Pais

Não é tudo igual!

Em homenagem ao Dia das Mães escolhemos cinco mulheres, bem diferentes entre si, para reafirmar nossa crença: crie seus filhos do seu modo

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Ana Castelo Branco, mãe de Mateus, 1 ano, e Helena, 4 meses, publicitária

Nascida em Brasília, Ana mudou para São Paulo por causa da profissão, que sempre lhe deu muito prazer – trabalhava frenéticas 12 horas por dia. Conheceu Marcelo, casaram-se, mas as crianças só vieram onze anos depois. Mateus nasaceu com síndrome de Down. Mas o tempo levou embora o sobressalto. “O susto que ele me deu quando nasceu compensou sendo um bebê muito fácil”, conta. Por causa de Mateus, Ana deixou o emprego – o que não foi nada fácil -, a fim de se dedicar ao desenvolvimento do filho. Hoje, trabalha de casa como freelancer, ainda em publicidade. Quando o mais velho tinha a penas 5 meses, Ana descobriu que estava grávida de Helena. Aos finais de semana, a família toda vai para casa de praia, em Ilhabela, onde Marcelo tem um veleiro. Adepta de um estilo básico, ela não dispensa um jeans com camiseta, mas gosta de complementar as produções com um salto alto – o look minimalista pode ficar cheio de estilo!

Anúncio

FECHAR

 

TESOUROS DE FAMÍLIA

Helena, a caçula, não resiste ao sono quando está perto da sua girafa. “Ela dorme instantaneamente”, cona Ana.

Embora Brigitte seja de uma raça que é conhecida pela ferocidade (dogo argentino), a cachorra da família – que veio antes das crianças – é, na verdade, um doce de bicho e xodó de Mateus: “Bi” foi uma das suas primeiras palavras

O mais velho de Ana ainda não vai à escola, mas solta a criatividade em pequenas telas, que ficam espalhadas pela casa.

Bola e carrinhos estão entre as brincadeiras favoritas de Mateus. Esta bola foi presente do primo Gabriel.

Juliana Manzini, mãe de Isabela, 2 anos, designer de acessórios

Isabela foi uma criança muito planejada e esperada. Só que, durante a gravidez, o pai de Juliana adoeceu e faleceu. No hospital, pouco antes de morrer, fez um pedido à filha: que a neta fosse batizada com o mesmo mandrião (roupa parecida com um vestido) que já foi usado pelo avô, tia-avó, mãe, tio e por uma prima. O batizado foi marcada para os 8 meses de idade.

O mesmo charme de boemia meio cigana que perpassa a marca de acessórios de Juliana e seu próprio visual é transmitido para a filha; a linha  infantil, aliás, foi inspirada em Isabela. Juliana adora calças flare e abusa nos acessórios. Na sua produção – assim como na da filha – o colar dá o toque final.

TESOUROS DE FAMÍLIA

O carrossel de porta-retratos foi o presente da vó Nita, de 92 anos, bisa de Isabela.

Isabela foi a motivação de Juliana para a linha infantil de sua marca de acessórios. O colar foi um presente de mãe para filha.

O mandrião – aquele clássico traje de batizado que se parece com um vestido – circula pela família há 70 anos.

Silvia Kanakami, mãe de Julia e Diego, ambos de 6 anos, gerente bancária

Com um estilo clássico e elegante, que aparece tanto na decoração da casa quando nos seus blazers bem cortados, Silvia é uma mulher que cuida da educação de seus filhos com rigidez e muito carinho. “Para mim, o mais importante é ensiná-los a ter caráter e honra, porque isso ninguém pode tirar”, comenta. Por isso, não abre mãe de uma educação religiosa: apesar de não frequentar sempre a igreja, Silvia faz questão de ler a Bíblia para os filhos. “É um momento de união e transmissão de valores.”

Os gêmeos Julia e Diego são educados e carinhosos. “São uma graça alcançada; gêmeos trazem tudo em dobro – o amor, a emoção”, diz a mãe, orgulhosa.

