Colunistas

Mães nas nuvens

70% das mães americanas afirmam que a tecnologia as faz melhores mães. Com o universo digital, temos superpoderes, explica Cecilia Russo Troiano

É sabido no mercado de consumo que as mulheres, com destaque para as mães, são vorazes consumidoras do mundo digital. O smartphones, tablets e notebooks são itens básicos de sobrevivência para elas, ferramenta para garantir a conexão com a família, canal para acessar todo tipo de informações, de dicas para a festa para o filho até onde comprar um item impossível de achar, enfim, um espaço de interação infinito. Segundo a e-bit, empresa especializada em dados relacionados ao e-commerce, as mulheres já são responsáveis por mais de 50% do mercado de “e-consumidores”. Sem falar que a tecnologia nos traz algo que parecia impossível: estar em dois lugares ao mesmo tempo, em casa e no trabalho. Respondemos emails no clube enquanto esperamos o filho na aula de tênis e, quem recebe, do outro lado do mundo, nem tem ideia onde estávamos naquele momento. Também isso não importa mais. O universo digital nos garante o poder da ubiquidade, estar em múltiplos lugares ao mesmo tempo. A tecnologia nos transforma na mulher polvo, com 8 braços, ou na mulher elástico, do filme da Pixar, “Os Incríveis” (lembram-se dela?). Na falta de parceiros digitais, seus braços e pernas se esticavam e ela podia acessar tudo sem dificuldade. Já que não conquistamos esses poderes (ainda), a tecnologia nos dá essa força extra.

Tudo acontece nesse mundo virtual, inexistente há 15 anos e sem o qual a vida das mães seria um caos. Já pensaram nisso? Como seria viver, um dia sequer, sem esses “gadgets” maravilhosos? Já imagino homens lendo esse artigo e pensando: “mas para os pais também eles são fundamentais!”. Sim, claro, inegável. Mas sinto muito, para mães é muito mais. É o instrumento do gerenciamento da vida de equilibrista, da gestão do cargo de CHO (em inglês, Chief Household Officer), do controle sobre os filhos, das demandas da vida profissional. Tudo mora nas telinhas e nas nuvens do mágico mundo da tecnologia! Não me perguntem como funciona. Sinceramente, parei de tentar entender como tudo isso funciona.  Mas já perceberam como a palavra nuvem ganhou um novo significado bem mais importante hoje em dia?  Nuvem era aquilo que fazia sombra, que atrapalhava o sol quando estamos na praia e que não deixava secar as roupas do varal. Hoje celebramos a nuvem! Ela carrega tudo, muito mais do que nossas bolsas: fotos queridas, mensagens de amor, compras de supermercado e muitos bits e bytes voadores. Tudo passeando aceleradamente pela nuvem. Vale frisar o aceleradamente porque, hoje em dia, a nuvem tem que ter produtividade, agilidade e nada de moleza. Vida de nuvem ficou complicada nos tempos modernos.

Uma recente pesquisa americana, feita pela Punchbowl, apontou que 70% das mães americanas afirmam que a tecnologia as faz melhores mães! Não só creditamos à tecnologia o poder de facilitar nossas vidas como vamos além. O maravilhoso mundo digital nos faz melhores naquele papel que é tão precioso para nós. Imagino que essa resposta das mães esteja apoiada na percepção das múltiplas portas que se abrem em termos de conexão e aprendizado proporcionados pelo mundo infinito do digital. A pesquisa vai além e traz dados curiosos sobre mães, consumo e a blogosfera. Embora não espelhem a realidade das mães brasileiras, do jeito que somos plugadas, não devemos ser muito diferentes delas. Separei aqui alguns dados da pesquisa que me pareceram interessantes e com os quais acho que são muito verdadeiros também para nós:

Anúncio

FECHAR
  • 50% das mães pesquisam produtos antes de ir às compras;
  • 51% das mães consideram-se viciadas em seus smartphones;
  • 89% das mães mantêm seus smartphones o tempo todo próximo a elas;
  • 68% das mães usam o smartphone enquanto estão fazendo compras no offline;
  • 20% superior é o tempo dedicado às redes sociais, quando comparam-se mães com a populacão geral.

Certamente foi-se a época em que o melhor presente para o Dia das Mães eram panelas e um fogão novo. Não sei o que as mães vão querer de presente neste próximo Dia das Mães, mas para muitas os gadgets tecnológicos estarão na ponta da lista. O ano passado, dados do Mercado Livre mostraram que tablets, pelo segundo ano seguido na liderança, foram apontados como o primeiro pedido de presente por 40% das mães em 4 países latino-americanos, entre eles o Brasil.

Pois é, se antes falar que a pessoa estava com a cabeça nas nuvens poderia ser uma coisa pouco elogiosa, hoje é um grande sinal de sintonia. Uma boa semana a todas, com um céu bastante nublado!

Pais&Filhos TV