Sem categoria

Segundo filho: 5 coisas que você vai fazer diferente do primeiro

Você vai viver experiências e momentos totalmente diferentes

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

segundo-filho

(Foto: Shutterstock)

Está esperando o segundo filho? Ele, definitivamente, vai ser amado tanto quanto o primeiro, mas a maioria das mães dizem que mudanças vão acontecer. Isso significa que o segundo filho muda as regras do jogo da maternidade e, não necessariamente, isso é algo ruim. 

A revista norte-americana “Parents” listou cinco coisas que vão mudar tendo como base os relatos da escritora Cari Wira Dineen.

1. Não ligue para o look

Anúncio

FECHAR

Para o meu primeiro bebê, eu fiz um enxoval maravilhoso, com vestidos delicados e roupas combinando. Lavei tudo com muito cuidado, usando o produto adequado para o bebê e pendurei no armário de acordo com a estação do ano e o tamanho. Caso minha filha babasse, uma troca de roupa instantânea teria que acontecer.

Com o meu segundo filho, a palavra de ordem foi desencanar! As roupas já manchadas eram mal dobradas e socadas no armário. Eu mal ligava para colocar meias no meu segundo filho até que ele realmente passou a precisar, ao usar sapatos. E quanto ao sabão especial para bebês? Os macacões do meu segundo filho eram colocadas junto às outras roupas da família dentro da máquina de lavar.

2. De mãe a hipocondríaca

Muitas mulheres se tornam mães ao mesmo tempo que desenvolvem hipocondria. De repente, você se toca que o mundo é cheio de germes esperando a melhor oportunidade para infectar o seu pequeno bebê indefeso.

Com o meu primeiro filho, eu fervia mamadeiras diariamente e usava litros e mais litros de desinfetante. Um dos recipientes do produto estava estrategicamente posicionado próximo à porta de casa, enquanto o outro recipiente menor ficava ao lado das fraldas. E ninguém poderia ousar tocar o meu bebê sem lavar as mãos primeiro. Tossir ou espirrar era sinal de que a pessoa estava doente e um alerta para não se aproximar do meu filho.

Já, com o segundo filho, eu praticamente atraía os germes e não era tão neurótica assim.

3. Descanso em primeiro lugar

Quando fui mãe de primeira viagem, eu ainda tentava manter a minha casa limpa, deixar a lavanderia em dia e organizar os brinquedos espalhados pela casa.

Com o segundo filho, uma pilha de roupas se acumulava na lavanderia, e eu passava o aspirador uma só vez por semana. Qualquer chance de se sentar e descansar um pouco era uma preciosidade, ou seja, eu sempre aproveitava. O descanso vinha em primeiro lugar, enquanto a louça e todas as outras obrigações da casa em segundo lugar. “Sempre haverá mais louças e roupas para lavar e para organizar – mas sonecas são sempre fundamentais para a saúde mental da mãe,” afirma Anita Belle, mãe de duas crianças..

4. Cadê os álbuns?

Ao ter o primeiro filho, é absolutamente comum querer registrar cada momento com vídeos e fotos.

Já, o segundo, infelizmente, não terá todas essas recordações gravadas. Tiramos algumas fotos no hospital, mas depois eu não sabia mais onde estavam. Por não ter feito um álbum, não sei ao certo quando o meu filho deu o primeiro passo e quase todas as fotos dele bebê foram tiradas pela minha filha com três anos, na época usando o meu celular.

5. Mínimo de estresse, máximo de curtição

Eu costumava me preocupar muito com o minha primeira filha. Estava comendo, dormindo ou fazendo cocô o suficiente? O desenho do Mickey estava afetando o cérebro e o desenvolvimento dela?

Mas com o meu segundo filho, todas as neuroses diminuíram um pouco. “Quando o seu primeiro filho cai e se machuca, você não solta mais ele a noite toda. Com o segundo, a conversa é mais ou menos essa: ‘está vivo? Ok, legal’, conta Marni Fich Nathanson, outra mãe citada pela escritora. Todas as pesquisas no Google sobre as melhores marcas de fraldas e formas de saber se o seu filho está com febre são costumes que vão desaparecer da rotina quando o segundo filho chegar.

“O que será diferente com o segundo filho é que você não se estressará muito, afirma outra mãe Monica Banks. “Eu ficava checando se o meu filho estava respirando a cada 20 minutos. Eu enlouqueci indo atrás de informações sobre o meu leite e se o meu filho estava ganhando peso suficiente. Na segunda vez, percebi que podia relaxar mais já que não havia mais aquele medo.”

Leia também: 

14 coisas que você precisa saber sobre o segundo filho

Dilemas do segundo filho

A importância de ter um irmão