Embaixadores

Não é a fama que diferencia as mães, diz Luciana Mello

A cantora conta como é conciliar a carreira com a maternidade

A REDAÇÃO PAIS&FILHOS

Luciana-Mello-comselo

Luciana Mello (Foto: Ike Levy)

Muita gente pensa que vida de artista é toda glamorosa, inclusive a parte da maternidade. A cantora Luciana Mello, mãe de Nina, 7 anos, e Tony, 2 anos, diz que não é bem assim. Esse glamour é algo que as pessoas imaginam que o artista tenha pela sua vida pública.

“A gente trabalha como todo mundo, só fazemos um tipo diferente de trabalho. A fama é consequência. Todo mundo tem problemas em casa, chora… passa por tudo isso”, diz a compositora, que também é embaixadora Pais&Filhos.

Leia também 

Anúncio

FECHAR

Vem aí o Seminário Internacional Mãe Também é Gente

Conheça os palestrantes do Seminário Mãe Também é Gente

Inscreva-se para o Seminário Internacional Mãe Também é Gente

A cantora, porém, não acha que a maternidade seja igual para todas. Para ela, o que diferencia as mães não é a fama. “Cada uma vivencia de uma forma, os problemas são diferentes. Ser mãe não é igual nem de um filho para o outro”. Luciana conta que ter filhos a mudou completamente, mas de uma forma mais leve.

Ela e o marido, o fotógrafo Ike Levy, nosso embaixador e colunista, optaram por não ter babá, mas precisam conciliar as carreiras e os horários com a educação dos filhos. É trabalhoso, mas muito gratificante, segundo ela. “A logística é complicada, mas a gente participa ativamente de tudo e se reveza. Quando eu viajo a trabalho, meu marido fica com os filhos. É um superpai”.

Ike

Tony, Ike, Luciana e Nina (Foto: Divulgação)

Como os dois são autônomos, uma hora um está trabalhando mais do que o outro. Por isso, é necessário muito apoio e muita conversa. “A gente entende que nossas profissões são diferentes, tem demandas diferentes e pensa no bem-estar da família inteira”. Os avós também ajudam bastante nessa conciliação de cuidados com os filhos e o trabalho.

Quando questionada sobre como é ser mãe de dois, a cantora não hesitou em responder: “Lindo! Maravilhoso. Nasci para ser mãe desses dois. A gente teve a sorte grande de ter uma menina e um menino”.

Assim como toda mãe, ela diz que também tem suas neuras e culpas, mas costuma ser mais prática. “Quando você é mãe de primeira viagem, principalmente, a preocupação é maior. Depois você sabe que uma quedinha de bicicleta não vai matar”, brinca.

Por que as mães costumam sentir tanta culpa?

Dúvidas e dilemas sobre trabalho e maternidade: Você também tem?

Chegou a hora de voltar ao trabalho após a licença-maternidade. E agora?

Luciana Mello fará parte do debate sobre o tema “Ser mãe fica melhora a cada dia” da mesa redonda do nosso Seminário Internacional “Mãe também é gente”. Sabe o que ela achou do convite? “Eu adorei! Artista também é gente! É uma chance de mostrar que a vida não tem todo esse glamour”.

O evento ocorrerá dia 15 de maio no WTC (World Trade Center São Paulo), na zona sul de São Paulo. Inscreva-se aqui.

rodapé_06abril