Criança

O sonho que começou com um “não”

O ônibus de Rosa conta como uma atitude mudou a história dos EUA

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

“Eu tenho um sonho: que um dia esta nação se levantará e viverá o verdadeiro significado de sua crença”, foram as palavras do discurso de Martin Luther King, que completou 50 anos essa semana. O seu papel foi fundamental para fomentar o movimento negro e buscar a conquista dos direitos civis nos EUA.  Antes disso, em 1955, ele participou do boicote ao ônibus de Montgomery, protesto que teve o seu estopim graças a uma mulher: Rosa Parks.

O ônibus de Rosa, de Fabrizio Silei, conta a história de um senhor que leva o neto ao Henry Ford Museum (Museu de Henry Ford). Lá, explica para a criança como era a realidade da época: “não havia turmas de crianças brancas, negras e mestiças, como hoje. Os negros tinham sua escola, seus locais, seus banheiros públicos, sua vida, que seguia separada da dos brancos”. E é aí que Rosa Parks entra na história. O avô conta como essa corajosa mulher se recusou a dar o seu lugar para um homem branco, como todos os negros eram obrigados a fazer.

Anúncio

FECHAR

A história do livro é contada pelo avô e ilustrada em quase todas as páginas. A leitura é agradável e você se sente parte da história, como se ela estivesse acontecendo novamente.

O ônibus de Rosa

Autor:  Fabrizio Silei

Ilustrador:  Maurizio A. C. Quarello

Editora: SM

Veja também:

Anúncios publicitários (geniais) com Martin Luther King