Família

Amamentar previne câncer de mama

Imagem Amamentar previne câncer de mama

Publicado em 11/10/2013, às 11h49 - Atualizado em 30/01/2020, às 19h31 por Redação Pais&Filhos


O mês de outubro é o mês rosa, dedicado a prevenção do câncer de mama em todo o Brasil. E quando se fala de uma das doenças mais comuns entre as mulheres brasileiras, é melhor ficar atenta e se cuidar. De acordo com INCA, Instituto Nacional de Câncer, as estatísticas de 2012 indicam que foram diagnosticados 53 mil novos casos da doença e cerca de 12 mil mulheres morreram por causa do agravamento. Mas além dos exames frequentes de prevenção, amamentar é uma forma de prevenir o câncer de mama também.

7 coisas que você não sabia sobre amamentação

Pediatra responde 1 1 maiores dúvidas sobre amamentação

Segundo estudos, para cada 12 meses de amamentação a mãe reduz 4,3% do risco de desenvolver o câncer de mama. O médico oncologista Ellias Magalhães explica que este tipo de câncer é desenvolvido de acordo com a exposição aos hormônios femininos que são produzidos em diferentes concentrações conforme o ciclo menstrual. E, quanto maior o número de ciclos, mais a mulher fica exposta e tem mais chances de desenvolver o câncer. “A amamentação é um período de contracepção natural, no qual a mulher tem o seu ciclo reprodutivo suprimido (mesmo assim, não confie que não vai engravidar só porque está amamentando, claro). Sendo assim, quanto maior o período de amamentação, menor será a chance de desenvolver a doença, já que a mulher deixa de sofrer as ações dos hormônios que podem causar o câncer de mama”, explica o oncologista.

Outra hipótese do porquê de amamentar ser preventivo é que, durante a gestação e o aleitamento, o tecido mamário sofre alterações celulares que aumentam a funcionalidade da célula, o que, com o passar do tempo, poderia reduzir definitivamente o risco de desenvolver a doença. Sendo assim, mulheres que tiveram um maior número de gestações e/ou períodos de amamentação mais longos estariam mais protegidas.

Mas, mesmo para as grávidas, é indicado continuar com os exames preventivos, seguindo as mesmas regras de qualquer outra mulher. Caso tenha alguma suspeita, a mamografia pode ser indicada, sendo importante pedir uma proteção especial para o feto. O oncologista Ellias Magalhães alerta: “No período de gestação, devido à alteração do tecido mamário, podem ocorrer formações de cistos, mastites, dentre outras coisas, que podem confundir o diagnóstico do câncer de mama. As pacientes devem estar atentas às alterações das mamas e se surgir dúvida deve comunicar ao médico.”

O ideal é que anualmente ou a cada dois anos a mulher realize o exame clínico feito por um ginecologista ou oncologista e também a mamografia. Os médicos enfatizam um acompanhamento anual para mulheres entre 40 e 75 anos. Mas para as que correm risco maior de desenvolver a doença (mais de 20% de chance), é importante que, a partir dos 25 anos, já comecem um acompanhamento médico, realizando todos os exames necessário e complementares anualmente.

Consultoria: Dr. Ellias Magalhães médico oncologista da Oncomed BH



Palavras-chave
Saúde

Leia também

Imagem Nomes femininos raros: veja opções chiques e únicas para meninas

Bebês

Nomes femininos raros: veja opções chiques e únicas para meninas

Pai de Davi - (Foto: Reprodução/Instagram)

Família

Pai de Davi não concorda com posição do filho e decide ir morar com Mani

Imagem Pai de Henry Borel comemora nascimento de filha três anos após tragédia

Família

Pai de Henry Borel comemora nascimento de filha três anos após tragédia

Se você procura um nome de menina, aqui estão 180 ideias diferentes - Pexels/Moose Photos

Bebês

180 nomes femininos diferentes: ideias de A a Z para você chamar a sua filha

Virginia Fonseca - (Foto: Reprodução/Instagram)

Família

Virginia Fonseca toma atitude após Maria Alice empurrar Maria Flor: “Dói mais na gente”

Copo Stanley - Divulgação

Super desconto

App Day Amazon: os famosos copos térmicos da Stanley com até 55% de desconto

Isabella Fiorentino explica o motivo de não mostrar o rosto do filhos - Reprodução/ Instagram

Família

Isabella Fiorentino explica o motivo de não mostrar o rosto dos filhos em fotos nas redes sociais

De A a Z: confira os nomes femininos americanos para te inspirar - Getty Images

Bebês

Nomes americanos femininos: mais de 1000 opções diferentes para você se inspirar