Família

Caso Henry: Peritos mostram lacunas na investigação mas não excluem crime

Imagens mostram que Henry chegou morto ao hospital - Reprodução/G1
Reprodução/G1

Publicado em 29/10/2021, às 10h25 por Bianca Apolinário, filha de Adriana e Rogério


O UOL ouviu peritos que afirmaram que existem lacunas na investigação e falhas apontadas no laudo de necropsia produzido pela Polícia Civil do Rio de Janeiro após a morte do menino Henry Borel na madrugada de 8 de março. Mas dizem que elas são insuficientes para derrubar a tese de acusação: de que a criança de 4 anos foi assassinada.

Segundo o técnico de enfermagem em uma UTI em São Paulo, José Alberto Faustino, a manobra de Jairinho de tentar reanimar Henry foi errada: “Não foi uma tentativa de socorro. Ele [Jairinho] deveria ter colocado o menino no chão do elevador, que tem uma superfície mais rígida, para fazer a tentativa de reanimação. E a mãe deveria ter pedido ajuda”, afirma.

A enfermeira Mara Bastos, intervencionista no Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) de Rondônia, explica que a massagem cardíaca e a respiração boca a boca são as manobras para salvar a vida de uma criança nas condições de Henry no vídeo —a polícia diz, contudo, que Henry já se encontrava sem vida àquela altura. No entendimento dela, a manobra feita por Jairinho não é adequada. “Se não tapar o nariz, o ar vai entrar e sair. Não é o correto, já que queremos que os pulmões recebam a ventilação”, explica.

Imagens mostram que Henry chegou morto ao hospital
Imagens mostram que Henry chegou morto ao hospital (Foto: Reprodução/G1)

O laudo elaborado pelo legista Sami El Jundi, aponta as críticas do laudo feito pela Polícia Civil. Sami foi contratado pela defesa de Jairinho para elaborar um documento com análise do trabalho feito pela Polícia Civil: “O laudo [da Polícia Civil] é ruim e incompleto. Inicialmente, não há descrição de lesão na face de Henry. Depois, em complementação a um questionamento do delegado, ele fala em lesões nos lábios”, contesta.

“Infelizmente, o relatório de autópsia permitiu a existência de lacunas e que existissem essas dúvidas, dando origem a essas contestações, que são legítimas. Mas essas lacunas não excluem a existência de lesões compatíveis com um homicídio.”, contou o especialista em Medicina Legal e perícias médicas, Carlos Durão que analisou o relatório de perícia feito pela defesa de Jairinho.

“Temos o laudo que comprova que o menino foi espancado, temos o histórico do réu de agressões contra crianças. Não é só o laudo pericial. Há um conjunto de provas que incriminam Jairinho e Monique”, diz o promotor. Para conferir os depoimentos completos clique aqui! 


Leia também

Anna Jatobá retira sobrenome do ex-marido depois do fim do relacionamento - (Foto: Divulgação)

Família

Anna Jatobá e filhos excluem sobrenome de Alexandre Nardoni após separação

Gêmeas siamesas falam sobre relacionamento - (Foto: reprodução/TikTok)

Família

Gêmeas siamesas falam sobre relações íntimas após uma assumir namoro

Mãe e filha - (Foto: Reprodução/Freepik)

Família

Mãe diz que se arrependeu de adotar filha após conseguir engravidar: "Nunca senti que ela era minha"

Virginia Fonseca - (Foto: Reprodução/Instagram)

Família

Virginia se pronuncia sobre atitude polêmica com babá da filha: "Não foi porque não quis"

Gabi Luthai estava grávida de gêmeos - (Foto: Reprodução/Instagram)

Família

Téo Teló e Gabi Luthai escolhem nome curto e com forte significado para o primeiro filho

Mica Rocha anuncia nascimento do terceiro filho, Henrique - Reprodução/Instagram

Família

Nasceu! Mica Rocha anuncia chegada do terceiro filho após complicação no pós-parto: “Eternamente grata”

Fernando Sastre, dono de porsche que matou motorista - (Foto: Reprodução)

Família

Dono de Porsche sugere dar 1 salário mínimo todo mês para família de vítima

Confira detalhes da festa de 1 ano da filha de Viih Tube e Eliezer - (Foto: reprodução/Instagram)

Família

Festa de 1 ano de Lua terá cascata de água e 600 mil balões: veja mais