nas meninas - Freepik
Freepik

Publicado em 26/08/2022, às 07h24 por Redação Pais&Filhos


A doença de Fabry é considerada rara, uma vez que acomete cerca de um indivíduo do sexo masculino para cada 40 mil nascidos vivos¹. Ela é causada por uma alteração genética associada ao cromossomo X e pode surgir em meninos e meninas². A Dra. Ana Maria Martins, professora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), diretora do Centro de Referência em Erros Inatos do Metabolismo, filha de Margarida e Antonio, explica que esta é uma doença de depósito lisossômico causada pela falta da enzima alfa-galactosidase ácida.

A Doença de Fabry causa uma dor em queimação e formigamento na infância em mãos e pés nos meninos e nas meninas
A Doença de Fabry causa uma dor em queimação e formigamento na infância em mãos e pés nos meninos e nas meninas (Foto: Freepik)

Com essa alteração, o metabolismo de uma substância conhecida como glicoesfingolipídeo não ocorre, levando ao acúmulo dela em diferentes regiões do corpo, como pele, rins, coração, olhos e cérebro³. Na infância tem início a dor em queimação e formigamento em mãos e pés, desencadeada por febre, exercício físico e exposição ao sol; pouca produção de suor ou ausência deste; dor abdominal recorrente associada ou não a diarreia e presença de pequenas manchas arroxeadas na região da coxa (angioqueratomas)⁴. “Nos meninos, os sintomas aparecem mais cedo, entre 6 e 8 anos. Já nas meninas entre 9 e 11 anos”, acrescenta. Nos adultos, os sintomas estão ligados aos rins, coração e sintomas neurológicos.

Existe tratamento específico para diminuir a dor, nas crises fortes são utilizados medicamentos potentes, geralmente em ambiente hospitalar. A doença é progressiva e nos casos mais graves e sem o tratamento adequado, essa condição pode levar ao comprometimento cardíaco e renal³.

O diagnóstico é só o começo

Após o aparecimento dos sintomas, o diagnóstico da doença é confirmado por meio de um exame de sangue em que há a dosagem da atividade enzimática, realizando o sequenciamento do gene para averiguar a mutação (alteração no gene)¹. Nesse contexto, é fundamental enfatizar a importância de conhecer e compartilhar o seu histórico familiar com o seu médico. Com esse feedback positivo para a doença, aumentam as chances do diagnóstico precoce e, assim, poder dar início ao tratamento correto³. Este histórico é fundamental não apenas neste, mas em todos os casos de doenças raras, que atingem aproximadamente 13 milhões de pessoas no Brasil e 300 milhões em todo o mundo, o que representa 5 a 6% da população mundial⁵.

Pessoas com Doença de Fabry têm, geralmente, uma jornada difícil que, além do preconceito já citado, com comentários precipitados, envolve a visita a muitos médicos de diferentes especialidades antes da confirmação do diagnóstico². E caso algum parente teste positivo para a doença, é fundamental investigar os demais familiares, uma vez que a chance de outra pessoa também carregar o gene mutado existe³. Com a confirmação da doença, o tratamento deve ser iniciado o quanto antes e se baseia na reposição da enzima deficiente². “Dessa forma, o paciente e sua família têm uma melhor qualidade de vida”, justifica a Dra. Ana Maria Martins.

O tratamento da Doença de Fabry permite que o paciente tenha uma melhor qualidade de vida
O tratamento da Doença de Fabry permite que o paciente tenha uma melhor qualidade de vida (Foto: Shutterstock)

A diretora do Centro de Referência em Erros Inatos do Metabolismo ainda destaca a necessidade de um acompanhamento psicológico aos pacientes, uma vez que na população com esta doença, a taxa de depressão, principalmente nos homens, é maior. “O psicológico será importante até ele entender e aceitar essa doença”, completa. As pessoas com doença de Fabry ou com qualquer outra doença rara, em geral, buscam associações de pacientes para conversar com aqueles que têm o mesmo diagnóstico, comenta a especialista.

