Bebês

Vermelhão, aqui não!

As assaduras são bastante comuns em bebês e crianças que ainda usam fraldas, mas é um problema que pode ser evitado

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

shutterstock_220755148 (1)

As fraldas são uma invenção que traz mais tranquilidade para o início da maternidade, certo? Elas facilitam muito as coisas, mas a área da pele do bebê coberta pela fralda pode ficar mais avermelhada: são as famosas assaduras.

As assaduras nada mais são do que irritações na área da fralda causadas pela umidade e pelo calor.  A dra. Selma Helene, mãe de Rodrigo e Carolina e dermatologista pediátrica do Hospital Albert Einstein, esclarece que as assaduras aparecem em várias fases da vida do bebê. “A assadura pode apresentar graus variados. Começa com a aparência vermelha na pele e, se não for tratada, pode evoluir para feridas causadas principalmente por fungos”, explica a especialista.

Anúncio

FECHAR

A professora universitária Helena Jacob, mãe de Pedro, já passou por um susto por causa de assaduras. Quando o filho tinha 1 ano e 3 meses, contraiu uma infecção bacteriana séria e passou por muitos quadros de diarreia. O abafamento da pele causado pela fralda resultou em uma séria irritação na pele. “Primeiro, ele ficou doente. Depois, vieram os quadros de diarreia. As feridas só sararam após 15 dias de tratamento, indicado pelo pediatra”, conta Helena, que passou as semanas seguintes dando banhos mais frequentes em Pedro e deixando-o sem fraldas o máximo de tempo possível. O que aconteceu com ele acontece bastante com as crianças quando começamos a introduzir alimentos diferentes do leite na alimentação.

“A consistência do cocô muda bastante, por isso a pele pode ficar mais avermelhada. Os recém-nascidos costumam evacuar logo depois da mamada, mas depois dos 3 meses é importante checar sempre a fralda do bebê para não deixar que o cocô e o xixi fiquem muito tempo em contato com a pele”, explica a médica Maria Amparo Martinez Descalzo, mãe de Felipe e Helena. A pediatra do Hospital Santa Catarina diz que, quando a alimentação do bebê muda, as fezes ficam mais ácidas, por isso as assaduras podem ser mais frequentes.

Sempre sequinho

Não há fórmula mágica para manter seu bebê longe do vermelhão das assaduras, mas duas dicas simples podem ajudar. Primeiro: trocar a fralda com a maior frequência possível, toda vez que ele fizer xixi ou cocô. Claro, algumas situações, como viagens ou festas, deixam essa tarefa mais difícil. Nesse momento, a mãe deve procurar assim que puder um local para trocar a criança. “É importante que os pais façam a higiene das crianças de forma correta. Isso quer dizer lavar a região com água e sabão e secar todas as dobrinhas da pele. Depois disso, o bom é passar uma pomada ou creme específico para bebês”, esclarece a dra. Selma. Mas atenção! As pomadas não podem conter antifúngico, a não ser que o pediatra recomende. “Usar o creme antifúngico como forma de prevenção faz mal para a pele da criança”, ressalta a médica.

Maria Claudia Almeida, mãe de Eduardo, conta que ele só teve assaduras uma vez. “Quando ele tinha 7 meses, teve um vermelhão na área da fralda e eu levei ao pediatra. Ele estava mudando a alimentação e havia tomado uma vacina na época, acho que por isso a assadura apareceu”, conta Maria Claudia.

O pediatra instruiu Maria Claudia a aumentar a frequência de trocas e passar  maisena junto com a pomada. “A maisena é um truque que nossas avós já usavam. Mas outra questão importante é o lenço umedecido. Os pais devem evitar usá-los, por deixarem a pele do bebê mais úmida. O lenço umedecido não é um bom aliado para combater as assaduras”, alerta dra. Selma.

Pele de pêssego

Alguns bebês são mais sensíveis do que outros. A pediatra Maria Amparo conta que as crianças de pele mais clarinha apresentam mais chances de terem assaduras. A especialista lembra também que a pele dos recém-nascidos é bastante vulnerável, por isso as assaduras podem aparecer. “As pomadas são grandes aliadas, mas a camada de creme deve ser fina, para deixar a pele do bebê respirar”, ensina. Depois dos 5 meses, o ideal é que os pais chequem a fralda de duas em duas horas, para ver se a criança continua sequinha.

“A consulta ao pediatra é essencial quando o vermelho da pele demora a passar. A assadura pode ser indicação de outras doenças, como o intertrigo, irritação causada pelo mesmo fungo da candidíase”, ressalta a dermatologista Selma Helene. A dica é prestar atenção no seu bebê. Afinal ninguém melhor do que a mãe para perceber que alguma coisa não está dentro do normal. Depois, é só procurar o profissional adequado, aquele que você mais confia.

Algumas fraldas prometem até doze horas de pele seca. O gel ultra-absorvente, que muitas marcas usam, pode trazer a ilusão de conforto, mas não existem truques mágicos. Por isso, os pais precisam ficar atentos para que a fralda não substitua a frequência das trocas. Claro, durante a noite, o melhor é que o bebê tenha um sono tranquilo. Mas, ao longo do dia, uma boa higienização com água, sabão e a pomada pode proteger a pele. Se a criança é alérgica, o ideal é evitar as fraldas mais perfumadas. A opção neutra é o mais indicado.

Quente e úmida

A região que a fralda ocupa tem a combinação perfeita para o crescimento de fungos: é quentinha e fica úmida quando o bebê faz xixi ou cocô. Por isso, a frequência da troca é o mais importante!

Caçadora de mitos

A dermatologista Selma Helene nos contou quais tratamentos mais atrapalham do que ajudam

Óleo de amêndoas: Pode ser usado junto com a pomada, mas sozinho não tem efeito.

Calda de açúcar: Age como esfoliante e deixa a pele delicada do bebê áspera.

Goma de tapioca, farinha ou fubá: São todos pós e podem irritar a pele.

Violeta: Pode ser absorvido pela pele do bebê e causar uma irritação ainda maior.

Clara de ovo: Só vai deixar o bebê ainda mais incomodado, já que não protege.

Sempre funciona: Lave o bumbum do bebê com água e sabonete e, depois de secar bem, aplique uma camada de creme preventivo contra assaduras. A pele dos pequenos vai agradecer!

 

*OPS! Na edição de março de 2015, onde essa matéria foi originalmente publicada, comemos a maior bola e não colocamos o creme contra assaduras Dermodex. Ele é um dos melhores do mercado e um dos mais citados pelas mães quando o assunto é assaduras!