Família

10 coisas que você jamais deveria dizer ao seu filho

Essas frases do cotidiano, que são aparentemente inofensivas, podem fazer mais mal do que bem. Entenda!

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

dizer

Quem nunca ouviu o ditado “palavras podem machucar mais do que tapas”? O que dizemos podem marcar as crianças para sempre, mesmo que a gente não se lembre depois. Pode não parecer, mas nossos filhos prestam atenção em absolutamente tudo o que dizemos e algumas frases podem afetá-los durante toda a vida.

Você provavelmente já usou algumas frases assim com seu filho: “espera seu pai chegar em casa” ou “você poderia ser mais como seu irmão”. Algumas delas podem ser prejudiciais. E não são tão óbvias assim.

Anúncio

FECHAR

 

  1. “Bom trabalho”

Pesquisas mostraram que falar essas frases genéricas como “boa menina” ou “é isso aí” sempre para seu filho torna-o dependente da sua aprovação ao em vez de se importar com sua própria motivação. Guarde esses incentivos para quando eles forem realmente necessários e seja bastante específica. Em vez de dizer “excelente jogo”, diga “foi um bom trabalho em equipe, eu gosto da forma como você pensa nos seus colegas de time”.

 

  1. “A prática leva à perfeição”

É verdade que quando mais vezes seu filho realizar uma atividade, mais habilidade ele terá. Entretanto, isso pode fazer com que a pressão que ele sente para vencer ou atingir a excelência aumente muito. Isso pode fazer com que, quando ele errar, sinta que não se esforçou o suficiente. Em vez disso, encoraje seu filho a se emprenhar para melhorar e sentir orgulho de seu progresso.

 

  1. “Tá tudo bem”

Quando seu filho rala o joelho e começa a chorar desesperadamente, seu instinto pode ser afirmar que ele não está tão machucado. Mas dizer a ele que está tudo bem pode fazer com que ele se sinta pior. Se ele está chorando, é porque ele não está bem. Seu papel nesse momento é ensiná-lo a entender e lidar com as emoções, não as menosprezar. Tente dar um abraço e dizer algo como “foi uma queda de dar medo”, ofereça um curativo e um beijo.

 

  1. “Se apresse!”

Seu filho demora durante o café da manhã, insiste em arramar o próprio tênis (ainda que não saiba como fazer isso direito) e está prestes para se atrasar para a escola… de novo. Mas pressioná-lo para que ele se apresse só causará estresse adicional. “Vamos nos apressar” seria melhor, já que passa a impressão de que vocês dois estão no mesmo time. Você também pode transformar esse momento em um jogo, apostando qual dos dois consegue ficar pronto primeiro.

 

  1. “Estou de dieta”

Pois é. Está cuidando do peso? Não divulgue. Se o seu filho ver você subindo na balança todos os dias e conversando sobre “ser gordo”, ele pode desenvolver uma imagem corporal nada saudável. É melhor que você diga “estou comendo melhor porque gosto de como me sinto”. O mesmo vale para os exercícios, troque o “preciso me exercitar” para “está um dia lindo, vou dar uma volta”, ele talvez até queira te acompanhar.

 

  1. “Não temos dinheiro para isso”

É fácil usar essa resposta quando seu filho te implora para que você compre um brinquedo da moda. Mas fazer isso demonstra que suas finanças não estão sob o seu controle, o que pode ser assustador para uma criança. Escolha um caminho alternativo para passar a mesma ideia, como “nós não vamos comprar, porque estamos guardando dinheiro para coisas mais importantes”. Caso ele insista em discutir isso mais a fundo, você tem a oportunidade perfeita para começar uma conversa sobre como administrar o dinheiro.

 

  1. “Não fale com estranhos”

Esse é um conceito difícil para uma criança entender. Mesmo que a pessoa seja desconhecida, ela pode não pensar nela como um estranho caso a pessoa se mostre gentil. Além disso, crianças podem interpretar essa regra de maneira errada e rejeitar a ajuda de um policial ou bombeiro, que eles não conhecem. Ao invés de alertar seu filho sobre estranhos, exemplifique algumas situações, como “o que você faria se um homem que você não conhece te oferecesse doce?”, explique a ele o que ele deveria fazer e então oriente-o sobre a melhor forma de agir. Como muitos casos de sequestro e abuso envolvem pessoas que a criança conhece, você deve também adotar a seguinte frase: “se qualquer pessoa te fizer se sentir triste, assustado ou confuso, você deve me contar imediatamente”.

 

  1. “Tome cuidado”

Dizer isso enquanto seu filho está se pendurando nas barras do brinquedo no parquinho na verdade faz com que ele fique mais propenso a cair. Essas palavras fazem com que ele se distraia do que está fazendo, então ele perde o foco. Se você está preocupada, chegue perto dele e fique ali caso ele caia, mas fique o mais quieta possível, só observando.

 

  1. “Sem sobremesa até terminar o prato”

Usar essa expressão aumenta o valor percebido pela criança pelos acordos e diminui o prazer da refeição em si – o oposto do que você quer alcançar. Mude sua mensagem para esta: “primeiro comemos nossa refeição, depois comemos a sobremesa”. As palavras mudam, mas a intenção não e, enquanto isso, você passa a mensagem que deseja.

 

  1. “Deixe-me ajudar”

Quando seu filho estiver sofrendo para construir um castelo de Lego ou para terminar um quebra-cabeças, é natural que você queira ajudar. Entretanto, se você fizer isso com frequência, a independência do seu filho pode ser afetada, pois ele estará sempre procurando os outros para obter respostas. Em vez disso, faça perguntas para ajudá-lo a resolver a questão, como: “você acha que o pedaço grande ou o pequeno vai na base? Por que você pensa disso? Vamos tentar.”