Pais

3 dicas essenciais para uma mãe sozinha

É um desafio grande dar conta da vida e dos filhos sozinha, mas é possível, sim. E pode ser gratificante. Depende de você

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Quando um vizinho me disse casualmente em uma conversa: “Bom, agora você é uma mãe solteira”, fiquei absolutamente surpresa. Não tinha me dado conta de que seria colocada nessa categoria “mãe solteira” depois de ter me separado. Eu? Uma mãe solteira?
55 fotos que capturam a rotina da mãe solteira

Guia da mãe solteira: Saiba como conciliar vida amorosa e filhos

Anúncio

FECHAR

 

Cresci com a vaga ideia de que uma mãe solteira é uma mulher com filhos que ficam sozinhos em casa enquanto ela se equilibra entre dois ou três empregos para conseguir chegar ao fim do mês (culpo a televisão por esse estereótipo, aliás). Assumi, desde o início, que, já que meu ex-marido é um pai presente, eu estaria excluída deste status. Mas, não!  Então eu pensei um pouco: sou ou não sou uma mãe solteira? E fui por partes: 1) sim, sou mãe; 2) com certeza, sou solteira agora que me separei; 3) tenho mais de um emprego; 4) não tenho ninguém para me ajudar a consertar o vazamento da torneira da cozinha ou a cortar a grama e nem para me dar segurança, emocional ou financeira… Conclusão: como estou completamente por conta própria, sim, acho que isso tudo me qualifica como uma mãe solteira.

Fico até feliz por ninguém ter me dito antes do meu divórcio que ia ser uma mãe solteira. O peso disso tudo – a responsabilidade, a solidão – é aterrorizante… Ou libertador? Depende da perspectiva. Vejo muitos pontos positivos: não devo satisfações a ninguém. Não tenho que ficar pedindo a opinião de ninguém para tomar decisões. Posso traçar meu próprio caminho, do jeito que eu quiser. É desafiador, mas também é, no final das contas, um tipo de liberdade.

O rótulo de mãe solteira é algo de que eu teria fugido. Tem a ver com fazer um desafio de que a maioria das pessoas têm medo. Tem a ver com não seguir um modelo de família, mas tem a ver com a coragem diante do desafio. Se parece mesmo com uma gincana, eu sempre tentando dar conta do que precisa ser feito.

Depois de uma separação, você se vê, de repente, totalmente fora do equilíbrio, e é necessário encontrar o seu caminho de novo, agora que está sozinha. É uma transição complicada, mas a sua corrida tem um ótimo motivo: seus filhos. Ser mãe solteira força a estabelecer prioridades, e rápido. Por que não fazer isso ser gratificante? Aqui vão três dicas das minhas próprias lições de vida:

1. Confie em você: Jogue  medo e as dúvidas sobre si mesma pela janela – eles não vão servir de nada. Ouça a sua intuição e faça aquilo que você acha melhor. Você tinha uma vida antes de se casar, e você certamente é capaz de construir uma nova agora. Saiba o que é mais importante para você. Honre seus valores. Confie nos seus palpites. Esteja presente. Não fique obcecada pelo passado ou pelo futuro. Como uma sábia pessoa anônima disse, “preocupar-se é rezar por aquilo que você não quer”, e se você está com esse estado de espírito, você não está no aqui e agora. Assim, você está perdendo o que está acontecendo agora na sua vida e na do seus filhos, e, sobretudo, está perdendo uma oportunidade de estar verdadeiramente bem consigo mesma e entender o que você de fato deseja. A sua intuição com certeza está a postos, tentando ajudar – você só precisa ouvir. Você pode encontrar equilíbrio na sua vida novamente e ser, assim, um ótimo modelo para os seus filhos. A única pessoa que pode impedir que isso aconteça é você mesma.

Filho traz felicidade?

Maria Rita: Mainha me ensinou

2. Peça ajuda:  Sim, você vai precisar de bastante ajuda agora – dos amigos, da família, de eletricistas, de encanadores… Identifique as coisas de que você pode precisar e  faça uma lista de pessoas e/ou profissionais que podem ajudar com cada uma delas. Infelizmente, a maioria das pessoas não gosta da ideia de pedir ajuda, e isso é uma pena, porque as pessoas, em geral, se sentem bem em ajudar. Contribuir para o bem estar de alguém é bom: dá uma sensação excelente de ser alguém importante. Você também  não se sente assim quando colabora com os amigos? Então porque privar seus amigos e a sua família desse prazer? Então lembre: não precisa se sentir mais sozinha do que o necessário, mas você não precisa de fato estar. A escolha é sua.

3. Divirta-se!: Muito trabalho e pouca diversão farão de você uma mãe ranzinza. Apesar de todas as suas responsabilidades, você ainda tem que viver a sua vida! Você está trabalhando duro para criar a melhor vida possível para você e seus filhos. Mas não esqueça que a “melhor vida” inclui diversão e brincadeira! Use o tempo que eles ficarem com o pai para você. Lembre: seus filhos precisam que você recarregue as baterias. Não deixe que todas as responsabilidades e a falta de tempo para dar conta de tudo impeçam de você relaxar. E cuide de também ter tempo de brincar com as crianças. Aproveite quando perceber que eles estão se divertindo com alguma coisa, para chegar e  participar. Eu tenho orgulho de ser mãe solteira, e espero que você tenha também. Significa que fizemos decisões difíceis. Mas, enfim, merecemos uma medalha de honra de estar seguindo a vida, fazendo o melhor pelos filhos. E isso ninguém pode tirar da gente!

Algumas mães nos responderam qual o maior desafio que elas enfrentam nos dias de hoje. Confira!