Recém-Nascido

Meu bebê chegou antes da hora

Vários fatores podem provocar o parto prematuro. Entenda por que acontece, como evitar e como lidar

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

meu-bebe-chegou-antes-da-hora

A gravidez normal dura de 40 a 42 semanas. O parto é considerado prematuro quando acontece entre a 20ª e a 37ª semana de gestação. O nascimento antes do tempo ocorre com mais frequência na primeira gravidez. Quem já teve o bebê antes do tempo uma vez, tem risco maior de ter outro nas mesmas condições, mas não é uma sentença. “Apesar disso, 75% das mulheres que tiveram bebês prematuros na primeira gestação terão seus filhos depois da 37ª semana na segunda”, diz Leopoldo de Oliveira Tso, pai de Gabriela e João, membro da SOGESP (Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo).

As últimas décadas registraram um grande aumento de nascimento de bebês prematuros. A boa notícia é que cresceu também o número de crianças que superam essa fase complicada. “Antes, cerca de 5% dos bebês sobreviviam. Hoje, 80% deles, ainda que com baixo peso, deixam o hospital saudáveis”, conta o pediatra Renato Kfouri, pai de Mariana e Luciana, presidente da SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações).

Anúncio

FECHAR

Método Canguru: bebê prematuro perto da mãe e do pai

Mãe prematura também precisa de cuidado

Vacinação de bebê prematuro

Um mundo novo: a UTI neonatal

As razões mais comuns para o bebê nascer antes do tempo são:

– rompimento da bolsa amniótica

– insuficiência do colo uterino (não consegue suportar o peso da gravidez, abrindo-se antes do tempo)

– infecção uterina

– descolamento da placenta

– hipertensão crônica

– pré-eclampsia (aumento da pressão arterial e presença de proteína na urina)

– doenças crônicas (tuberculose, sífilis etc.)

– malformações fetais

– gestação múltipla

– fertilização in vitro

Nascer antes da hora significa nascer sem estar completamente pronto para encarar  mundo aqui fora. Os bebês que nascem antes da hora, dependendo da fase da gestação, podem sofrer com problemas relacionados à imaturidade do intestino, dos rins, do coração, do sistema de defesas do corpo e dos pulmões. Ou seja, esses órgãos não estavam totalmente formados, por isso eles precisam dos cuidados especiais da UTI neonatal para ajudá-los no processo de respiração e sucção do leite.

O recém-nascido só deverá ir para casa quando atingir o peso semelhante ao de um bebê que teve a gestação completa, em torno de 2 kg. E é aí que vem a parte mais dolorosa: sair da maternidade e deixar o bebê lá.

Vários fatores podem provocar a antecipação do parto, mas os exames pré-natais em dia podem ajudar a prevenir o parto prematuro. “O bom acompanhamento durante a gestação pode evitar ou tratar algumas intercorrências, diminuindo o risco”, explica Mauro Palma Junior, filho de Mauro e Maria Aparecida, coordenador da Unidade Neonatal do Hospital Santo Antônio da Beneficência Portuguesa de São Paulo.

E pode haver ainda uma predisposição materna. “Mulheres com desnutrição, menores de 18 anos ou maiores de 40 anos, usuárias de drogas e tabagistas são mais propensas”, avisa.

 

Livros para saber  mais do assunto

O Bebê Prematuro – Tudo o que os Pais Precisam Saber

O livro, escrito por 90 especialistas do Departamento Materno-Infantil da Sociedade Beneficente Brasileira Israelita Hospital Albert Einstein, ajuda o leitor a entender as necessidades de um bebê prematuro. Autores principais: Renata Dejtiar, Maria Fernanda Dornaus e Alice D’Agostini Deutsch. (Editora Manole). R$ 76.

 

Diário de um Prematuro

O diário da pequena Natasha, nascida prematura extrema, teve complicações que alteraram seus sistemas neurológico e pulmonar. Considerada pelos médicos um verdadeiro milagre, sua superação era inexplicável para a medicina. Uma história que mescla dor, alegria, superação, recaídas, angústia e esperança. Autores: Vanessa Palma e Eduardo de Jesus. (Editora Alley). R$ 33.

 

Consultoria:

Leopoldo de Oliveira Tso, pai de Gabriela e João, membro da SOGESP (Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo), http://www.sogesp.com.br/

Renato Kfouri, pai de Mariana e Luciana, pediatra, presidente da SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações), http://www.sbim.org.br/