Bebês

Mães que receberam informações do estudo Boas Vindas Bebê amamentaram por mais tempo

A pesquisa foi feita pela Dra Ana Escobar em parceria com Danone Early Life Nutrition

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: Shutterstock)

(Foto: Shutterstock)

O estudo Boas Vindas Bebê, liderado pela pediatra Ana Escobar, em parceira com a Danone Early Life Nutrition, interagiu com mais 600 mães para compreender os principais hábitos e cuidados delas com seus filhos de até 1 ano por meio de um grupo no Facebook.

Cerca de 640 gestantes, que foram captadas a partir da fanpage “Dra Ana Escobar”, foram seguidas desde o início da gestação até 30 dias após o nascimento do bebê. Quem se interessou, foi direcionada para um grupo fechado no Facebook.

Nesse grupo, elas receberam informações de saúde e incentivo para comparecerem às consultas de pré-natal e terem hábitos de vida saudáveis. A rede social permitiu conversas e interação entre todas as participantes, possibilitando a troca de informações e um engajamento positivo.

Anúncio

FECHAR

Foi observado que 89% dessas mães, que estão espalhadas em 22 estados do país e no Distrito Federal, realizou sete ou mais consultas de pré-natal. Esse número é muito maior que a media nacional de 57,1%. Elas também adquiriram hábitos mais saudáveis de vida durante a gestação, como largar bebida e cigarro.

O estudo fez tanto sucesso que as mães pediram para que as orientações de saúde para os bebês continuássem. Assim, foi criado o estudo Boas Vindas Bebê II. Atualmente,as crianças estão com aproximadamente 1 ano e 8 meses de idade. Um dos principais achados do estudo tem relação com a nutrição no primeiro ano de vida. A Dra Ana pôde acompanhar em detalhes a alimentação dos filhos de mais e 300 mães participantes.

A taxa de aleitamento materno exclusivo até os 4 meses dos bebês, por exemplo, foi de 70%, bem acima da média nacional, de  23,3 %. Até os 6 meses, 44,5% dos bebês amamentaram exclusivamente no peito, contra  9,3% dos bebês brasileiros.

Leia também:

Leite materno evita doenças e deixa o bebê mais inteligente

Primeiros 1000 dias pode mudar radicalmente o destino da criança

Nutrição adequada nos primeiros 1000 dias do bebê é fundamental