Família

Sangramentos atingem 80% das que fizeram cesárea

Imagem Sangramentos atingem 80% das que fizeram cesárea

Publicado em 05/09/2012, às 07h30 - Atualizado em 19/05/2021, às 09h47 por Redação Pais&Filhos


O sangramento pós-menstrual atinge oito em cada dez mulheres que se submeteram ao parto cesárea quando deram luz ao primeiro filho. O tema foi tratado no 9º Simpósio Ítalo-Brasileiro de Escoscopia Ginecológica e 2ª Jornada Cone-Sul do SIAEGI, que aconteceu recentemente em São Paulo.  Segundo a ginecologista e obstetra Bárbara Murayana, só um exame detalhado da cavidade uterina é capaz de identificar com precisão o problema.

Sangramentos que ocorrem alguns dias após o término do período menstrual podem ser indício do problema. “O sangramento pós-menstrual tem características próprias. É um corrimento mais escuro, da cor de uma borra de café, e vem em pequena quantidade”, explica a Dra. Bárbara Murayana, mãe de Pedro.

Outra forma de sangramento pós-menstrual costuma ocorrer após as relações sexuais ou depois de algum esforço físico. “Além de irregularidade menstrual, o sangramento pode vir acompanhado de dor e causar infecções pélvicas graves”, completa a médica.

O sangramento pós-menstrual é conhecido como istmocele e, segundo estudos atinge  82,6% das mulheres que têm sangramento entre as menstruações e que realizaram pelo menos uma cesárea anterior. A cicatriz deixada pela cesariana pode ser o ponto de partida para que a mulher desenvolva o problema. “Um pequeno reservatório se forma na região da pele onde houve o procedimento. A cicatriz age como uma falsa cavidade dentro do útero, acumulando resíduos de menstruação e muco. Esse processo altera o ambiente intrauterino e também a qualidade do muco, dificultando o transporte dos espermatozóides e a implantação do embrião, caso haja fecundação”, afirma a doutora.

Apesar de grave, o sangramento pós-menstrual tem cura se for tratado de maneira adequada. “Para obter um diagnóstico exato do caso, após identificar os sintomas, o mais indicado é uma consulta médica detalhada com o histórico da paciente, associado ao exame de histeroscopia, antes de iniciar o tratamento”, diz a dra. Bárbara Murayana.

Consultoria: Bárbara Murayama, mãe de Pedro, ginecologista e obstetra, especialista m Histeroscopia pela Unifesp  Ela relata suas experiências como médica e mãe no blog “Quando a obstetra engravida”  http://barbaramurayama.blogspot.com.br/


Palavras-chave

Leia também

Imagem Nomes femininos raros: veja opções chiques e únicas para meninas

Bebês

Nomes femininos raros: veja opções chiques e únicas para meninas

(Foto: Reprodução/Redes sociais)

Família

Mani recebe recado de Yasmin Brunet após anunciar fim da relação com Davi

Davi e Mani possuem 20 anos de diferença entre eles - Reprodução/Instagram

Família

Mani deixa de seguir Davi no Instagram e toma atitude sobre a relação com o campeão do BBB

Os nomes japoneses femininos são lindos, fortes e possuem significados encantadores - Getty Images

Bebês

Nomes japoneses femininos: 304 opções lindas para você conhecer

Se você procura um nome de menina, aqui estão 180 ideias diferentes - Pexels/Moose Photos

Bebês

180 nomes femininos diferentes: ideias de A a Z para você chamar a sua filha

Andreas Richthofen vive isolado - (Foto: Reprodução/Instagram)

Família

Andreas Richthofen dá 1ª entrevista e diz que procura a irmã há 4 anos: "Tem assuntos pendentes"

De A a Z: confira os nomes femininos americanos para te inspirar - Getty Images

Bebês

Nomes americanos femininos: mais de 1000 opções diferentes para você se inspirar

Sabrina Sato compartilha momentos da viagem para Paris com Zoe, Nicolas Prattes e família do ator - (Foto: reprodução/Instagram)

Família

Sabrina Sato se declara para Nicolas Prattes após Duda Nagle anunciar separação