TESOUROS DE FAMÍLIA

As fraldinhas de boca foram de Julia e Diego quando nasceram, e Silvia faz questão de guardá-las até hoje.

O relógio de gato sempre foi o despertador dos pequenos, até hoje coloca as crianças para fora da cama.

A Bíblia da família fica em lugar de honra, na sala de estar, ao lado so sofá. É para estar sempre ao alcance!

O álbum e os bonecos do Mickey e da Minnie são lembrança das últimas (deliciosas e inesquecíveis) férias da família.

Angélica Möller, mãe de Chloe, 6 anos, e Audrey, 4 anos, blogueira

Quando era criança, Angélica chegou na aula de natação coberta de tatuagens de chiclete. O professor implicou, e sua mãe tentou amenizar, mas ele profetizou: “Isso não é brincadeira, nada, a senhora vai ver”. Dito e feito: aos 21 anos, ela já era gerente de um estúdio de tatuagem, com um estilo muito próprio: uma mistura de tendências boho e rocker. Foi quando conheceu Mario. Namoraram por seis meses, e decidiram que queriam ter filhos. 

Aos respectivamente 6 e 4 anos, Chloe e Audrey são meninas muito articuladas e brincalhonas. Gostam de livros, fotografia e pintura. Por iniciativa da mãe, assistem pouca TV – que, aliás, nem fica na sala de estar, mas no escritório do apartamento de três quartos, decorado com gravuras e objetos de arte inusitados. 

Por causa das filhas, Angélia começou a escrever um blog de moda infantil, o Mama Eu Quero.

TESOUROS DE FAMÍLIA

Preciosidades da biblioteca das meninas: um livro interativo do artista Keith Haring e a história fotográfica de um dente de leite.

Do pai fotógrafo, Chloe ganhou uma câmera Diana F de presnete. “As primeiras fotos foram suoerengraçadas; por causa da altura dos 4 anos de idade, ela fotografou os traseiros da família inteira”, ri Angélica.

Audrey perdeu um ursinho de que não desfrudava num táxi. Para substituir o mascote, a mãe trouxe de uma viagem a Amsterdã este cachorrinho.

Este quadro decora o quarto das meninas. É uma obra original, comprada para elas. “Procuro incentivá-las a gostar de arte”, explica. E a gente adora!!!

Shubi Guimarães, mãe de Antonio, 1 ano e meio, empresária e ex-atleta

Ex-atleta de corrida de aventura e formada em pedagogia, Shubi é uma mãe sem neuras: preocupa-se em ensinar ao filho o respeito aos mais velhos e em permitir que ele desenvolva sua autonomia. Nada de ficar em cima, nada de fazer todas as suas vontades. Despojada e esportiva, Shubi faz questão de incluir antonio no seu universo – juntos, eles já fizeram várias trilhas, como a da base da Pedra do Baú, em São Bento do Sapucaí, no interior de São Paulo. Nos looks, sempre opta pelo conforto e adora cores vivas. Hoje, ela e o irmão têm uma empresa que promove eventos esportivos na natureza, a Ecomotion.

>> Shubbi participou de um programa da séria Mãe Também é gente, da Pais & Filhos TV. Assista

TESOUROS DE FAMÍLIA

Com 1 ano e meio, Antonio adora sua bicicleta sem pedais, que é uma alternativa para desenvolver o equilíbrio.

É uma cachorra, mas se chama Gata. Apesar do tamanho, Shubi não tem medo dela perto do filho, que a adora.

O berço azul é alemão, e está na família de Shubi há mais de 200 anos. Isso que é tesouro, hein? A gente ama muito.

A cadeira-mochila é acessório básico para quem faz caminhada com crianças. Não podia faltar.

 

Edição: Bruna Castro, filha de Margarida e Eduardo

Fotos: Carol Bastos, mãe de Bruno e Felipe