Bebês

Ai que dor de ouvido!

Diminuição da amamentação, choro e febre podem ser sinais de otite

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Depois de uma gripe ou até mesmo um resfriado, alguns bebês e crianças podem continuar apresentando febre, diarreia e até mesmo perder o apetite e mamar menos. Tudo isso pode ser um sinal de que seu filho está com otite. O nome pode até não parecer estranho, mas a maioria das pessoas conhece mesmo como dor de ouvido.

A doença é causada por infecções nas vias aéreas que pode surgir em decorrência de uma gripe. Ela começa nas tubas auditivas que ligam o ouvido médio ao nariz e garganta, as bactérias que estiverem nesses locais podem ir para as tubas quando a criança engole ou boceja e isso é normal. Mas caso a criança já tenha passado por uma gripe e a tuba estiver inchada, o líquido fica preso no ouvido médio, criando o ambiente certo para a proliferação de vírus e bactérias como o pneumococo.

E o que poucas mães sabem é que também há o risco do bebê ter otite em função da posição da amamentação. Durante a mamada, a mãe deve sempre estar sentada e nunca deitada, a criança deve estar semi-sentada, isso porque a tuba auditiva da criança de até 7 anos é mais curta e horizontalizada, facilitando o refluxo do leite para a tuba auditiva.

Anúncio

FECHAR

E muitas vezes o choro do bebê não é o suficiente para que os pais possam desconfiar da doença, por isso é preciso ficar atento aos sinais. O principal sintoma é a dor, mas como a criança pequena não sabe se referir a dor, ela poderá parar de mamar porque quando ela fizer a sucção, vai ter uma dor reflexa. A febre e a diarreia também são sintomas importantes já que a criança está passando por um processo infecioso. Na otite média latente, por exemplo, a criança não terá febre, mas diarreia sem causa aparente. Desconfie.

Felizmente, as complicações em decorrência da otite não são tão comuns hoje em dia, já que é fácil tratar a doença com o uso de antibióticos. Mas caso não seja tratada, a criança pode ter desde a diminuição da audição até complicações mais severas como perfuração da membrana timpânica ou até meningite otogênica, pela proximidade do ouvido médio com o cérebro. Por isso, não se assuste, mas também não ignore os sintomas.

Os remédios caseiros antigos também devem ser evitados, a única receita que ainda é usada é a compressa com um pano seco e quente no local, já que o calor ajuda a amenizar a dor. No mais, sem óleo quente dentro do ouvido!

Consultoria: Dr. Ulysses José Ribeiro, pai de Thais e Davi, otorrinolaringologista do Hospital São Luiz.