Família

Não tomar café da manhã atrapalha desempenho escolar

80% dos professores já testemunharam alunos passando mal por não ter comido

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

nao-tomar-café-da-manhã-prejudica-desempenho

Por Larissa Purvinni, mãe de Carol, Duda e Babi

A gente sabe como é: de manhã a correria atrapalha e o café da manhã fica para amanhã. Só que essa refeição faz muita falta, sim. Tanta que pode afetar o rendimento do seu filho na escola. A Nestlé divulgou alguns dados num café da manhã especial em São Paulo, que contou com a presença de especialistas e da atriz Deborah Bloch, que compartilhou SUS experiências como mãe.

Anúncio

FECHAR

Uma pesquisa feita pelo Ideafix Estudos Institucionais em junho ouviu 300 professores do Ensino Fundamental 1 e 2 de escolas particulares de São Paulo a pedido da Nestlé. Os resultados assustam: 80% já presenciaram mal-estar físico no período da manhã, que atribuem à falta da refeição, sendo 31,7% tontura , 29,7% dor de cabeça, 18,9% enjoo, náusea e vômito, entre outros.

Segundo a nutricionista da USP (Universidade de São Paulo), Sílvia Cozzolino, mesmo crianças saudáveis e sem nenhuma deficiência nutricional grave podem apresentar esse tipo de sintoma se ficarem muitas horas sem se alimentar ou mesmo se a composição do café da manhã não for adequada.

“O café da manhã é importante porque é o momento em que o organismo deixa seu estado de jejum ao receber a primeira alimentação, e, quanto mais saudável for o café da manhã, maiores serão os benefícios para o indivíduo, que terá suas necessidades atendidas e melhores condições para suas atividades diárias. Além disso, ao pular o café da manhã, perde-se a oportunidade de ingerir alguns nutrientes essenciais, que dificilmente seriam compensados em outras refeições”, diz.

A maioria (64%) dos professores percebem que os alunos deixam de tomar café da manhã pelo menos uma vez por semana, sendo que 89% reconhecem que o café da manhã influencia o aproveitamento das aulas. Para eles, o principal impacto da falta do desjejum é falta de atenção / concentração (69%).

Se você tem filho pequeno e acredita que, quando ele crescer, vai ser mais fácil fazê-lo comer de manhã, não se anime: 55% dos professores responderam que a falta da refeição é mais freqüente entre alunos de 11 a 14 anos. A atriz Deborah Bloch confirma: “Hoje é bem mais complicado fazer meu filho de 14 anos comer alguma coisa pela manhã”, conta.

Segundo a doutora Silvia Cozzolino, uma refeição equilibrada deve conter todos os grupos de alimentos:

1 porção de carboidratos como cereais, preferencialmente integrais
1 porção de leite ou derivados, como fonte de proteína e cálcio
1 porção de frutas ou suco, que oferece minerais, vitaminas e fibras

Uma opção fácil, rápida e muito nutritiva é unir cereais matinais, leite e frutas picadas. Se seu filho faz questão do pão com manteiga, procure trocar o pão branco pelo integral. Frutas picadinhas podem dar mais trabalho para você, mas facilitam para as crianças. Varie as frutas, pois elas trazem nutrientes diferentes: banana, maçã, papaia, carambola (cortada, ela forma estrelinhas…). Quem toma café, além de ficar mais disposto, reduz o risco de comer demais nas refeições seguintes, diminuindo a probabilidade de ficar obeso no futuro.

Claro que o mais fácil é criar o hábito desde o início, mas vale a pena insistir. Deixe as crianças escolherem as frutas na véspera, varie as opções, sente com elas à mesa. Vale a pena acordar um pouco mais cedo.


Para mais dicas, consulte o site preparado pela Nestlé: www.maisdoquevcimagina.com.br

Consultoria: Dr. Silvia Cozzolino, CRN3 – 0621