Criança

Como os pais podem manter a alimentação saudável dos filhos? Aprenda!

Hábitos que a criança aprende na primeira infância, ela leva para a vida toda

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

lancheira

Outubro é o mês da criançada e para ver essa turma esbanjando energia e crescendo saudável é preciso abastecer a galerinha da forma correta. Mas algumas dúvidas podem surgir, principalmente quando se trata de pais e mães de primeira viagem.

Para uma alimentação saudável é importante que os pais tornem prazeroso aos filhos o hábito alimentar balanceado. Por isso, devem incluir na dieta o consumo de verduras, legumes, frutas, folhas, cereais, grãos, carboidratos, proteínas, fibras, gorduras e, especialmente, a ingestão de água.

Anúncio

FECHAR

Para a nutricionista comportamental, Patrícia Cruz, uma alimentação equilibrada, além de prevenir doenças crônicas futuras, auxilia no bom desenvolvimento da criança. “Com uma alimentação saudável desde a infância, a criança cresce e ganha peso de forma saudável. O seu desenvolvimento intelectual também vai ganhar diante de uma alimentação saudável”, afirma a especialista.

Benefícios de uma alimentação infantil saudável

É na primeira infância que o hábito se forma. Sabores, preferências, atitudes alimentares são aprendidos e guardados. Se, logo na primeira infância, a criança for exposta a uma alimentação diversificada, terá como base as boas escolhas. Patrícia alerta, no entanto, que isso não é garantia de que ao chegar à vida adulta essa pessoa continue fazendo boas escolhas. O hábito alimentar sofre consequências das mudanças do estilo de vida.

“Um exemplo de como o estilo de vida tem influência na alimentação é quando se mora sozinho e a criança que cresceu alimentando-se de forma correta não criou o hábito de cozinhar, entre outras variáveis que podem interferir na qualidade da dieta”, comenta a nutricionista.

Perda do hábito saudável  

É muito comum que as crianças percam o hábito de uma alimentação saudável em algum momento da vida. Às vezes gostam de determinados alimentos na fase pré-escolar e após chegarem à adolescência não gostam mais ou não possuem o hábito de consumir o alimento. Para a especialista, isso ocorre devido às mudanças hormonais, forma de preparo do alimento ou novo estilo de vida.

Alimentação no período escolar 

Segundo a nutricionista, a melhor forma de conciliar a alimentação com o período escolar é mantendo a famosa lancheira. Assim, os pais diminuem o consumo de compras na cantina da escola. Outra dica importante na hora de procurar escolas para os filhos é conhecer a proposta da cantina.

É certo fazer negociações com a criança quando o assunto é comida? 

Para Patrícia Cruz, não se deve negociar. “Criança tem a percepção de saciedade bem clara. Trocar verdura, legumes ou a comida que está no prato por brinquedos ou mais tempo de TV não é certo. Se não comeu tudo no prato, geralmente é porque já está saciada. Forçar  a barra só vai fazer a criança associar o ato de comer a uma imensa sensação de desconforto”, explica a especialista.

Para ensinar uma criança a comer algo que ela diz não gostar é preciso ter paciência, ir oferecendo sempre, mudar a forma de preparo, cortes e combinações. Colocar sempre no prato, deixá-la experimentar e explicar o motivo de porque é importante  comer aqueles alimentos são exemplos. Levá-la para cozinha para preparar comidas rápidas e fáceis é outro. “Mostrar o prazer da comida e não somente a obrigação é importante e fica para sempre”, diz Patrícia.

Tudo que se ensina ou exige dos filhos em relação à alimentação, deve ser praticado pelos pais. São estes os principais caminhos para que os filhos alcancem um hábito alimentar saudável, juntamente com um estilo de vida saudável, prática de atividades físicas e horas de sono regular.