Pais

Reino Unido oferece R$ 16 mil para grávidas terem parto domiciliar

A previsão é que as gestantes recebam o dinheiro a partir de 2018

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

parto domiciliar no reino unido

O dinheiro será oferecido apenas para gestantes de baixo risco (Foto: Shutterstock)

O sistema público de saúde do Reino Unido oferecerá 3 mil libras (cerca de R$ 16 mil) para que as mães optem pelo parto domiciliar com parteiras. As informações são do jornal britânico “Daily Mail”.

Segundo o NHS (Serviço Nacional de Saúde britânico),  o parto em casa é tão seguro quanto nascimentos em hospitais, além de ser mais barato. Dados do órgão mostram que 90% das mulheres que dão à luz na Inglaterra têm filhos no hospital, mas apenas uma a cada quatro fez essa escolha. As demais optaram pela maternidade por não receberem incentivo para o parto domiciliar.

Leia também

Anúncio

FECHAR

Pai conta no Twitter como fez o parto da filha em casa sem planejamento

Parto domiciliar

4 exercícios para ajudar na hora do parto

O dinheiro será oferecido somente para gestantes de baixo risco, que não tenham doenças graves ou estejam grávidas de múltiplos. As mães planejarão a forma que pretendem gastar a quantia e o incentivo também poderá ser usado com aulas de amamentação depois do parto. A estimativa do NSH é que as gestantes passem a receber o dinheiro a partir de 2018.

A doula Rachel da Costa, mãe de Helen e Victor, residiu na Inglaterra entre 2003 e 2010 e teve o segundo filho no país. Ela queria optar pelo parto domiciliar, mas não era elegível para o procedimento, pois já havia passado por uma cesárea, o que a tiraria da classificação de baixo risco.

“Eu acho muito importante as mulheres terem essa opção. Porque tem quem se sinta segura no hospital, em casa ou em casas de parto. A mulher deve poder escolher, desde que a gestação seja de baixo risco”.

Para ela, no Brasil ainda há muito receio com o procedimento: “As pessoas têm medo do parto domiciliar porque elas não tem informação a respeito. Essa é uma opção que precisa do acompanhamento de um profissional, mas as mulheres precisam receber mais informações sobre o assunto”.

Três sinais de que é hora de ir para a maternidade

Visitas com moderação

Mulher que teve os três filhos em casa lança livro sobre essa experiência