Criança

Boca fechada

Todas as consequências da respiração bucal

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Irritabilidade, agressividade e até as olheiras do seu filho podem ser consequências da respiração bucal

Por Marianna Perri, filha de Rita e José

Anúncio

FECHAR

Dificuldade para respirar, irritabilidade, roncos e até a suspensão da respiração durante o sono podem ser conseqüências de uma obstrução nasal, como as causadas pela rinite – doença que afeta 26% das crianças no Brasil, segundo um estudo internacional sobre asma e alergias entre crianças. A dificuldade de respirar pelo nariz faz com que os pequenos respirem pela boca, o que pode afetar o comportamento e até o rosto dos pequenos.

Um estudo realizado pela Faculdade de Medicina da USP aponta que crianças e adultos sofrem com as consequências físicas e comportamentais da respiração bucal. Os problemas são variados: além de alterar a posição dos dentes, a respiração bucal separa e resseca os lábios, aumenta o volume da língua e causa olheiras profundas.

Quem respira pela boca ainda apresenta quadros de ronco, mau hálito e apneia (suspensão involuntária da respiração durante o sono). A dificuldade para respirar durante o sono pode deixar as crianças irritadas, agressivas e com dificuldade de prestar atenção na escola. As crianças ainda sofrem com a dificuldade da oxigenação sanguínea, que pode acelerar o envelhecimento.

O tratamento é simples, mas deve unir vários especialistas, como otorrinos, pediatras, fonoaudiólogos e ortodontistas. As crianças devem ser “retreinadas” a respirar pelo nariz, para que o desenvolvimento do rosto dos pequenos ocorra normalmente.

Preste atenção se seu filho está roncando durante a noite e procure um médico o mais rápido possível. A respiração bucal deixa de filtrar, aquecer e umidificar o ar inspirado pelos pequenos.

Consultoria: Gerson Köhler, pai de Juarez e Alexa, especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial

Pais&Filhos TV