Notícias

Filhos conscientes

O Instituto Se Toque leva informação sobre câncer de mama a crianças…. É prevenção, sim, mas com o objetivo de chegar às mães por elas

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

O câncer de mama é o mais comum entre as mulheres, segundo no ranking geral de incidência da doença. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), no Brasil as taxas de mortalidade pela doença continuam altas sobretudo porque o diagnóstico da doença é tardio, quando há pouco a fazer.

Ciente dessa realidade, a presidente do Instituto Se Toque, Monica Serra, junto com sua equipe vem tentando incentivar as mulheres a realizarem o exame preventivo, falando diretamente com um público que está sempre disposto a aprender: os filhos. “Prevenção é educação, por isso acreditamos que para fazer um diagnóstico precoce é preciso que isso seja ensinado. Um local onde essa informação pode ser absorvida é na escola”, afirma Monica.

Anúncio

FECHAR

A conscientização junto às crianças é feita por meio de apresentações teatrais da peça “O Colar da Vida”. Na peça, Dona Lindarci, após ter descoberto um carocinho na mama – devido à orientação do Instituto Se Toque – consegue se tratar a tempo e se curar. Agradecida, institui um concurso cultural que pretende premiar com o Colar da Vida a criança que souber mais a respeito do câncer de mama.

Colar da Vida

Monica conta que o colar da vida é um instrumento educativo que reune beleza e informação, fazendo alusão a um colar de pérolas de diferentes tamanhos, em que cada esfera representa uma etapa do crescimento de um tumor de mama e suas chances de cura. Tumores de até 1 cm, correspondente à menor pérola do colar, apresentam 95% de chance de cura. De 1cm a 2 cm, 85%. Os nódulos de 2 cm a 3 cm possuem 60% de chance de cura. Com mais de 3 cm, maior pérola, as chances caem para 30%.

No final da peça, cada aluno recebe para entregar a sua mãe. E eles realmente ficam motivados. A coordenadora educacional Adriana Nunes da Costa, mãe do Pedro, bem sabe. Ela conta que ele assistiu à peça na escola em que ela trabalha e ficou maravilhado. “Quando a apresentação acabou ele pediu mais de um colar, pois queria dar para a avó e a tia.”

Com o projeto, o Instituto Se Toque almeja que essa mensagem se propague e que, no futuro, as meninas saibam ter o auto-cuidado necessário para a detecção precoce do câncer.