Notícias

Ele não abre a boca

Mayara, mãe de Fabrício, conta com a ajuda da babá, Nina, nos desafios para alimentar o filho

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Meu filho tem um ano e um mês e desde que nasceu sofro para alimentá-lo. Ele é prematuro e nasceu apenas com 1,9 kg.

Quando começamos a dar papinhas, ele até que se alimentava bem. Achávamos que ia ganhar peso rapidinho, mas de uns tempos para cá – para ser mais precisa, quando retornei ao trabalho – ele começou a dar trabalho para comer e começou a nossa batalha.

Anúncio

FECHAR

Nos finais de semana, quando eu e meu marido vamos alimentá-lo, ele cospe a comida, não abre a boca, faz manha, ignora a gente, chora, faz escândalo etc. Nós começamos a ficar muito preocupados, pois como disse, ele sempre esteve abaixo do peso e precisava engordar um pouco. Fui perguntar para a babá se, com ela, ele faz isso também. Ela me disse que começou a fazer nesta mesma época (que eu voltei ao trabalho), mas com muita paciência, conseguia alimentá-lo. Para isso, usa algumas artimanhas, como: deixá-lo sentado na pia da cozinha, distraí-lo com um brinquedo, com televisão, com qualquer coisa que faça com que ele não perceba que ela quer alimentá-lo… E aí, depois de um bom tempo, consegue dar toda comidinha. Eu sei que estas não são boas maneiras de alimentar uma criança, pois eles tem que ter rotinas, saber que a hora da refeição é aquela, tem que sentir prazer em comer, mas em circunstâncias como essas, preferimos deixar de lado e alimentá-lo como conseguimos. Rs

Eu continuo não conseguindo dar comida pra ele nos finais de semana, ele simplesmente não abre a boca, e quando abre, cospe tudo. Mas fico mais aliviada de saber que com a Nina (a babá) ele come e vou dando coisa que sei que o meu filho gosta, como mamadeira, papinha de fruta, água de coco, iogurte etc.

Acredito que seja normal nessa fase ou até mesmo uma forma de me “castigar” por não estar perto dele durante a semana, mas espero que passe logo! Hoje o Fabrício está com 8,3 kg, mas está completamente saudável.

Obrigada pela prestatividade de vocês. Amo a página de vocês e sempre acompanho, são temas atuais e que ajudam muito as mamães que sentem essa “culpa”.