Bebês

Quase um terço dos bebês brasileiros não realiza o teste do pezinho

O exame é essencial para detectar de 6 a 48 patologias precocemente e o ideal é que seja feito logo nos primeiros dias de vida

A REDAÇÃO PAIS&FILHOS

teste do pezinho

O teste do pezinho é obrigatório em todo o Brasil desde 2001 e deve ser feito na primeira semana de vida do bebê. O Programa Nacional de Triagem tem como objetivo aumentar o número de doenças detectadas pelo teste e garantir que 100% das crianças brasileiras fizessem o exame. Mas a última Pesquisa Nacional de Saúde do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) revelou que esta ainda não é a realidade de 29,2% das crianças até dois anos de idade, ou seja, quase um terço dos recém-nascidos não realiza o teste nos primeiros sete dias.

Além disso, na área rural do Brasil a situação é ainda mais preocupante. Segundo a pesquisa, pouco mais da metade (58,4%) dos bebês realizam o exame na primeira semana de vida.  O exame é importante para detectar precocemente doenças metabólicas, genéticas ou infecciosas. As doenças diagnosticadas, se não forem tratadas precocemente, podem levar à deficiência intelectual ou causar prejuízos à qualidade de vida da criança.

Anúncio

FECHAR

O patologista clínico Helio Magarinos Torres Filho explica que um dos diagnósticos mais recentes do teste é o da hiperplasia adrenal congênita. Esta é uma doença genética em que as duas glândulas suprarrenais não funcionam corretamente, prejudicando a produção de hormônios que são essenciais para as funções do corpo, como o cortisol e a aldosterona. Nos recém-nascidos, a falta da produção destes hormônios pode causar perda de peso após a primeira semana de vida, seguida de vômitos e desidratação. Se evoluir, pode até levar ao óbito.

A pesquisa ainda indicou que 44% das crianças não fizeram o teste da orelhinha no primeiro mês (para detectar possíveis problemas auditivos) e 48,9% não passaram pelo teste do olhinho nos primeiros trinta dias (que indica se o bebê tem catarata, glaucoma, malformação no globo ocular, tumores e retinopatia, principal causa de cegueira infantil).

Sobre o teste do pezinho

É apenas uma picadinha no pé, mais ou menos na altura do calcanhar. O sangue é colocado em um papel-filtro, encaminhado para o laboratório quando as gotinhas estão secas em temperatura ambiente. O ideal é que o exame seja feito após de 48 horas do nascimento do bebê e no máximo 72 horas depois. Ele pode ser realizado na própria maternidade, nas Unidades Básicas de Saúde ou em clínicas particulares. Com apenas uma picadinha no pé do bebê, é possível diagnosticar de 6 a 48 doenças dependendo do tipo de teste.

O Teste do Pezinho Básico é obrigatório e gratuito em todo o país, composto por seis diagnósticos: fenilcetonúria, hipotireoidismo congênito, fibrose cística, anemia falciforme e demais hemoglobinopatias. A versão Mais detecta mais seis doenças, além das mencionadas no Básico, e o teste Super é um dos mais completos Testes de Triagem Neonatal existentes no mundo e pode diagnosticar 48 patologias.