Sobre Doenças Raras

O Brasil escolheu como definição de doenças raras aquelas que atingem menos de 65 pessoas para cada 100 mil habitantes, que é a mesma da Organização Mundial da Saúde (OMS). E em todo o mundo, há cerca de 7 mil doenças raras diferentes descritas neste grupo⁵.

“Um grande problema é a falta de informação sobre as doenças raras nos cursos de graduação de profissionais da saúde, incluindo no de medicina, dificultando assim o diagnóstico do que não se conhece, alongando desta forma a jornada do paciente ao diagnóstico”, pontua a Dra. Ana Maria Martins. Por isso, iniciativas como o site Juntos Pelos Raros e Takeda, referência no cuidado ao paciente com doenças raras, que têm o compromisso de compartilhar informações sobre o tema, se tornam ainda mais essenciais.

REFERÊNCIAS:

1. Silva, Cassiano Augusto Braga. Doença de Fabry. Rev. Med. UFPR, 2017

2. COSTA, PAULA BRITO. DOENÇAS RARAS DE A A Z. SOCIEDADE BRASILEIRA DE CENÉTICA MÉDICA. S.L; FEDRA, 2012

3. Boggio P, Luna PC, Abad ME, Larralde M. Doença de Fabry. An Bras Dermatol. 2009;84(4):367-76

4. Conitec. Diretrizes Brasileiras para Diagnóstico e Tratamento da Doença de Fabry. Ministério da Saúde, 2021

5. Ministério da Saúde

6. Organização Mundial da Saúde (OMS)

C-ANPROM/BR/CORP/0210 – Ago/2022 | Material destinado ao público em geral

Vote na Pais&Filhos para o Troféu Mulher Imprensa!

Andressa Simonini, editora-executiva da Pais&Filhos, está concorrendo ao prêmio da categoria Pertencimento e Inovação da 16ª edição do Troféu Mulher Imprensa! Para votar, é muito simples: CLIQUE AQUI e aperte o botão ao lado da foto da Andressa para que ele fique azul. Em seguida, preencha o campo com seus dados e vá até seu email: será preciso confirmar o seu voto clicando em um link. Depois disso, sucesso! Seu voto já foi contabilizado. Obrigada!

Andressa Simonini, editora-executiva da Pais&Filhos está concorrendo ao Troféu Mulher Imprensa
Andressa Simonini, editora-executiva da Pais&Filhos está concorrendo ao Troféu Mulher Imprensa (Foto: Divulgação/Pais&Filhos)

Leia também

Imagem Nomes femininos raros: veja opções chiques e únicas para meninas

Bebês

Nomes femininos raros: veja opções chiques e únicas para meninas

Foto: Reprodução/ Instagram

Bebês

Fernanda Paes Leme recusa visitas após o nascimento da filha: "Não consigo e não quero"

Pai de Davi - (Foto: Reprodução/Instagram)

Família

Pai de Davi não concorda com posição do filho e decide ir morar com Mani

Imagem Pai de Henry Borel comemora nascimento de filha três anos após tragédia

Família

Pai de Henry Borel comemora nascimento de filha três anos após tragédia

Se você procura um nome de menina, aqui estão 180 ideias diferentes - Pexels/Moose Photos

Bebês

180 nomes femininos diferentes: ideias de A a Z para você chamar a sua filha

De A a Z: confira os nomes femininos americanos para te inspirar - Getty Images

Bebês

Nomes americanos femininos: mais de 1000 opções diferentes para você se inspirar

Viih Tube fala sobre segundo e terceiro filhos - (Foto: Reprodução/Instagram)

Família

Viih Tube revela gravidez de segundo e adoção de terceiro filhos com Eliezer

Virginia Fonseca - (Foto: Reprodução/Instagram)

Família

Virginia Fonseca toma atitude após Maria Alice empurrar Maria Flor: “Dói mais na gente”