Mais

Culpa e aprendizagem durante a amamentação

Bárbara conta o que mudou depois da culpa de não conseguir amamentar

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

22/02/2013

Bárbara, mãe de Kassem e Sueli e autora do blog umamaedasarabias.com.br , escreveu sobre o que a culpa  por ter dificuldades para amamentar lhe ensinou.

Durante toda a gestação do meu primeiro filho, pesquisei e fui atrás de um parto normal. Em momento algum me preocupei com a amamentação, pois achava que todo bebê ao nascer já sabe como mamar.

Anúncio

FECHAR

Mas a realidade não é bem assim.

Tive o parto normal que queria. 

Mas quando chegou na hora da amamentação, a história mudou.

Na maternidade foi tudo lindo e belo, mas assim que colocamos o pé em casa o Kassem não parava de chorar.

Chorava dia e noite e eu não sabia o que fazer, somente oferecia o peito e mais nada.

O meu leite havia descido, estava com o peito cheio e bem dolorido, e não entendia pq ele não parava de chorar.

Depois de dois dias, eu chorei e pedi pro meu marido que nos levasse de volta a maternidade pois o Kassem tinha alguma coisa.

E tinha, fome! 

Foi esse o diagnostico que nos deram assim que chegamos. Nesses dois dias ele não havia mamado nada, com isso a icterícia havia aumentado e era preciso banho de luz.

Agora imagina a quantidade de diagnósticos num dia só pra um bebê que acabou de nascer.

Fique arrasada e me senti muito culpada por não ter entendido o meu filho. Pq não li mais? Pq não procurei me informar?

Passamos dois dias internados na maternidade e parecia que a amamentação tinha dado certo.

Voltamos pra casa e nossa luta começou outra vez.

Ele não estava ganhando peso suficiente, não mamava corretamente e assim na maioria dos pediatras que fui, ganhamos uma receita de formula.

Eu me neguei a dar formula pra ele logo no começo, porque eu queria amamentar meu filho. Mas meu coração doía toda vez que ele chorava de fome.

Rendi aos pedidos de uma mamadeira de formula por dia, logo viraram duas, três, quatro e um belo dia ele não queria mais o peito.

Chorei, chorei, mas não desisti, procurei ajuda especializada em amamentação na internet.

Liguei pra uma consultora e expliquei minha situação.

Ela me aconselhou a fazer a relactação. 

Fiz, foi trabalhoso e graças a Deus deu super certo e o Kassem mamou até os 23 meses de vida!

Quando a Sueli nasceu, eu já estava disposta a não cair no mesmo erro e se tivemos algum problema com a amamentação, procuraria ajuda especializada.

Graças a Deus não tivemos problemas, mas até hoje sinto por não ter procurado ajuda na amamentação do Kassem, logo no começo.

Pais&Filhos TV