Pais

Onde deixar o filho na volta ao trabalho? Em casa ou na escolinha?

Chegar ao fim da licença-maternidade é sempre angustiante, mas tente se acalmar. Há opções seguras e confiáveis para o seu bebê ser bem cuidado

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

onde deixar o filho na volta ao trabalho

Depois de quase 6 meses de total dedicação ao bebê, chega aquela temida hora de voltar ao trabalho. E por mais que a gente se programe e faça mil planos para que esse processo seja tranquilo, no fim das contas ele nunca é. O coração fica apertado e a cabeça, cheia de preocupações — afinal, decidir onde ou com quem deixar o filho não é uma tarefa nada simples. Seja em casa com uma babá ou avó, seja num berçário, é preciso considerar vários aspectos. Veja alguns prós e contras de cada opção que podem te ajudar nessa escolha.

No conforto do lar

Deixar o bebê em casa aos cuidados de um adulto (babá, avó, etc.) é uma das opções mais escolhidas pelas famílias. Nesse caso, a confiança é requisito básico. “É preciso que a mãe conheça muito bem essa pessoa e converse bastante antes de tomar a decisão, para que ela venha realmente a somar”, diz a psicóloga Daniella de Faria, mãe de Maria Eduarda e Maria Luísa.

Anúncio

FECHAR

Quem não tem a ajuda de familiares precisa escolher a babá com calma e cautela. Além disso, os cuidados em casa não têm tanto profissionalismo ou uma rotina bem definida como no berçário. Mesmo assim, existe um lado muito positivo nessa opção, como explica o doutor Derblai Sebben, pediatra e pai de Carolina e Maria Luíza: “Como o ambiente já é bem conhecido pela criança, ela pode ficar mais tranquila e, claro, mais segura, já que não é exposta a possíveis viroses”. Sem falar que, quando temos uma avó para ficar com nosso filho, temos certeza de 100% de amor. E carinho de família é tudo de bom.

Fique tranquila

Seja qual for a sua escolha, procure (de verdade) não se sentir culpada por ficar longe do bebê. Essa é uma fase natural para todas as mães que trabalham, e o tempo vai ajeitando as coisas. “O caminho é descobrir outras maneiras de ter contato com a criança, desenvolver uma nova rotina e tentar participar sempre”, aconselha Daniella. Ligar para falar com seu filho durante o dia já faz um bem danado. Pese os prós e contras de cada situação e decida – sem neuras – o que é melhor para você e para o seu filho.

No berçário

Se você optar por colocar o bebê num berçário, tenha em mente que a escolha do local é fundamental. “É importante que os pais visitem vários lugares e os avaliem bem antes de decidirem”, aconselha Daniella. Do ponto de vista da saúde, o assunto divide opiniões. Alguns pediatras acreditam que a saída de casa e a convivência com outras crianças são benéficas. “Nos primeiros meses, é comum que o bebê pegue algumas doenças quando começa a frequentar o berçário. Mas hoje nós sabemos que esse é um bom treinamento para o sistema imunológico dele”, explica o pediatra Gabriel Striker, pai de Maria Afonsina e Floriana.

Por outro lado, há médicos que reforçam a importância de manter a criança em casa pelo maior tempo possível. “Quando ela sai de um ambiente protegido, passa a ficar suscetível a doenças que se tornam uma sobrecarga em seu sistema imune, e eu não vejo isso como algo positivo”, destaca o doutor Derblai. Entre prós e contras na saúde, o berçário traz o benefício de seu filho ser cuidado por profissionais bem preparados, o que garante tranquilidade aos pais