Bebês

13 alimentos proibidos para crianças de até dois anos

Alguns você já sabe que fazem mal, mas outros pode ser que você nem imagine. Conheça quais são

A REDAÇÃO PAIS&FILHOS

alimentos proibidos para crianças

A educação alimentar das crianças deve começar desde cedo. Por isso, a introdução de alimentos depois do período de aleitamento materno exclusivo (6 meses) requer atenção: alguns deles não devem ser consumidos pelo menos até os dois anos de idade.

De acordo com uma pesquisa inédita, divulgada pelo Ministério da Saúde recentemente, 60,8% das crianças menores de 2 anos comem biscoitos, bolachas ou bolos e 32,3% já bebem refrigerantes ou sucos artificiais. Além destes alimentos que já são conhecidos como vilões da alimentação infantil, há outros que você não deve oferecer ao seu filho pequeno. Saiba quais são e entenda o motivo

Anúncio

FECHAR
Leia também

3 em cada 10 crianças com menos de dois anos tomam refrigerante e sucos artificiais

TESTE: Será que seu filho se alimenta bem? 

Comida para todas as idades

  1. Mel

Assim como seus derivados, este alimento pode estar contaminado com esporos da bactéria Clostridium botolinum, responsável pela transmissão do botulismo. Embora seja uma doença rara, o sistema imunológico da criança não está preparado para combater essa bactéria. Além disso, pelo fato da imunidade não estar completamente formada, há o  risco de desencadear uma alergia ao pólen. Após os dois anos é mais fácil descobrir se a criança tem essa alergia. Antes disso, a asfixia e fechamento de glote provocados pelo mel podem ser mais graves.

  1. Amendoim

Também pode ser desencadeante de alergia, pois oleaginosas em geral, como amendoim e castanhas, são alimentos bastante alergênicos. O amendoim também pode conter a substância aflatoxina, um elemento tóxico originário de um fungo que cresce nas condições que as oleaginosas são cultivadas, o que também gera um risco grande de intoxicação.

  1. Doces

É difícil encontrar uma criança que rejeite estes alimentos, mas balas, pirulitos e bolos devem ficar de fora da alimentação dos menores. “Toda criança até os dois anos tem o paladar com o sabor doce. Quando a gente coloca alimentos muito mais doces do que o leite, por exemplo, estamos fazendo com que a criança eleve o nível de doce no paladar”, afirma a nutricionista Renata Buzzini, diretora da Cardapioterapia e mãe de Carlos Eduardo. Ela também explica que, assim, a criança é induzida a querer alimentos cada vez mais doces

  1. Chocolates

É gostoso, mas muito rico em açúcar, gordura e cafeína. Além de viciar o paladar da criança, pode desencadear irritabilidade e ausência de sono. Você não precisa que seu filho seja ainda mais agitado, não é mesmo?

  1. Achocolatado

Este alimento contém muito açúcar e é mais um dos não indicados. É importante não incrementar o leite das crianças com achocolatado, principalmente porque são muito artificiais. Algumas mães, além de colocar o achocolatado, acrescentam açúcar. Overdose de doce!

  1. Refrigerante

Ou seja, toda e qualquer bebida que tenha aromatização e inclusão de gás. Refrigerantes possuem alto teor de cafeína, açúcar e aditivos químicos que a longo prazo podem causar uma lesão de mucosa estomacal e irritabilidade intestinal. A curto prazo, reduzem a absorção do ferro após as refeições, principalmente os refrigerantes mais escuros.

  1. Adoçantes

É ideal que os alimentos sejam comidos ao natural, sem adição de açúcar ou de adoçantes, até mesmo para não mascarar o sabor e desacostumar o paladar. Quando é necessário adoçar, é melhor optar por frutas secas ou geleia sem açúcar, por exemplo. Iogurtes são alguns dos alimentos que poder conter adoçantes. Ciclamato de sódio e sacarina são os mais perigosos e podem causar sobrecarga renal. Se tiver que optar por algum (no caso de crianças diabéticas) é melhor a sucralose líquida e não em sachê.

  1. Gelatina

Contém conservantes e corantes, desencadeantes de grande parte de alergias atópicas (de pele) nas crianças. Apesar de muita gente achar que é uma sobremesa saudável, melhor trocar a gelatina de morango pelo morango mesmo.

  1. Embutidos

Ricos em gordura e conservantes, não têm bom valor nutricional. Por isso, salsicha, mortadela e presunto devem ficar de fora.

  1. Enlatados

Assim como os embutidos, os enlatados contem excesso de sal, comprometem a digestão e baixo valor nutritivo. Além de todos os conservantes necessários para manter a data de validade bem longa.

  1. Salgadinho

Os fritos e ricos em sódio são os mais nocivos à saúde. O consumo não é indicado, mas se mais tarde os pais optarem por permitir este alimento, os assados e com redução de sódio são preferíveis. Fique de olho no rótulo!

  1. Bolacha recheada

O recheio das bolachas é rico em gordura trans, além de alterar o paladar por serem muito doces. Uma unidade equivale a 100% da quantidade de colesterol que uma criança pode consumir em um dia (sim, apenas uma unidade).

  1. Sucos industrializados

Suco em pó, nem pensar. Fique atento ao rótulo dos sucos em embalagem tetra pak (aquela de caixinha). Se estiver escrito néctar, não é indicado. “Os que eu indico para consumo são os 100% suco ou 100% integrais”, explica Renata.

Para prestar atenção:

Frutas fora de época geralmente contém agrotóxicos e conservantes. Então é bom sempre verificar a época de cultivo antes de comprá-las e oferecê-las às crianças. Mas só o fato de você preferir dar fruta e evitar todos os alimentos acima já é uma vitória!
Consultoria: Renata Buzzini, nutricionista clínica, diretora da Cardapioterapia e mãe de Carlos Eduardo.