Bebês

Nana, neném

Qual a importância da música para o desenvolvimento do seu bebê?

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Sabe a música clássica “nana, neném” que sua mãe costumava cantar para você antes de dormir? Ela é mais relevante do que parece. Muitas vezes esse ritual já acontece no período de gestação: a mãe canta para o filho com intuito de que ele reconheça a sua voz. Parece só um ritual gostoso, mas faz com que o bebê tenha mais conexão ao mundo e, no futuro, aprenda a transmitir emoções.

Por que é tão importante? Porque o seu filho, a partir da canção, começa a entender quais são os elementos para se comunicar com o outro e reinventar o som que escuta. Segundo o diretor pedagógico da Escola Estilo de Aprender, Marcelo Cunha Bueno, que é pai de Enrique, a primeira coisa que a criança reconhece é a voz da mãe e a música que ela canta, que está ligada ao afeto e sensação de carinho. É por isso que a criança procura o som da sua voz: a origem do som contribui para que ele comece a compreender o mundo.

Anúncio

FECHAR

“É importante adaptar a voz à situação”, explica Marcelo Bueno. Ao acordar o bebê, é importante utilizar uma voz mais suave. Já para chamar a atenção, a voz firme é mais adequada. Isso faz com que ele entenda melhor e reconheça a música como um sentimento: o fato de a mãe cantar para o filho faz com que seja criado um vínculo, uma aproximação. “É interessante conversar com a criança e cantar, porque estará ensinando música. O importante é ter a comunicação oral”, ressalta o educador.

E o entendimento da música depende do quanto que a família conversa e canta para o filho. Tendo a música como um ritual – cantar na hora do banho, de comer – proporciona uma sensibilidade maior. O professor de música do Colégio Consa, Maurício Paraventi, pai de Luigi, salienta: “através das músicas você consegue envolver o bebê em sensações”.

Além dos pais poderem incentivar esse desempenho cantando e escutando músicas, o diretor pedagógico Marcelo Bueno ensina que podem também chamar a atenção do filho para que ele esteja atento ao som, estimulando para que preste atenção em uma música ou na voz grave de uma cantora, por exemplo. Ensinar a criança a escutar fará com que aprenda a exercitar os diferentes timbres e ajude no desenvolvimento da fala, já que o ímpeto será de tentar imitar a voz da pessoa ou o som dos aparelhos musicais que escuta. O importante é que esse incentivo continue; dessa maneira, o seu bebê se tornará uma criança que conseguirá desenvolver a criatividade e aprender a partilhar as sensações e emoções que recebe.

Consultoria

Marcelo Cunha Bueno, pai de Enrique, é diretor pedagógico da Escola Estilo de Aprender. Maurício Paraventi, pai de Luigi, é professor de música do Colégio Consa.