Notícias

Na creche sem culpa

Renata Fonseca, mãe Natalia, teve que deixar sua pequena com menos de 4 meses no berçário, doeu mas ela aceitou e seguiu em frente sem culpa

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Renata Fonseca mãe de Natalia  participa da campanha Culpa,Não! O tema do mês de Maio é  “Culpa por deixar a criança na creche”  se você também quiser participar siga a nossa página no Facebook e mande um depoimento sobre o tema do mês para giovanna@revistapaisefilhos.com.br .  

A Natalia demorou a nascer, somente com 41 semanas e 4 dias comecei a sentir contrações. Eu queria o parto normal e esperava a bolsa romper, o que não aconteceu… mas isso é outra história!!

Bem, como eu havia parado de trabalhar cerca de 15 dias antes do parto, a licença maternidade acabou antes dela completar 4 meses.

Anúncio

FECHAR

Meu chefe me ligou uma semana antes, perguntando se eu poderia voltar quando acabasse a licença, eu disse que sim, por que no mundo de empresas privadas de pequeno porte, não se diz não pra não perder o emprego.

Sua proposta foi que eu tiraria os 25 dias restantes (10 de férias + 15 de licença amamentação) durante 50 dias trabalhando meio período.

Já havíamos escolhido a creche, o problema foi ensiná-la a mamar na mamadeira. Minha ideia era mandar o leite do peito congelado pra creche, ela teria 2 “refeições” até eu pegá-la no início da tarde. 

A Natalia foi bastante resistente e meu coração ficou partido, quando tivemos que deixá-la sentir fome, pro Papai dar o leite do peito na mamadeira.

UFA! Conseguimos!! Mas não tínhamos muito tempo pra fazer toda a adaptação na creche.

No meu primeiro dia de trabalho após o retorno, liguei tantas vezes pra creche pra saber se ela tinha mamado, que ao meio-dia a diretora me ligou dizendo pra eu ficar tranquila que, finalmente, a Natalia tinha mamado tudo!! Respirei aliviada e quase chorei novamente!

Os 50 dias transcorreram muito bem! Confesso que não senti culpa e a qualidade do meu tempo com ela melhorou 200%, afinal, eu estava menos “cansada de fralda” e conseguia me divertir, brincar e passear mais com ela durante este tempo do que antes, quando ficava o dia inteiro!

 

Agora, ela já tem 2 anos e 3 meses e fica 10 horas por dia na creche. Se adaptou muito bem, é extremamente falante e comunicativa… fala com qualquer pessoa que chegar perto dela!

Agora estou grávida novamente (17 semanas) e, como ainda trabalho na mesma empresa, acho que vai acontecer a mesma coisa… vou esperar pra ver!

Ressalto que a Natalia mamou exclusivamente no peito até os 4 meses, pois todas as noites eu tirava leite pra congelar e levar pra creche no dia seguinte.

Espero ajudar a outras mães que se culpam por ter que levar os filhos muito cedo pra creche! 

Não me culpo por nada, dou o meu melhor pra minha filha e é o que eu posso dar! Sou um ser humano e tenho as minhas limitações como todos os outros!

Às vezes, fico reticente ao comentar que foi proveitoso o fato de levá-la cedo pra creche, pois acho que algumas pessoas acreditam que se você não sentir culpa, não é mãe de verdade!! 

Graças a Deus, não penso assim!! e meu marido também não!!