Pais

Companheira de confiança: 6 dicas para escolher a babá

Veja o que deve prestar atenção na hora da entrevista

Isabela Kalil de Lima

Isabela Kalil de Lima ,Filha de Kátia e Fabio

baba

(Foto: Shutterstock)

Sabemos que não é fácil deixar o filho sob os cuidados de outra pessoa, além de nós, mães e pais. Mesmo que seja com alguém da família, as preocupações parecem que insistem em ficar na cabeça. Quando o assunto é babá então, angústia se soma com dúvida e a situação fica ainda mais tensa.

Mas não precisa se desesperar. Renata Simonetti Marchetti, mãe de Giovanna e sócia da agência Alô Babá, dá algumas dicas para a hora de entrevistar a futura babá.

1 – Verifique onde ela mora

Anúncio

FECHAR

Parece que o local onde a babá mora não faz diferença, mas faz. Mais ainda numa cidade como São Paulo, onde o trânsito pode te fazer gastar mais e três horas para chegar de um ponto a outro. “O tempo perdido no trajeto vai influenciar diretamente no desempenho da babá”, explica Renata. Se ela mora muito longe e precisa pegar várias conduções para chegar até sua casa, pode acabar ficando cansada.

2 – Não fique preso a estereótipos

Aposto que você já ouviu falar por aí que babás mais velhas são mais responsáveis e que as mais jovens brincam mais. Pode até acontecer, mas não é uma regra. “Cada profissional tem suas qualidades e você deve entrevistar e falar com as candidatas sem preconceitos. Na agência temos babás mais jovens extremamente focadas e responsáveis e babás mais velhas cheias de pique e que adoram brincar”, comenta a sócia da Alô Babá.

3 – Use sua intuição

Ao abrir a cabeça para todas as possibilidades, confie no que está sentindo. Intuição de mãe nunca falha, não é mesmo? Depois das perguntas de praxe da entrevista, como motivo da saída do último emprego, disponibilidade de horários e salário, converse sobre temas variados com a futura cuidadora. “Fale sobre hobbies, planos futuros ou notícia recente. Assim, você testa sua empatia com a profissional”.

4- Pergunte sobre a rotina do bebê ou criança na última casa em ela trabalhou

Além das questões básicas e de saber como a babá aproveita as horas livres, é importante perguntar o que ela fazia no emprego anterior. “Toda profissional experiente tem na cabeça, com detalhes, toda a rotina, pois, como sabemos crianças e bebês sempre têm rotinas bem definidas. Isso vai te ajudar a entender qual o nível de confiança que os últimos empregadores tinham nela.”

5 – Consulte a carteira de trabalho

Essa tarefa também é essencial! Renata recomenda ficar atenta a profissionais que alegam ter perdido o contato com ex-empregadores e se negam a fornecer determinadas referências.

6 – Procure referências

Depois de analisar a carteira de trabalho, converse com as famílias para as quais a babá trabalhava antes. “Somente os ex-empregadores poderão te dar uma ideia real do que esperar da profissional”, alerta Renata.

A sócia da Alô Babá avisa também para tomar cuidado com a veracidade dos telefones fornecidos pelas candidatas. Isso porque elas podem passar o contato de amigos ou parentes para ganhar vantagem. “É importante checar a lista telefônica e quando falar com o ex-empregador fique atento se os dados fornecidos pela candidata são confirmados poe ele, tais como idade das crianças que cuidou, endereço, data de entrada e saída da babá”.

Leia também:

Novo aplicativo promete ser o “Uber de Babás”

BBB: Babá ou Berçário para o Bebê?

Sem culpa de colocar cedo na creche