Bebês

Começando a pensar na disciplina

Seu bebê pode parecer muito novo para distinguir certo e errado, mas, mesmo pequenos, eles precisam ser guiados

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Seu bebê recém-nascido chora e você o pega no colo. A fralda dele está molhada, você o troca. Isso porque é o seu trabalho cuidar dele todo dia. Mas certamente você ainda não se preocupa  com algumas regras de disciplina, certo? Bem, saiba que daqui a pouco seu bebê ficará ainda mais esperto e suas necessidades se transformarão em vontades, e você sentirá que precisa impor alguns limites.

Disciplina não é punição, é ensinar e guiar seu filho e isso deve começar logo cedo. “Definir os limites é uma importante tarefa dos pais”, afirma Claire Lerner, diretora do departamento de pais da instituição Zero to Three, em Washington, Estados Unidos. Por exemplo, é importante deixar um objeto que ofereça um risco à criança longe de seu alcance mesmo quando a criança pede por aquele objeto. Isso faz com que ela entenda a diferença entre certo e errado, a seguir regras, e a lidar com frustração.

Anúncio

FECHAR

Acompanhe sua gestação semana a semana

Pai causa polêmica ao amamentar

Grávida pode turbinar a inteligência do bebê

Um bebê quem tem um mau comportamento não faz isso com a intenção de magoar ou ferir alguém. Quando ele pega seus óculos, ele está explorando o mundo ao seu redor. Então como fazer com que ele não quebre algo sem limitar seu conhecimento de mundo? Veja algumas dicas que podem te ajudar no primeiro ano do bebê.

Recém-nascido até 6 meses

Nos três primeiros meses, é importante dar alguma resposta sempre que a criança chora. Isso faz com que ele se sinta seguro e a salvo, é o que vai ajudá-lo a se desenvolver de forma mais independente. Mas depois de um tempo você vai conseguir diferenciar o que o choro de seu filho diz e então você saberá se aquele é um choro de necessidade ou vontade.

Ele vai querer mexer em tudo, essa é a forma que ele tem para aprender, afirma Jane Nelsen, coautora do livro Disciplina Positiva: Os três primeiros anos. Mas ele tem de aprender que puxar o brinco de sua orelha, por exemplo, não está certo. Resista ao impulso de dar aquele sorriso ao falar “não”, porque se ele entender que você acha graça da situação fará ainda mais.

Ao invés disso, diga um “não” firme e tire ele de seu colo por alguns segundos. Perceba que seu bebê ainda não pode controlar seus impulsos, mas ao fazer isso você já se antecipa e evita severos “nãos” no futuro.

Depois dos 8 meses

Seu bebê está em pleno crescimento e você se sentirá menos frustrada ao perceber que já consegue estipular alguns limites para ele. Se sua casa ainda não for à prova de crianças é a hora de tomar ainda mais cuidados com sua segurança; Certifique-se de que nada tóxico está ao seu alcance, tenha portões nas escadas e mantenha as tomadas protegidas. Mas também crie espaços seguros para que seu bebê possa explorar.

Crie um cercadinho com brinquedos de pano e com peças grandes, potes de plástico e livros. Se você perceber que ele já correu justamente para a direção que não poderia, distraia-o e faça com que ele volte ao lugar seguro.

“Ações falam mais alto do que palavras. Seja gentil e firme e mantenha ele distante de lugares inseguros”, diz Dr. Nelsen. Leve seu filho para um novo lugar e dê a ele um brinquedo de acordo com sua idade. Ele pode até não entender o significado do que você está fazendo num primeiro momento, mas com o tempo vai perceber.

Por volta dos 9 meses, a ansiedade de seu filho pode deixa-lo um pouco pegajoso. Se ela chora só por você deixar ele no berço enquanto recolhe as roupas para lavar faça o máximo para não voltar e pegá-lo no colo.

Tranquilize-o com sua voz: “Eu estou aqui do lado. Você está bem”. Vai levar algum tempo, mas aprendendo, ele se sentirá feliz e tranquilo mesmo sem sua presença em 100% do tempo.