Bebês

9 dicas para congelar papinha

Ter a comida do bebê guardada no freezer para aqueles dias corridos e em caso de emergência é sempre bom! Veja o que você precisa saber

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

 

Existem muitos mitos sobre o congelamento dos alimentos e sua influência no sabor, textura e composição do prato na hora de comer. Quando se trata de papinha então, o assunto fica ainda mais sério. Por isso, vamos te explicar o que você precisa saber na hora de congelar a papinha do seu filho e facilitar o dia a dia.

 

Anúncio

FECHAR

1. O que congelar?

Alguns alimentos sofrem alteração no sabor e na textura após o congelamento, como por exemplo a batata. Os melhores alimentos para serem congelados são cenoura, brócolis, mandioca, chuchu e as carnes depois de cozidas. Basta você se adaptar para poder congelar a sua papinha!

 

2. Higienização

É preciso lavar muito bem os alimentos toda vez que você for preparar a papinha para o seu filho. Por isso, preste muita atenção ao lavá-los, para certificar-se de que estão bons para o consumo do bebê. Se você incluir carne na papinha, preocupe-se com o cozimento adequeado, nada de carne com o meio vermelho para a papinha.

 

3. Quantidade

Não adianta fazer um panelão de papinha, estocar no freezer e dar só isso para o seu filho o mês todo. Os bebês têm a necessidade de ingerir diversos tipos de nutrientes, por isso tente sempre variar os ingredientes.

 

4. Armazenamento

Os melhores potes para o congelamento são os de plástico. Os potes de vidro não são tão indicados, porque com o resfriamento ele pode expandir e explodir. Ao optar pelos potes de plástico, veja se o produto não possui “Bisfenol A”, ou “BPA”, em sua composição, já que esse composto pode causar danos ao sistema endócrino e reprodutor da criança, compre produtos de alta qualidade. Além disso, garanta que o pote seja bem vedado, para a papinha não entrar em contato com outro tipo de alimento, o que pode contaminá-la.

 

5. Consumo

Depois de congelada, a papinha deve ser consumida em até 1 mês, para conservar. Para você se organizar com mais facilidade, coloque uma etiqueta no pote, indicando a data em que foi feita e quais alimentos a compõem, para não se confundir e misturar tudo.

 

6. Nutrientes

Esta é uma grande dúvida: se eu congelar a papinha, os alimentos não perdem os nutrientes? Todo o alimento, à partir do mínimo processamento, está sujeito a perda de nutrientes. Quando a mãe tem necessidade de rapidez e praticidade, a quantidade de perda não é tão significante. A dica é procurar cozinhar utilizando a água dos alimentos, não descartando o líquido que eles produzem. Além disso, legumes assados perdem menos nutrientes.

 

7. Descongelamento

Na hora de descongelar, não deixe a papinha em temperatura ambiente, porque isso aumenta a chance de contaminação por bactérias. Tirar do freezer e levar direto ao microondas é uma dica prática e segura.

 

8. Fogão ou microondas?

Na hora de esquentar, o microondas é prático, mas você também pode usar o fogão, vai da sua preferência. Os nutrientes, o sabor e a qualidade continuarão os mesmos em qualquer uma das duas formas de aquecimento. Importante: se você for adepta ao microondas, compre potinhos que possam ser esquentados junto com a papinha, fica tudo muito mais prático!

 

9. (Des)congela?

Nada de descongelar uma papinha e querer congelar de novo. Uma vez que você tirou a comida do freezer e esquentou, não congele de novo. As bactérias são mais atraídas de acordo com a temperatura, o que torna essa oscilação perigosa. Para resolver isso, a dica é separar tudo em potes pequenos, de acordo com a quantidade que o seu filho vai comer em cada refeição.

 

Monaliza Leite, nutricionista, mãe de Maria Luiza e Guilherme.