Mais

Sempre Alerta: Torrar no sol? Esquece!

Um solzinho faz bem, mas não em excesso

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

É isso mesmo. Antes dos seis meses de vida do seu bebê, o tal do solzinho é bem assim, muito de levinho mesmo:  só pode por até 15 minutos e chega, deu, acabou. Protetor solar, só pode usar depois de seis meses, aí o bebê pode aproveitar o sol por mais tempo. Mas também é bem de leve. E aí começa a loucura, porque criança sem protetor solar infantil com filtros físicos, que tem menos chance de causar irritação na pele, nem pensar. O fator varia com a tonalidade da pele, mas o mínimo é de FPS 30. E o certo é reaplicar o produto a cada duas horas e sempre que a criança sair da água. Nunca deixe o seu filho desprotegido! Nunca. Sol demais é perigoso sim, pode acabar facilmente em queimaduras e desidratação. Para não correr nenhum risco, além do protetor, seu maior aliado, é bom deixar o bebê com roupa e sempre refrescado para não sentir calor. Já as crianças maiores devem brincar na sombra e ter a cabeça protegida com um boné ou chapéu. Nem os adultos, e muito menos as crianças, devem ficar expostas ao sol em horários de risco, ou seja, das 10h às 16h. Aproveite com cuidado e bom verão. Praia e piscina, com filho, é assim mesmo. Vai, volta, sai, entra… E tudo bem!

Consultoria
Suzy Rabello, filha de Renato e Maria, é dermatologista do Hospital Bandeirantes. Tel.: (11) 3345-2000; hospitalbandeirantes.com.br

Anúncio

FECHAR

Pais&Filhos TV