Especiais

Entenda como ajudar a melhorar o rendimento escolar das crianças

A tecnologia também é uma aliada para o reforço do aprendizado

Isabela Kalil de Lima

Isabela Kalil de Lima ,Filha de Kátia e Fabio

Reforço Escolar (1)

Reforço escolar aliado a tecnologia é capaz de ajudar a recuperar as notas dos pequenos no colégio (Foto: Shutterstock)

Algumas crianças têm mais dificuldades de aprendizado em determinadas disciplinas na escola. Se o seu filho está passando por isso, não se desespere. Existem diversas formas de ajudá-lo e fazer com que o seu desempenho se recupere. O primeiro passo é buscar auxílio na escola. “Procure a coordenação pedagógica da escola e o professor do seu filho, verifique o problema, qual o fator principal da não compreensão dos temas e assuntos trabalhados em sala de aula”, orienta Joecimara Miquelino Alves, mãe de Amanda e psicopedagoga da Uniderp (Universidade Anhanguera).

De acordo com Marisa Ester Rossetto, mãe de Ana Beatriz, Lourenço e Ivan, psicopedagoga e diretora educacional do Colégio Marista Arquidiocesano, o baixo rendimento pode acontecer por diversos fatores, físicos e emocionais. “Quando a criança não escuta ou enxerga direito, por exemplo, ela não compreende o que está sendo ensinado e não consegue obter as notas desejadas”, explica.

Leia também:

Anúncio

FECHAR

Saiba os cuidados que os pais devem ter na hora de contratar a van escolar

Fobia escolar: Saiba como identificar se seu filho sofre do problema

Troca de livros e uniformes gera economia no início do ano letivo

Descartados esses tipos de problemas de saúde (por meio de exames clínicos), outras opções são perdas ou separações familiares, mudanças, desconfortos na escola e até desorganização da família e do próprio aluno. “Às vezes, só o que falta é o apoio dos pais em casa na hora de arrumar o material para as aulas do dia seguinte”, completa Marisa.

Volta às aulas: fique de olho no peso da mochila do seu filho!

Escolha da primeira escola: saiba no que prestar atenção

Reforço Escolar (2)

Organizar o material necessário para as aulas é importante para as crianças aprenderem (Foto: Shutterstock)

Quando recorrer ao reforço escolar?

Se a criança continuar com dificuldades ou se a escola não oferecer meios de recuperação, uma alternativa é procurar aulas particulares. “O reforço pode ajudar o aluno a dominar o assunto que não foi captado e nivelar seu conhecimento com o da turma”, indica Joecimara.

Adaptação escolar exige parceria entre pais e educadores; Entenda

Além das notas, o apoio escolar também é importante na construção da confiança dos pequenos. “A melhoria da autoestima da criança é um fator fundamental para uma vida harmônica e bem-sucedida no contexto escolar”, confirma Lucienne, mãe de Rafaelle, Guilherme e Gustavo e psicopedagoga consultora educacional da Rede Cristã e da Rede Pitágoras.

 Veja 19 dicas que vão ajudar no desenvolvimento escolar do seu filho

Reforço Escolar (3)

Pesquisa da UNESP (Universidade Estadual Paulista) aponta que o uso de ferramentas tecnológicas em sala de aula melhora o desempenho dos alunos (Foto: Shutterstock)

 

De acordo com um estudo feito pelo Núcleo de ensino da Unesp (Universidade Estadual Paulista), (data) o uso de ferramentas tecnológicas educativas em sala de aula, melhora em até 32% o rendimento dos estudantes. A pesquisa, feita em 2013 com 400 estudantes do ensino médio de uma escola no interior de São Paulo, mostrou ainda que a produtividade dos alunos foi ainda melhor em matemática e física em comparação aos conteúdos trabalhados de forma expositiva em sala de aula.

De olho em dados como este, Rogério Gabriel, pai de Gabriel e formado em Ciência da Matemática e Computação, fundou, em 2012, o Ensina Mais, uma rede de apoio escolar com aulas interativas e cheias de recursos tecnológicos.

Um desses alunos é Roberta Fernandes, de 8 anos, filha Lucimar Fernandes. A mãe conta que a menina tinha dificuldades de aprendizagem e, por isso, recebeu até um diagnóstico precoce de problemas neurológicos da equipe da escola. “Me disseram que ela não sabia formar nem a palavra gato e fiquei desesperada”, relata.

Então, Lucimar procurou ajuda médica. Foi um ano e meio em busca de profissionais e fazendo todo o tipo de exame até que um neurologista garantiu que Roberta não tinha nenhum problema de saúde e que procurar aulas particulares seria uma boa solução. Com apenas seis meses de aula de português, a menina conseguiu melhorar as notas na escola em todas as matérias e passar de ano.