Família

Conheça as vantagens de optar por ter um felino em casa

Os cachorros são os preferidos da criançada, mas dão mais trabalho do que os gatos.

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Mais cedo ou mais tarde toda criança pede por um bichinho de estimação, não tem jeito. E de preferência um cachorro. Apesar de serem os animais de estimação mais carinhosos e ligados ao dono, podem não ser a melhor opção para a sua família, se vocês não tiverem muito tempo para se dedicar. Os cachorros demandam muita atenção, carinho, atividades e espaço. Não é o seu caso? Então pense em adotar outro animal. 

O gato é mesmo mais independente e dá umas sumidas com mais frequência, principalmente se você mora numa casa térrea ou numa região com outros gatos por perto. Muitos costumam sair à noite e retornar no dia seguinte, uma prova de carinho com seus donos. 

Clique e acesse nosso canal de vacinação

Anúncio

FECHAR

Quem tem um gato, costuma virar fã de carteirinha e formar uma família grande com eles. Marisa Ferreira de Lima, mãe de Georgia conta “Quando descobrimos a gravidez e contamos para as nossas famílias, ouço o comentário já esperado de minha sogra para a minha mãe: dona Ernestina, como é que eles vão fazer com os gatos? A senhora vai cuidar, né? Não liguei, e segui com a minha gestação fazendo questão da participação das felinas em todos os momentos, na montagem do berço, nas roupinhas em cima da barriga.” 

Lúcia Caparroz, filha de Ana Maria Pinto César e Antonio Caparroz Lopes  também conviveu com os gatos dos irmãos desde pequena e lembra “O primeiro gato que era meu mesmo foi a Neblina. Eu tinha uns 7 anos e brincava horrores com ela. Depois tive vários outros”. 

Camila Steiman, filha de Milton e Janette, lembra que no caminho do pet shop sua mãe decidiu comprar gatos em vez de cachorros, pois acreditava que daria menos trabalho. Ela e o irmão, que estavam loucos por um bicho de estimação, aceitaram na hora e hoje não lamentam a troca. “Eu tinha dois gatos, um muito brincalhão e o outro muito carinhoso e preguiçoso. Cada um tinha o seu momento, quando eu estava mais agitada ou mais tranquila. Mas eram super companheiros!”. 

A mãe de Camila não estava errada, “o gato é mesmo um animal que requer menos cuidados. Por isso é bastante recomendado para famílias com bebês recém nascidos, afinal nesses casos a atenção está concentrada na criança e os pais acabam não tendo muito tempo para cuidar do animal”.

Os gatos também são mais higiênicos, o que é uma grande vantagem mesmo que você não tenha mais bebês em casa, afinal ninguém gosta de encontrar aquele xixi no tapete da sala. Mas se você tem crianças pequenas e fica na dúvida se aquela caixa de areia é mesmo uma boa ideia, vale lembrar que o que chamamos de areia são na verdade pedrinhas atóxicas de sílica e que, caso o bebê resolva brincar com a areia que já está suja, basta lavar a região que teve contato com água e sabonete bactericida.

Quanto às unhas, outro assunto que faz os gatos serem a segunda ou até terceira opção das famílias que tem criança, o cuidado é bem simples, basta lembrar de cortá-las com frequência, da mesma forma que é preciso dar banho e escovar os cachorros. Inclua nas compras do petshop os arranhadores para que eles tenham um lugar onde possam desgastar as suas unhas.

Admita, nenhum desses cuidados dá sequer metade do trabalho que você teria se comprasse um cachorrinho novo para a sua casa. Além disso, gatos não precisam de banhos semanais, dispensam passeios, se adaptam facilmente a lugares pequenos, não latem e não sofrem quando todo mundo começa a ficar pouco tempo em casa.

 

Consultoria

Dr. Eduardo Pacheco, pai de Caio, é veterinário do Hospital veterinário Santa Inês.