Colunistas

No carro, segurança sempre!

A cadeirinha de carro é item obrigatório quando saímos com as crianças. E aqui em casa não tem meias palavras. É obrigatório, virou hábito e ninguém sai sem!

shutterstock_214865677

Eu estava com mais um post sobre viagens prontinho para a coluna desta semana, mas resolvi antecipar este assunto que há muito tempo ensaio escrever: crianças só devem andar de carro na própria cadeirinha, que deve ser ajustada de acordo com o peso. É lei, é obrigatório desde o dia em que o bebê sai da maternidade. E não tem desculpa, choro nem vela.

Fico angustiada com pessoas que acham “normal” levar as crianças no colo, sem cinto, mesmo que seja “ali pertinho”. Sei que nós, muitas vezes, andamos dessa forma quando crianças. Mas as coisas mudaram e a segurança das crianças precisa ser preservada. Depois do acidente que houve aqui em São Paulo no último fim de semana, fiquei pensando muito sobre isso. Meu filho pode chorar, espernear, berrar, gritar… não interessa. Vai na cadeirinha!

Anúncio

FECHAR

Gabriel, de 7 anos, é extremamente correto e não vai nem na casa da vovó, aqui na rua, sem pôr o cinto. Ele, que já pode andar no booster, o banquinho, ainda prefere a cadeirinha, por ser mais confortável. A dele é própria para a idade e é presa no próprio cinto do carro.

Quando Rafa nasceu, eu guardei a cadeirinha de Gabi para reaproveitar. Agora, na transição do bebê conforto para a cadeirinha que vai de frente, o que chamam de segundo estágio, tentei usar a antiga, herança do irmão mais velho. Mas algumas peças se perderam e, mesmo eu solicitando a reposição na assistência, fiquei insegura e achei que ela estava frouxa e mal colocada.

Não tive dúvidas: pesquisei na internet, olhei modelos que eu já conhecia e, em poucos cliques, comprei uma cadeirinha que Rafinha usará até os 4 anos, mais ou menos. Em quatro dias estava na minha casa.

É um investimento, é caro, eu sei! Muitas vezes é preciso ter duas, uma para cada carro, como aqui, que eu deixo os meninos na escola e o pai pega. Mas é necessário. Como plano de saúde, rede na janela, porta trancada… Faz parte do pacote e não podemos abrir mão. Não é à toa que é lei, né?

Veja o s critérios de escolha do site de compras e do modelo da cadeirinha no post que eu fiz lá no blog clicando aqui.

Com segurança não dá para brincar. Seja a nossa ou a dos nossos filhos. Entrou no carro, é cinto de segurança e crianças nas cadeirinhas. Não podemos brincar com coisa séria, não acham?

Nesse vídeo da série Como Fazer, você aprende direitinho como montar a cadeirinha no seu carro. É mais fácil do que parece!

Pais&Filhos TV