Família

A partir de quando é possível viajar sem o bebê?

Ele está preparado para uma separação mais cedo do que você imagina

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Separar-se do filho pequenininho, seja para ir fazer a unha, ir ao cinema com o marido ou para uma viagem de trabalho nunca é fácil. Mas podem ser mais ou menos difíceis, dependendo da forma como a relação mãe-filho se desenvolve desde o início.]

Leia o relato de um pai que está a trabalho em Londres sem a filha

Em tese, a partir de 6 meses a criança inicia um processo de separação, ajudado pelo desmame e introdução de outros alimentos. Mas, mesmo que seu filho já não mame no peito ou aceite o leite materno na mamadeira isso não significa que a mãe possa se ausentar por longos períodos. Até 8-9 meses, o bebê precisa do contato físico com a mãe. Se for necessária uma separação ela deve ser de curta.

Anúncio

FECHAR

O início da marcha (quando a criança começa a andar) ajuda também na independência da criança e separação da mãe. A partir dessa fase, ele literalmente, não depende tanto do colo e consegue caminhar sozinho.

“Teoricamente, se a criança está bem e convive com outras pessoas além da mãe, com idade em torno de 1 ano e meio ela é mais capaz de suportar uma separação um pouco mais longa”, diz Neyla Regina F. França, psicanalista da SBPSP (Sociedade Brasileira de Psicanálise de SP), especialista em psicanálise de criança e adolescente.

– No caso de a mãe precisar viajar, ela deve cuidar para que a criança preferencialmente permaneça no ambiente conhecido (na própria casa ou na casa da avó) e com pessoas com as quais está familiarizada.

Consultoria: Neyla Regina F. França, psicanalista da SBPSP (Sociedade Brasileira de Psicanálise de SP)

Pais&Filhos TV