Bebês

Tudo para voltar ao trabalho e continuar amamentando

Voltar a trabalhar e ainda assim manter a amamentação é possível. Saiba como

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Voltar ao trabalho e deixar os pequenos dá um aperto no peito, ainda mais se a mulher quiser manter a rotina de amamentação. Por isso, é importante que a mulher saiba o que ela pode fazer para evitar que os alimentos sólidos sejam inseridos na alimentação do bebê antes do tempo.

Tire suas dúvidas sobre amamentação

As crianças devem ser exclusivamente amamentadas até os seis meses de idade, período mais longo do que a maioria das licenças maternidade fornecidas no Brasil, que são de 120 dias. Depois destes quatro meses, a mãe deverá contar com a ajuda de um cuidador e de aparelhos que a ajudem na ordenha do leite.

Anúncio

FECHAR

É possível congelar o leite materno, seja de um dia para o outro no refrigerador convencional, ou até 15 dias no congelador. Mas também é importante que a mãe busque conversar com a empresa e manter uma rotina diária para dar de mamar ao bebê.

Já existe uma lei que permite que as mulheres tenham intervalos para amamentar ou fazer a ordenha do leite. Há também um movimento para que as empresas criem salas de amamentação para estas mulheres.

Mas, mesmo que isto ainda não seja possível, siga nossa sugestão de horários para amamentação a partir dos seis meses, antes disso o ideal é deixar leite materno ordenhado para o bebê:

6h – Amamentar o bebê
9h – Oferecer papa de legumes ou suco de frutas
12h – Leite materno
15h – Leite materno e papa de frutas
18h – Leite materno
22h – Amamentar o bebê

Ainda assim o uso de aparelhos para a ordenha do leite é indispensável. As bombas, elétricas ou manuais, se adaptam a todo tipo de seio e ajudam as mães a alimentarem seus filhos, mesmo fora de casa.

Lembre-se que, ainda durante a gestação, você deve ter alguns cuidados com o seio.


Bomba Manual Adapt, da Lillo
Tem sistema Flex Adapt e concha para qualquer tipo de seio
R$ 92,00

Pais&Filhos TV