Criança

9 dicas para ajudar as crianças a perderem o medo de Matemática

Números, fórmulas e expressões não precisam ser um pesadelo para o seu filho. Acredite, tem muita humanidade nesta disciplina exata

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

 

Em algumas famílias é fácil saber quando os filhos vão ter prova de matemática. De uma hora para a outra a dor de barriga aparece, as mãos suam, a hora de ir para a escola se transforma num pesadelo infantil, ou pior, num problema cheio de equações, fórmulas e pânico elevado à décima potência. Se você se identificou com essa situação e não sabe o que fazer, saiba que para todo enigma também existe uma solução.   

Adriana Iassuda, filha de Marlene e Taquechi, diretora e coordenadora pedagógica do Colégio Itatiaia, em São Paulo, acredita que um dos motivos que faz com que algumas crianças tenham dificuldade é por não acharem que os números possuem identificação com a vida delas. “É preciso que aqueles números, fórmulas, expressões tenham algum tipo de relação com o cotidiano das crianças. Isso faz com que pareça uma disciplina chata, difícil e que somente pessoas com conhecimento acima da média podem gostar”, alerta.

Anúncio

FECHAR

Além disso, outro fator que pode dificultar o aprendizado pode vir por parte dos professores que não conseguem enxergar as reais dificuldades que o aluno está enfrentando. E também de nós, pais. Sim, algumas atitudes que a gente nem percebe, como falar para o filho: “Você não é bom em Matemática” ou “Você não tem aptidão para isso” podem fazer com que eles realmente acreditem e percam o interesse pelo assunto.

Para Adriana, matemática está em tudo e todos podem aprender e gostar dessa disciplina. A seguir algumas formas de torná-la fácil e divertida.

Fique por dentro

O primeiro passo é entender o que as crianças estão aprendendo na escola, para poder aplicar aqueles conceitos no cotidiano dela. Não precisa ser nada forçado ou que fuja da rotina da família, tampouco é necessário pegar o caderno e querer ensinar o que sabemos, a escola já faz isso. Mas conversar com os professores ou até mesmo com os filhos para saber em que etapa eles estão já dá uma boa ajuda.

Problemas não são ruins

O significado da palavra costuma ter uma compreensão negativa e a gente tende a achar que o problema está relacionado a algo que não vai bem. No entanto, de acordo com Adriana, solucionar situações é algo que fazemos em diversos momentos da nossa vida. “Recolher os brinquedos do quarto, colocar os lápis de volta na caixa dobrar o uniforme da escola, todas essas situações precisam ser solucionadas, mas isso não significa que sejam ruins. O mesmo acontece com os problema de matemática”, afima.

Crie situações que envolvam matemática

Existem diferentes possibilidade de incluir a matemática no cotidiano das crianças. Convida-las para irem à banca de jornal ou ao mercado e pedir ajuda para contar as frutas e calcular é uma forma de elas terem contato com as operações de adição e subtração. Outra alternativa é sair para passear pelo bairro e brincar de adivinhar qual é a rua paralela, a perpendicular, quando o carro faz a curva.

Jogue videogame com eles

Não, você não leu errado. Os joguinhos eletrônicos podem ajudar as crianças a aprender matemática (lembra quando dissemos que ela está em tudo?). Jogos com contagem de pontos, que tenham formas geométricas, que necessitem de estratégia são ótimas opções para entrar em contato com a matemática. Vale lembrar que equilíbrio é tudo. É óbvio que o videogame não substitui o livro, a lição de casa e o aprendizado, mas é uma forma de fixar o conteúdo brincando. E somos nós que dizemos quando os filhos podem ou não brincar com os joguinhos eletrônicos.

Não existe certo e errado

Por mais que a matemática seja uma ciência exata, os conceitos de certo e errado não precisam ser vistos como regras. “Os problemas, equações e operações têm um único resultado, mas existem diferentes caminhos para chegar a esse resultado. Já vi alunos que ao invés de multiplicarem números, preferiram somá-los. Isso não está errado”, conta Adriana. Além disso, é preciso lembrar que para chegar a um número, mesmo que não seja o resultado esperado, houve a construção de um raciocínio e isso vale muito. Portanto é sempre bom ter em mente que matemática é uma disciplina de exatas, mas não é engessada.

Entenda os motivos das notas vermelhas

A gente fica sem entender quando o filho tira uma nota baixa na escola. E não adianta exagerar na bronca achando que essa atitude irá ajudá-lo a tirar boas notas no futuro. Ao invés de gritar, pergunte o que está acontecendo com ele. Fazendo isso será mais fácil saber se foi falta de estudo, se ele não entendeu a matéria ou se não se esforçou para ir bem na prova. Vale lembrar que pode acontecer de o problema não ser necessariamente a matemática e sim alguma questão existencial ou um problema na escola.

Um novo significado para a recuperação

Algumas escolas possuem o processo de recuperação ao longo do ano, que auxiliam as crianças a tentarem atingir a média, caso não tenham atingido um resultado satisfatório. Quando isso acontece, a maioria dos pais e alunos encara de forma negativa. Mas não tem que ser assim. A recuperação é uma forma de reforçar o aprendizado, entender o conteúdo que ainda não foi compreendido e melhorar as notas. Qualquer criança pode precisar fazer recuperação e ninguém merece julgado por causa disso.

Tudo em dia

O conhecimento não é absorvido de uma hora para outra, é preciso que seja construído pouco a pouco. Por isso é preciso que todos os dias as crianças estudem um pouquinho o que aprenderam na escola. Isso faz com que consigam ir assimilando aos poucos o que aprenderam e tenham tempo para esclarecer suas dúvidas com os professores ao invés de fazer isso na véspera da prova. Isso vale também para a lição e casa. se o dever foi dado no dia, precisa ser feito no mesmo dia, pois as coordenadas de como solucionar as questões ainda estão frescas na cabeça.

Divirtam-se

Pequenas interações como: contar quantas placas de trânsito redondas aparecem pelo caminho, quantas janelas quadradas vocês viram no caminho ou quantos beijinhos seu filho merece ganhar também são formas de aprender matemática e se divertir. Nessa equação, 1+1 vale bem mais do que 2.